Dejeto líquido de suínos: efeito no solo e nas perdas de K, Ca e Mg por erosão hídrica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712212023109

Palavras-chave:

erosão hídrica, nutrientes na enxurrada, chuva simulada, semeadura direta, meio ambiente, nutrientes, erosão do solo

Resumo

O dejeto de suíno (DLS) é usado como fertilizante cujos nutrientes são perdidos por erosão e contaminam o ambiente se o dejeto é usado inadequadamente. Objetivou-se avaliar o efeito de DLS no solo e na erosão, num Nitossolo Bruno. Os tratamentos, 0; 50; 100; e 200 m³ ha-1 de DLS foram aplicados superficialmente após a semeadura uma vez em cada um dos cinco cultivos, e na palhada do último cultivo, totalizando 0, 250, 500 e 1000 m³ ha-1, na aveia (Avena strigosa), milho (Zea mays), nabo (Raphanus sativus L.) e soja (Glycine max), e nos resíduos de aveia. A chuva simulada (65 mm h-1 e 75 minutos) foi aplicada três vezes no milho e quatro vezes no nabo, na soja, e nos resíduos, com um simulador de braços rotativos. Antes e depois da pesquisa, determinou-se o teor de K, Ca e Mg no solo. As chuvas aplicadas em cada momento compuseram um teste (T). O T1 ocorreu após a aplicação do DLS e os demais testes em intervalos que variaram entre 14 e 70 dias, em função do clima. Durante o escoamento, em intervalos de cinco minutos coletaram-se amostras de enxurrada para determinar as perdas de água e o teor de K, Ca e Mg na água. O DLS não influenciou o teor dos nutrientes no solo. O teor e as perdas totais dos nutrientes foram maiores com 1000 m3 ha-1 de DLS do que na ausência do dejeto. Com o aumento de escoamento, diminuiu o teor na enxurrada e aumentou a perda total, a qual aumentou também com o aumento de teor dos nutrientes na enxurrada. Recomenda-se aplicar menos do que 500 m3 ha-1 de DLS total no solo, mesmo em aplicações intervalares, devido à elevada perda de K, Ca e Mg pela erosão hídrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AITA C et al. 2014. Aproveitamento dos dejetos de suínos e bovinos como fertilizantes: impactos ambientais e estratégias de mitigação. In: PALHARES JCP & GEBLER L (Org.). Gestão ambiental na agropecuária. Brasília: Embrapa. p.199-234.

ARRUDA CAO et al. 2010. Aplicação de dejeto suíno e estrutura de um latossolo vermelho sob semeadura direta. Ciência Agrotécnica 34: 804-809.

BAI Z et al. 2013. The critical soil P levels for crop yield, soil fertility and environmental safety in different soil types. Plant and Soil 372: 27-37.

BANDEIRA DH et al. 2019. Impact of pig slurry application on soil and water losses: Comparison with a historical series. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 23: 425-431.

BARBOSA FT et al. 2012. Comprimento crítico de declive relacionado à erosão hídrica, em três tipos e doses de resíduos em duas direções de semeadura direta. Revista Brasileira Ciência do Solo 36: 1279-1290.

BARROS EC et al. 2019. Potencial agronômico dos dejetos suínos. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves. 52 p. Cartilha.

BENEDET L et al. 2016. Physiological changes in maize grown in soil with copper and zinc accumulation resulting from the addition of pig slurry and deep litter over 10 years. Water, Air and Soil Pollution 227: 1-15.

BERTOL I et al. 2015. Water infiltration in two cultivated soils in Southern Brazil. Revista Brasileira Ciência do Solo 39: 573-588.

BERTOL OJ et al. 2007. Perdas de solo e água e qualidade do escoamento superficial associadas à erosão entre sulcos em área cultivada sob semeadura direta e submetida às adubações mineral e orgânica. Revista Brasileira Ciência do Solo 31: 781-792.

BÓCOLI ME et al. 2016. Soil chemical properties and maize yield under application of pig slurry biofertilizer. Revista Brasileira de Engenharia Agricola e Ambiental 20: 42-48.

CABRAL JR et al. 2014. Changes in chemical properties of distrophic Red Latosol as result of swine wastewater aplication. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 18: 210-216.

CARDOSO CO et al. 1998. Análise de chuvas intensas a partir da desagregação das chuvas diárias de Lages e Campos Novos, SC. Revista Brasileira de Ciência do Solo 22: 131-140.

CASSOL et al. 2012. Disponibilidade de macronutrientes e rendimento de milho em latossolo fertilizado com dejeto suíno. Revista Brasileira Ciência do Solo 36: 1911- 1923.

CORRÊA JC et al. 2011. Aplicações de Dejetos de Suínos e as Propriedades do Solo. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves. 18p. (Circular Técnica 58).

CQFS/RS-SC. 2004. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Núcleo Regional Sul. Comissão de Química e de Fertilidade do Solo-RS/SC. Manual de adubação e de calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 10ed. Porto Alegre: SBCS. 400p.

DORTZBACH D et al. 2014. Alterações nos atributos químicos em solos adubados com dejeto líquido de suínos na cultura do milho e na pastagem, em diferentes períodos de aplicação. Revista Agropecuária Catarinense 26: 62-67.

EMBRAPA. 2013. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 306p.

HENTZ P et al. 2016. Poultry litter and pig slurry applications in an integrated crop-livestock system. Revista Brasileira de Ciência do Solo 40: 1–12.

KAUFMANN DS et al. 2019. Impacts of pig slurry applied to two different soils on nutrient transport by runoff. Revista Brasileira de Ciência do Solo 43: 1-16.

LOURENZI CR et al. 2014. Pig slurry and nutrient accumulation and dry matter and grain yield in various crops. Revista Brasileira de Ciência do Solo 38: 949–958.

MECABÔ JÚNIOR J et al. 2014. Erosão hídrica influenciada por uma aplicação de dejeto líquido de suínos no solo cultivado em semeadura direta. Revista Brasileira de Ciência do Solo 38: 1601-1611.

MIRÁS AVALOS JM et al. 2012. Crop residue effects on Calcium, Magnesium, Potassium, and Sodium runoff losses from soil prone to crusting. Communications in Soil Science and Plant Analysis 43: 315-323.

OLIVEIRA DA et al. 2014. Effects of pig slurry application on soil physical and chemical properties and glyphosate mobility. Revista Brasileira Ciência do Solo 38: 1421-1431.

PEGORARO T et al. 2014. Use of swine wastewater in oilseed radish crop: agronomic and environmental aspects. Semina Ciências Agrárias 35: 2931-2944.

PEREIRA PAM et al. 2016. Swine farm wastewater and mineral fetilization in corn cultivation. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 20: 49-54.

SCHERER EE et al. 2010. Atributos químicos do solo influenciasdos por sucessivas aplicações de dejetos suínos em áreas agrícolas de Santa Catarina. Revista Brasileira Ciência do Solo 34: 1375-1383.

SOIL SURVEY STAFF. 2014. Keys to Soil Taxonomy. 12th Aufl. Washington: USDA.

SWANSON NP. 1965. Suggestions for the use of the rotating-boom field plot rainfall simulator to obtain data for application of the soil loss equation. Paraná, FAO, University of Nebraska. 6p. (Relatório de consultoria).

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solos, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS 174p.

Publicado

2023-03-28

Como Citar

BERTOL, Ildegardis; MECABÔ JÚNIOR, José; SANTOS, Maria Aparecida do Nascimento dos; KAUFMANN, Danieli Schneiders; OLIVEIRA, Marco Fruhauf de. Dejeto líquido de suínos: efeito no solo e nas perdas de K, Ca e Mg por erosão hídrica. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 1, p. 109–122, 2023. DOI: 10.5965/223811712212023109. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/22744. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>