Morfometria de sementes de Jatropha curcas L. em função da procedência

Autores

  • Noelle Farias de Aquino
  • Michelle Cristina Ajala
  • João Alexandre Dranski
  • Vanessa Leonardo Ignácio
  • Marlene de Matos Malavasi
  • Ubirajara Contro Malavasi

Palavras-chave:

Jatropha curcas, morfometria, correlação, modelos.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi correlacionar mensurações unidimensionais em sementes de Jatropha curcas procedentes de Pernambuco (PE), Minas Gerais (MG) e Mato Grosso do Sul (MS) com a biomassa para o ajuste de modelos estimativos. As sementes de pinhão manso apresentaram diferenças significativas quanto às medidas externas e de biomassa. O diâmetro menor, medido a partir da rafe e perpendicular ao comprimento, apresentou maior coeficiente de correlação para as três procedências (0,72 PE; 0,66 MG; e 0,44 MS), seguido do comprimento (0,66 PE; 0,65 MG; e 0,33 MS), enquanto a variável diâmetro maior resultou nos menores valores de correlação (0,44 PE; 0,37 MG; e 0,20 MS) com a biomassa da semente. Os modelos calculados com maior precisão foram M = -1,177 + 0,102 dme + 0,051 c para a procedência PE, M = -1,271 + 0,143 dme + 0,040 c para a procedência MG e M = -0,845 + 0,111 dme + 0,028 c para a procedência MS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

AQUINO, Noelle Farias de; AJALA, Michelle Cristina; DRANSKI, João Alexandre; IGNÁCIO, Vanessa Leonardo; MALAVASI, Marlene de Matos; MALAVASI, Ubirajara Contro. Morfometria de sementes de Jatropha curcas L. em função da procedência. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 8, n. 2, p. 142–145, 2009. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/5322. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Nota Científica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)