Resíduos de pesticidas em vegetais vendidos na região Sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712242023612

Palavras-chave:

fruits, vegetables, agriculture, health

Resumo

A utilização de agrotóxicos é uma prática altamente frequente na produção agrícola, por contribuir no controle de pragas. O uso desses produtos deve respeitar as Boas Práticas Agrícolas (BPA), e, como consequência espera-se que os alimentos se enquadrem nos parâmetros vigentes. Para que essa garantia seja validada, há o Programa Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes (PNCRC) Vegetal do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), visando a elaboração de um diagnóstico da qualidade dos produtos. Com base nesses estudos, fez-se uma análise e interpretação dos resultados obtidos com os alimentos: banana, batata, maçã, tomate e uva comercializados no Rio Grande do Sul. Foram compiladas informações de documentos emitidos para o programa, no período entre 2016 a 2020, a fim de avaliar a conformidade dos alimentos in natura. Foram consideradas não conformes as amostras que apresentavam teores residuais de agrotóxicos acima do limite máximo de referência (LMR) para a cultura ou aquelas com residual não permitido para a cultura (NPC). O índice de conformidade geral para os hortícolas destacados foi superior a 95%. Os dados foram semelhantes aos de países citados como rigorosos no monitoramento e fiscalização desse perigo químico. A maior parte das não conformidades (NC) ocorreu pela presença de resíduos acima do LMR para a cultura, em especial pela presença de inseticidas dos grupos químicos organofosforados e piretróides.  Estes resultados demonstram que os alimentos produzidos e consumidos no Brasil possuem características de qualidade semelhantes à de países desenvolvidos. Ilustrando o que o alimento ingerido pela população é seguro. Para se obterem melhores resultados é essencial assistência técnica para os agricultores, visando diminuir a incidência de resíduos acima do Limite Máximo para o produto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Karlinski, Instituto Federal Catarinense

.

Bruno Pansera Espindola, Instituto Federal Catarinense

.

Marcos Andre Nohatto, Instituto Federal Catarinense

.

Cesar Valmor Rombaldi, Universidade Federal de Pelotas

.

Referências

AGROFIT. 2021. Sistema de Agrotóxicos Fitossanitários - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Brasília: MAPA. Disponível em <https://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons>. Acesso em: 17 out. 2023.

ANVISA. 2018. Resolução RE n° 2.344 de 29/08/18 (DOU de 30/08/18). Disponibiliza o índice monográfico do Acefato. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/setorregulado/regularizacao/agrotoxicos/monografias/monografias-autorizadas/a/acefato. Acesso em 17 out. 2023.

ANVISA. 2021. Resolução-RE nº 407, de 28 de janeiro de 2021. Disponibiliza o índice monográfico do Imidacloprido. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/setorregulado/regularizacao/agrotoxicos/monografias/monografias-autorizadas/g-h-i/4400json-file-1. Acesso em 17 de out. 2023.

AWE. 2016. 2017. 2018. 2019. 2020. Australian Government. Department of Agriculture, water and the Environment. Apple residue testing annual datasets. Disponível em: https://www.agriculture.gov.au/ag-farm-food/food/nrs/nrs-results-publications/plant-product-monitoring-2017-18#horticulture-datasets. Acesso em 29 de mai. 2021.

BARIZON RRM et al. 2013. Análise das Violações encontradas em Alimentos nos Programas Nacionais de Monitoramento de Agrotóxicos. Documentos 92. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente.

BELGIUM. 2018. Controls of pesticide residues in food and feed. Disponível em: https://efsa.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.2903/j.efsa.2020.6057. Acesso em jun. 2020.

BRASIL. 2022. Portaria SDA nº 574, de 09 de maio de 2022, resolve: Art. 1º Fica instituído o Programa Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Vegetal (PNCRC/Vegetal), definindo o alcance, os objetivos, os critérios e os procedimentos para a realização dos controles oficiais. DOU. Edição 87 de 10 de maio. 2022. Diponível em: https://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-sda-n-574-de-9-de-maio-de-2022-398636158. Acesso em 17 de out. 2023.

BVL. 2016. 2017. 2018. 2019. Federal Office of Consumer Protection and Food Safety. Pesticide residue in food: National reporting. Federal Republic of Germany - Condesed Version. Disponível em:https://www.bvl.bund.de/DE/Home/home_node.html. Acesso em 26 de mai. 2021.

CALDAS E & JARDIM A. 2011. Brazilian monitoring programs for pesticide residues in food e Results from 2001 to 2010. Food Control 25: 607-616.

CENTURIÓN MPB et al. 2023. egulation of pesticide residues in food in the MERCOSUR: a much needed discussion for health surveillance. Rev Panam Salud Publica. Disponível em https://www.scielosp.org/article/rpsp/2023.v47/e66/. Acesso em out. 2023.

CISCATO CH et al. 2009. Pesticide residue monitoring of Brazilian fruit for export 2006–2007. Food Additives and Contaminants 2: 140–145

EMBRAPA. 2013. Análise das violações encontradas em alimentos nos programas nacionais de monitoramento de agrotóxicos. Documentos 92. Jaguariúna: EMBRAPA. 18 p.

FDA. U.S. 2016. 2017. 2018. Food and Drug Administration. Pesticide Residue Monitoring Program Fiscal Year 2016, 2017 and 2018 - Pesticide Report. USA. Disponível em: http://www.fda.gov/food/foodborneillnesscontaminants/pesticides/default.htm. Acesso em jun. 2021.

FERREIRA, Verona et al. 2018. Estimativa de ingestão de agrotóxicos organofosforados pelo consumo de frutas e hortaliças. Caderno Saúde Coletiva 26(2): 216-221.

GRANELLA V et al. 2013. Resíduos de agrotóxicos em leites pasteurizados orgânicos e convencionais. Semina: Ciências Agrárias 34:.1731-1740.

LOPES CV. & ALBUQUERQUE G. 2018. Agrochemicals and their impacts on human and environmental health: a systematic review. Saúde em Debate. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/bGBYRZvVVKMrV4yzqfwwKtP/#. Acesso em 24 mai. 2023.

LOPES CV & ALBUQUERQUE G. 2021. Challenges and strides in the control of pesticide residues in Brazil: 15 years of the Program for Analysis of Pesticide Residues in Food Products. Cad. Saúde Pública. Disponível em https://www.scielo.br/j/csp/a/dkSMsLFvYw9B5vDhLncWtdH/#. Acesso em 24 out. 2023.

MANTELLI J. 2020. Presença de resíduos de agrotóxicos nos alimentos: um enfoque no pimentão e pepino. GeoAtos: Revista Geografia em Atos 17: 44-63.

MARQUES JMG & SILVA MV. 2021. Estimativa de ingestão crônica de resíduos de agrotóxicos por meio da dieta. Ver. Saúde Pública. Diponível em: https://www.scielo.br/j/rsp/a/zxXtbGYMSNcvxqhXTrs9cJF/?lang=pt&format=html#. Acesso em 24 mai. 2023.

MAPA. 2013a. Manual de coleta de amostras do plano nacional de controle de resíduos e contaminantes em produtos de origem vegetal. Brasília: MAPA. 37p.

MAPA. 2013b. Estabelece os procedimentos a serem adotados noâmbito do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), na constatação de resíduos de agrotóxicos e contaminantes químicos, físicos e biológicos, conforme estabelecido em legislação específicada ANVISA, em produtos vegetais, seus subprodutos e resíduosde valor econômico, padronizados. Diário Oficial da União. Edição 158. Publicado em 16 de Agosto de 2013.

MATTOS LM et al. 2009. Produção Segura e Rastreabilidade de hortaliças. Horticultura Brasileira 27: 408-413.

MEIRA APG. 2015. Técnicas de Análise de resíduos de agrotóxicos em alimentos de origem vegetal: uma revisão. Segurança Alimentar e Nutricional 22: 766-777.

PANIAGUA CESS & SANTOS OV. 2021 Revisão sobre a aplicação do método quechers na determinação simultânea de multirresíduos (pesticidas e fármacos) presentes em alimentos de origem animal. Brazilian Journal of Development 7: 98971-98987. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BRJD/article/view/38093. Acesso em out. 2023.

PASSOS FR & REIS MR. 2013. Resíduo de agrotóxicos em alimentos de origem vegetal: revisão. Pesticidas: r. ecotoxicol. e meio ambiente 23: 49-58.

RIBEIRO MC et al. 2021. Assessment and monitoring of contamination levels by pesticide residues in foods of plant origin marketed in the State of Minas Gerais, Brazil. Society and Development. Disponível em; https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12802/11466. Acesso em out. 2023.

SDA/MAPA. 2021. SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. Portaria nº 448/2021. Torna Pública Dados do PNCRC Vegetal dos anos de 2019 e 2020. DOU.

SDA/MAPA. 2019. SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. Portaria nº 267/2019. Torna Pública Dados do PNCRC Vegetal dos anos de 2015 a 2018. DOU.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

KARLINSKI, Lucas; ESPINDOLA, Bruno Pansera; NOHATTO, Marcos Andre; ROMBALDI, Cesar Valmor. Resíduos de pesticidas em vegetais vendidos na região Sul do Brasil. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 4, p. 612–621, 2023. DOI: 10.5965/223811712242023612. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/23761. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)