O uso de sketchbook para registro dos saberes artesanais da Renda de Bilro

relato de uma experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630522021106

Palavras-chave:

Sketchbook, Renda de Bilro, Artesanato

Resumo

Este artigo tem como objetivo relatar o uso do sketchbook como ferramenta para o registro de informações da comunidade artesã do bairro Rio Vermelho, na cidade de Florianópolis (SC). Para tanto, na etapa de coleta de dados da pesquisa, foram feitas entrevistas com visitas à comunidade e, na etapa de formação do corpo de conhecimento, utilizou-se uma revisão bibliográfica narrativa e assistemática. Metodologicamente, este artigo pode ser compreendido como uma pesquisa aplicada, qualitativa, descritiva e de campo. A partir do relato de experiência apresentado, infere-se que, diferentemente do que indica a literatura investigada, o sketchbook pode ser usado não somente na fase de ideação projetual no trabalho de designers e artistas, mas também no registro e na documentação de informações imagéticas e textuais acerca dos saberes artesanais da Renda de Bilro. Ademais, concluiu-se que o sketchbook pode ser relevante como fonte de pesquisa documental e como meio para salvaguardar o feitio de artefatos artesanais contemporâneos.

Biografia do Autor

José Alfredo Beirão Filho, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento (2011) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Engenharia de Produção (2004) pela UFSC. Especialista em Costume de Scéne (1999) pela Ecole Superieure Des Arts Et Techiniques de La Mode (ESMOD, França). Graduado em Arquitetura e Urbanismo (1984) pela UFSC. Atualmente é professor efetivo da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Design de Vestuário e Moda (PPGModa) e do curso de bacharelado em moda da universidade. 

Elisa Aparecida Corrêa, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

Mestranda em Design de Vestuário e Moda (2019-2021) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Graduada em Moda com habilitação em Estilismo (2008) pela Udesc. Pesquisa a Renda de Bilro, a Gestão do Conhecimento e o Vestuário. 

Referências

ALBANI, Márcio Monticelli. Concepção de um artefato conceitual para a preservação da renda irlandesa com base na Gestão do Conhecimento. 2020. 168 f. Dissertação (Mestrado) — Curso de Pós-Graduação em Design de Vestuário e Moda, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2020. Disponível em: https://bit.ly/2ZIFmde. Acesso em: 23 jan. 2021.

ÂNGELO, Elis Regina Barbosa. O “saber-fazer” rendas de bilros: as ressignificações do processo na Lagoa da Conceição em Florianópolis. Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), Fortaleza, v. 1, n. 1, p. 11-27, jun./dez. 2013. Disponível em: http://bit.ly/37FB0aS. Acesso em: 01 nov. 2020.

BASTOS, José Messias; MACHADO, Edson de Morais; DOMINGOS, Karine. A formação socioespacial de Florianópolis e a atividade artesanal da renda de bilros. Revista Percursos, Florianópolis, v. 19, n. 41, p. 289-307, 31 dez. 2018. Disponível em: http://bit.ly/2NK5S2Z. Acesso em: 01 nov. 2020.

BERGAMIN, Camila. A importância da renda de bilro na economia familiar em Florianópolis a partir de 1900 e a sua continuidade no tempo presente. Revista Santa Catarina em História, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 14-23, jun. 2013. Disponível em: https://bit.ly/2Nt9HtD. Acesso em: 20 out. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição 1988: texto constitucional de 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais ns. 1/1992 a 30/2000 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos. 1/1994 a 6/1994. Ed. atual. em novembro de 2000. Brasília, DF: Senado Federal, 2000, 512 p. Disponível em: https://bit.ly/3sm0FNV. Acesso em: 09 nov. 2020.

BRUM, Camila; COSTA, Filipe Campelo Xavier da. Sketchbook e Planejamento de Cenários no Design de Moda. In: COLÓQUIO DE MODA, 8., 2012, Rio de Janeiro. Anais [...]. Florianópolis: SENAI/CETIQT, 2012. p. 1-12. Disponível em: https://bit.ly/37Jq1xp. Acesso em: 07 ago. 2020.

CANDAU, Joel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2011.

CLASEN, Mary Neuza de Freitas. Linguagem e Cultura: recontextualização da renda de bilro catarinense na moda brasileira. 2013. 133 f. Dissertação (Mestrado) — Curso de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2016. Disponível em: http://bit.ly/3ugAVEi. Acesso em: 03 dez. 2020.

FERRETTI, Fernanda. O sketchbook como ferramenta de desenvolvimento de ideais no projeto de design. In: GAMPI PLURAL, 3., 2013, Joinville. Anais [...]. Joinville: Univille, 2013. p. 67-75. Disponível em: https://bit.ly/3kmgXmX. Acesso em: 24 out. 2020.

FLORÊNCIO, Sônia Regina Rampim. Educação Patrimonial: algumas diretrizes conceituais. In: PINHEIRO, Adson Rodrigo S. (org.). Cadernos do patrimônio cultural: educação patrimonial. Fortaleza: Iphan, 2015. p. 21-30. Disponível em: https://bit.ly/3utYCJk. Acesso em: 26 dez. 2020.

FRADE, Cássia (org.). As guardiãs da renda: rendeiras do estado do rio de janeiro. Rio de Janeiro: Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, 1978. 37 p. Disponível em: https://bit.ly/3siqRcf. Acesso em: 05 jan. 2021.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIRÃO, Valdelice Carneiro. Renda de bilros. Fortaleza: Instituto do Ceará, 2013.

GOMES, Nathalia Molinos. A Renda de Bilro e a Moda: um resgate da produção artesanal e cultural. 2011. 134 f. TCC (Graduação) — Curso de Design de Moda, Centro Universitário Ritter dos Reis, Porto Alegre, 2011. Disponível em: https://bit.ly/2NVhLmW. Acesso em: 07 dez. 2020.

HOPKINS, John. Desenho de moda. Porto Alegre: Bookman, 2011. Tradução de Mariana Bandarra.

JONES, Sue Jenkyn. Fashion design: manual do estilista. São Paulo: Cosac Naify, 2005. Tradução de: Iara Biderman.

MATSUSAKI, Bianca do Carmo. Trajetória de uma tradição: renda de bilros e seus enredos. 2016. 145 f. Dissertação (Mestrado) — Curso de Pós-Graduação em Têxtil e Moda, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3slOosz. Acesso em: 05 dez. 2020.

MORRIS, Bethan. Fashion Illustrator: Manual do ilustrador de moda. São Paulo: Cosac Naify, 2007. Tradução de Iara Biderman.

RODRIGUES, José Eduardo Ramos. Aspectos polêmicos em torno do Patrimônio Cultural. In:

RODRIGUES, José Eduardo Ramos; MIRANDA, Marcos Paulo de Souza (org.). Estudos de Direito do Patrimônio Cultural. Belo Horizonte: Fórum, 2012. p. 90-109. Disponível em: https://bit.ly/3sfAqbM. Acesso em: 03 dez. 2020.

SILVA, Vera Lucia Felippi da; PERRY, Gabriela Trindade. Renda de Bilros: estudo de pontos tecidos nas regiões Nordeste e Sul do Brasil. ModaPalavra e-Periódico, Florianópolis, v. 11, n. 21, p. 126-146, 23 jan. 2018. Disponível em: http://bit.ly/3bw2Bww. Acesso em: 03 dez. 2020.

SOUZA, Michel Silvestre de; NAKATA, Milton Koji. Reflexões sobre a importância do sketch no processo criativo e sua desvalorização frente às tecnologias digitais. In: GAMPI PLURAL, 4., 2014, Joinville. Anais [...]. Joinville: Univille, 2014. p. 414-423. Disponível em: https://bit.ly/3qUPUBL. Acesso em: 03 set. 2020.

ZANELLA, Andréa Vieira; BALBINOT, Gabriela; PEREIRA, Renata Susan. A renda que enreda: analisando o processo de constituir-se rendeira. Educação & Sociedade, Campinas, v. 21, n. 71, p. 235-252, jul. 2000a. Disponível em: http://bit.ly/3kt7WZC. Acesso em: 01 jan. 2021.

ZANELLA, Andréa Vieira; BALBINOT, Gabriela; PEREIRA, Renata Susan. Re-criar a (na) Renda de Bilro: analisando a nova trama tecida. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 539-547, 2000b. Disponível em: https://bit.ly/2NtUXLf. Acesso em: 09 nov. 2020.

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Beirão Filho, J. A., Corrêa, E. A., & Babinski Júnior, V. (2021). O uso de sketchbook para registro dos saberes artesanais da Renda de Bilro: relato de uma experiência. Revista De Ensino Em Artes, Moda E Design, 5(2), 106-127. https://doi.org/10.5965/25944630522021106