Performance of the soybean crop produced with on-farm and chemicals bioinputs to control pests and diseases

Authors

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712312024053

Keywords:

Glycine max, beneficial microorganisms, biological inputs, biological control

Abstract

The soybean crop is one of the most representative oilseeds in the world, and its high grain yield also means that chemical products are very widely used to control pests and diseases. In this sense, alternative forms of control such as the use of beneficial microorganisms multiplied by the farmer himself are advantageous. The study aimed to evaluate the performance of the soybean crop cultivated with the use of on-farm chemical and biological products (Bioinputs) to control pests and diseases. The experiment was conducted under field conditions in a commercial crop area under natural climate conditions with three replications for each treatment, being agrochemicals and other bioinputs. The multiplication of bioinputs took place on the field property. The plant dry matter was evaluated at the phenological stage of R2, the number of pods and the number of grains per pod and grain weight, occurred at physiological maturation. The protein grain content in soybean grains were determined. Dry matter (2515 kg ha-1), grain weight (149.3g) and grain protein (43%) showed no statistical difference between managements with agrochemicals and bioinputs. The number of pods, grains per pod and grain yield (1523 versus 2380 kg ha-1) was higher in the chemical production system, which may be associated with the water deficit that occurred during the experiment, disfavoring the microorganisms of the bioinputs. Therefore, compared with crop bioinputs, chemical management presented higher soybean grain yield (36%) in a year of water deficit.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Rodrigo Rotili Junior, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

.

Patrique Jardel Radons, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

.

Marciel Redin, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

.

References

AGUILERA JG et al. 2020. Respostas de componentes produtivos de soja a inoculação de biológicos em campo. Ensaios e Ciência 24: 576-583.

ASSEFA Y et al. 2019. Assessing variation in US soybean seed composition (Protein and oil). Frontiers in Plant Science 10: e298.

BERGAMASCHI H et al. 2004. Distribuição hídrica no período crítico do milho e produção de grãos. Pesquisa Agropecuária Brasileira 39: 831-839.

BOTELHO MGL et al. 2020. Pesticides in agriculture: Agents of environmental damage and the search for sustainable agriculture. Research, Society and Development 9: e396985806.

BRACCINI AL et al. 2016. Co-inoculação e modos de aplicação de Bradyrhizobium japonicum e Azospirillum brasilense e adubação nitrogenada na nodulação das plantas e rendimento da cultura da soja. Scientia Agraria Paranaensis 15: 27-35.

CARVALHO EV et al. 2020. A época de semeadura na produção de sementes de soja em condições de várzea tropical. Revista Sítio Novo 5: 100-117.

CHAGAS JUNIOR AF et al. 2021. Bacillus sp. como promotor de crescimento em soja. Revista de Ciências Agrárias de Portugal 44: 71-80.

CLIMATE FIELDVIEW Portal do cliente. 2022. Disponível em: https://climatefieldview.com.br/. Acesso em 05 julho de 2023.

COELHO TN et al. 2021. Controle biológico no manejo de Pratylenchus brachyurus em diferentes tratamentos na cultura da soja. Journal of Biotechnology and Biodiversity 9: 274-278.

CONAB. 2022. Companhia Nacional de Abastecimento. Disponível em: https://www.conab.gov.br/. Acesso em 04 julho de 2023.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

GAJIĆ B et al. 2018. Effect of irrigation regime on yield, harvest index and water productivity of soybean grown under different precipitation conditions in a temperate environment. Agricultural Water Management 210: 224-231.

HARDOIM P et al. 2022. Multiplicação de bactérias on-farm. Campo & Negócios 181: 29-32.

INMET. 2022. Instituto Nacional de Meteorologia. Dados climáticos. Disponível em: https://portal.inmet.gov.br. Acesso em 21 novembro de 2022.

KORBER LPP et al. 2021. Eficiência de produtos biológicos na coinoculação de sementes de soja. South American Sciences 2: e21109.

KUINCHTNER A & BURIOL GA. 2001. Clima do Estado do Rio Grande do Sul segundo a classificação climática de Köppen e Thornthwaite. Disciplinarum Scientia Naturais e Tecnológicas 2: 171-182.

MACHADO FR et al. 2021. Inoculation of growth-promoting bacteria in the lettuce crop. Scientia Agraria Paranaensis 20: 395-404.

MARQUES RP et al. 2011. Relações hídricas e produção de pigmentos fostossintéticos em mudas de Eugenia uniflora sob condições de salinidade. Revista Brasileira de Geografia Física 4: 497-509.

MARTIN TN. 2022. Tecnologias aplicadas para o manejo rentável e eficiente da cultura da soja. 1.ed. Santa Maria: Editora GR. 528p.

MAPA. 2024. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária. Disponível em: <https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/mapa-encerra-2023-com-90-produtos-de-baixo-impacto-registrados>. Acesso em: 17 de abril de 2024.

MAPA. 2009. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: Mapa/ACS, Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. 399 p.

NAOE AML et al. 2021. Efeito da deficiência hídrica e da época de semeadura nos teores de óleo e proteína em soja coinoculada com Azospirillum brasilense. Pesquisa Agropecuária Tropical 51: e66584.

OGINO CM & BACHA CJC. 2021. Usos de agrotóxicos nas agropecuárias do Brasil, Estados Unidos e União Europeia. Organizações Rurais & Agroindustriais 23: e1687.

OLIVEIRA MA et al. 2019. Características físico-químicas das sementes de soja: Teor de proteína, teor de óleo, acidez do óleo e teor de clorofila. Londrina: Embrapa Soja. 15p. (Documentos 403).

OLIVEIRA ZB et al. 2021. Influência da irrigação suplementar na produtividade de cultivares de soja para a safra e safrinha 2018-19 e 2019-20 na região central do RS. Brazilian Journal of Development 7: 15580-15595.

QUEIROZ REGO CH et al. 2018. Co‐inoculation with Bradyrhizobium and Azospirillum increases yield and quality of soybean seeds. Agronomy Journal 110: 2302-2309.

RAGAGNIN VA et al. 2013. Growth and nodulation of soybean plants fertilized with poultry litter. Ciência e Agrotecnologia 37: 17-24.

SANTOS A et al. 2020. Qualidade microbiológica de bioprodutos comerciais multiplicados on-farm no vale do São Francisco. Enciclopédia Biosfera 17: 429-443.

SANTOS HG et al. 2018. Sistema brasileiro de classificação de solos. 5.ed. Brasília: EMBRAPA. 356p.

SAUSEN D et al. 2021. Tecnologias que auxiliam a produção sustentável de alimentos. Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar 7:16-42.

SBCS. 2016. Manual de calagem e adubação para os Estados do Rio Grande Do Sul e de Santa Catarina. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - Núcleo Regional Sul: Comissão de Química e Fertilidade do Solo - RS/SC. 376p.

SCHOTT AD et al. 2021. Resistance inducer associated with fungicides for disease control in soybean crops. Brazilian Journal of Development 7: 56300-56311.

SILVA DF et al. 2019. Nodulação em plantas de soja (Glycine max L. Merril) submetidas a diferentes adubações. Revista Verde 14: 470-475.

SMIDERLE OJ et al. 2019. Correlação entre componentes de produção de soja BRS Tracajá e diferentes densidades de plantas no Cerrado de Roraima. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável 9: 34-40.

SOARES LH. 2016. Alterações fisiológicas e fenométricas na cultura de soja devido ao uso de lactofen, cinetina, ácido salicílico e Boro. Tese (Doutorado em Agronomia). Piracicaba: ESALQ. 171p.

STABACK D et al. 2020. Uso do MIP como estratégia de redução de custos na produção de soja no estado do Paraná. Revista Americana de Empreendedorismo e Inovação 2: 187-200.

TAGLIAPIETRA EL et al. 2022. Ecofiosiologia da soja: Visando altas produtividades. 2.ed. Santa Maria: Palloti. 432p.

TAIZ L & ZEIGER E. 2013. Fisiologia Vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed. 918p.

TAVARES DC et al. 2020. Utilização de agrotóxicos no Brasil e sua correlação com intoxicações. Sistemas & Gestão 15: 2-10.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre, Departamento de Solos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 174p. (Boletim Técnico de Solos 5).

VIDAL MC et al. 2020. Bioinsumos: O programa nacional e a sua relação com a produção sustentável. 1.ed. Florianópolis: CIDASC. p.382-409.

WINCK JM. 2022. Lacunas de produtividade em soja no Rio Grande do Sul e caracterização fisiológica de genótipos com tolerância a déficit hídrico. Tese (Doutorado em Agronomia). Santa Maria: UFSM. 98p.

ZANON AJ et al. 2016. Climate and management factors influence soybean yield potential in a subtropical environment. Agronomy Journal 108: 1447-1454.

ZIPPER SC et al. 2016. Effects maize and soybean production: Spatiotemporal patterns and historical changes. Environmental Research Letters 11: 094021.

ZUFFO AM et al. 2021. Adubação nitrogenada associada à inoculação de Bradyrhizobium japonicum como estratégia para amenizar os efeitos da desfolha na soja. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente 14: 1-12.

ZUFFO AM et al. 2022. Características agronômicas de cultivares de soja com aplicação tardia de nitrogênio em suplementação à inoculação de Bradyrhizobium spp. Ciência e Agrotecnologia 46: e022521.

Downloads

Published

2024-04-01

How to Cite

JUNIOR, Rodrigo Rotili; RADONS, Patrique Jardel; REDIN, Marciel. Performance of the soybean crop produced with on-farm and chemicals bioinputs to control pests and diseases. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 23, n. 1, p. 53–61, 2024. DOI: 10.5965/223811712312024053. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/24085. Acesso em: 22 jul. 2024.

Issue

Section

Research Article - Science of Plants and Derived Products

Most read articles by the same author(s)