O tamanho de sementes de feijão afeta a utilização das reservas armazenadas durante a germinação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712232023529

Palavras-chave:

Phaseolus vulgaris L., qualidade fisiológica, mobilização de reservas

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade fisiológica de sementes de feijão com diferentes tamanhos, identificando a relação do tamanho da semente com a mobilização e utilização de reservas. Foram utilizadas sementes da cultivar comercial IPR-88 Uirapuru e Iapar 81 padronizadas e posteriormente, determinadas três frações a partir de pesagem individual, sendo: sementes pequenas, médias e grandes. A qualidade fisiológica das três frações foi determinada pelo teste de germinação e pelos testes de vigor: envelhecimento acelerado e teste de desempenho de plântulas (comprimento). A mobilização e utilização de reservas foi mensurada aos cinco dias de hidratação das sementes, onde foram avaliadas massa seca, taxa de mobilização de reservas, taxa de redução de reservas e eficiência de uso das reservas. Os resultados demonstraram que não houve diferença entre as frações na porcentagem de germinação e envelhecimento acelerado. Considerando os parâmetros que avaliaram a mobilização e utilização de reservas, verificou-se que sementes de maior tamanho formam plântulas de maior massa seca, no entanto, tem menor taxa de mobilização de reservas e menor eficiência de uso de suas reservas. Desta forma, evidencia-se que o tamanho da semente influencia a mobilização e utilização de reservas, de maneira que sementes da fração média e pequena apresentam maior eficiência de uso de reservas até os cinco dias de germinação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE GCD et al. 2019. Seed reserves reduction rate and reserves mobilization to the seedling explain the vigour of maize seeds. Journal of Seed Science 41: 488-497.

BEWLEY JD et al. 2013. Seeds: Physiology of development, germination and dormancy. 3.ed. New York: Springer. 392 p.

BRASIL. 2009. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes (RAS). Brasília: MAPA/ACS. 395p.

CANGUSSÚ LVS et al. 2013. Efeito do tamanho de sementes no desempenho fisiológico de feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Gaúcha 19: 73-81.

CHENG X et al. 2013. Dynamic quantitative trait loci analysis of seed reserve utilization during three germination stages in rice. PLoS On 8: 1-11.

CHENG X et al. 2018. Seed reserve utilization and hydrolytic enzyme activities in germinating seeds of sweet corn. Pakistan Journal of Botany 50: 111-116.

COELHO CMM et al. 2007. Diversidade genética em acessos de feijão (Phaseolus vulgaris L.). Ciência Rural 37: 1241-1247.

DERETTI AFH et al. 2022. Resposta de cultivares de soja à redução na densidade de plantas no planalto norte catarinense. Revista de Ciências Agroveterinárias 21: 123-136.

DERRE LO et al. 2017. Influência do tamanho de sementes na germinação e vigor inicial da soja (Glycine max). Colloquium Agrariae 13: 100-107.

KUMAR R et al. 2016. Influence of Growing Medium and Seed Size on Germination and Seedling Growth of Pinus gerardiana Wall. Compost Science & Utilization 24: 98-104.

MA W et al. 2019. Mitochondrial small heat shock protein mediates seed germination via thermal sensing. Proceedings of the National Academy of Sciences 116: 4716-4721

MARCOS FILHO J. 2015. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Londrina: ABRATES. 660p.

MICHELS AF et al. 2014. Qualidade fisiológica de sementes de feijão crioulo produzidas no oeste e planalto catarinense. Revista Ciência Agronômica 45: 620-632.

MUT Z & AKAY H. 2010. Effect of seed size and drought stress on germination and seedling growth of naked oat (Avena sativa L.). Bulgarian Journal of Agricultural Science 16: 459-467.

NAKAGAWA J. et al. 1999. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI FC et al. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES. cap. 2. p.1-24.

PADILHA MS et al. 2021. Qualidade fisiológica de sementes de Peltophorum dubium (Sprengel.) Taubert classificadas pelo tamanho. Biofix Scientific Journal 6: 20-27.

PADILHA MS et al. 2020. Seed reserve mobilization evaluation for selection of high-vigor common bean cultivars. Revista Caatinga 33: 927-935.

PEREIRA WA et al. 2015. Dynamics of reserves of soybean seeds during the development of seedlings of different commercial cultivars. Journal of Seed Science 37: 63-69.

PESKE ST et al. 2019. Sementes: fundamentos científicos e tecnológicos. Pelotas: Ed. Becker e Peske, 579p.

R CORE TEAM. 2021. R: a language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing. Disponível em: https://www.r-project.org/. Acesso em: 01 ago. 2021.

SCAPPA-NETO A et al. 2001. Efeito do teor inicial de água de sementes de feijão e da câmara no teste de envelhecimento acelerado. Scientia Agricola 58: 747-751.

SOLTANI A et al. 2006. Seed reserve utilization and seedling growth of wheat as affected by drought and salinity. Environmental and Experimental Botany 55: 195-200.

STEINER F et al. 2019. Does seed size affect the germination rate and seedling growth of peanut under salinity and water stress? Pesquisa Agropecuária Tropical 49: 1-9.

WANG W et al. 2016. Pre-sowing seed treatments in direct-seeded early rice: consequences for emergence, seedling growth and associated metabolic events under chilling stress. Scientific reports 6: 1-10.

Downloads

Publicado

2023-08-04

Como Citar

SIEGA, Yasmin Pincegher; PADILHA, Matheus Santin; COELHO, Cileide Maria Medeiros; EHRHARDT-BROCARDO, Natalia Carolina Moraes. O tamanho de sementes de feijão afeta a utilização das reservas armazenadas durante a germinação. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 3, p. 529–537, 2023. DOI: 10.5965/223811712232023529. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/23362. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2