Avaliação horizontal da distribuição de sementes de milho em função de mecanismos dosadores e velocidade operacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712142022524

Palavras-chave:

plantabilidade, espaços aceitáveis, semeadura mecanizada, colheitadeiras

Resumo

O tipo de funcionamento do mecanismo dosador das semeadoras e a velocidade de operação são determinantes na produtividade da cultura. Assim, objetivou-se avaliar a distribuição longitudinal de sementes de milho com diferentes mecanismos dosadores de sementes em diferentes velocidades de deslocamento. O estudo foi realizado na Fazenda Experimental de Ciências Agrárias - FAECA da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no município de Dourados, Mato Grosso do Sul (MS). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 2 x 4, sendo dois dosadores de sementes (pneumático e mecânico) e quatro velocidades de deslocamento da semeadura (5, 7, 8 e 10 km-1). Foi avaliada a distribuição longitudinal de sementes por meio da verificação do espaçamento entre plântulas em aceitável, falho e múltiplo. Os dados foram submetidos à análise de variação e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Não houve diferença significativa até a velocidade de 8 km h-1 para o dosador mecânico na análise do desempenho de cada mecanismo dentro das diferentes velocidades. No entanto, o dosador pneumático obteve desempenho superior para espaçamentos falhos e duplos. De modo geral, para ambos os mecanismos dosadores o aumento da velocidade de semeadura proporcionou acréscimo no número de espaçamentos falhos e duplos. Portanto, o mecanismo dosador pneumático apresentou melhor resposta no número de espaçamento aceitável de distribuição com o incremento da velocidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVARES CA et al. 2013. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 6: 711-728.

BERGAMASCHI H & MATZENAUER R. 2014. O milho e o clima. Porto Alegre: Emater/RS-Ascar. 84p.

BOTTEGA EL et al. 2014. Efeitos da profundidade e velocidade de semeadura na implantação da cultura do milho. Pesquisa Agropecuária Pernambucana 19: 74-78.

BOTTEGA EL et al. 2018. Diferentes dosadores de sementes e velocidades de deslocamento na semeadura do milho em plantio direto. Pesquisa Agropecuária Pernambucana 22: 1-5.

CARPES DP et al. 2017. Effect of different conductor tubes on the longitudinal distribution of corn seeds. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 21: 657-662.

COELHO JLD. 1996. Ensaio & certificação das máquinas para a semeadura. In: MIALHE LG. (Ed.) Máquinas Agrícolas: Ensaio & Certificação. Piracicaba: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz. p. 551-569.

CONAB. 2022. Companhia Nacional de Abastecimento. Nono levantamento - Safra 2021/2022. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos/boletim-da-safra-de-graos. Acesso em: 07 jun. 2022.

CORREIA TPS et al. 2016. Longitudinal distribution of corn seeds depending on horizontal disk with different Technologies. Científica 4: 1-4.

CORREIA TP Da S. et al. 2020. Desempenho operacional e distribuição longitudinal de sementes por semeadora de precisão submetida a diferentes calibragens do rodado. Nativa 8: 679-686.

CORTEZ JW et al. 2020. Seed metering mechanisms and tractor-seeder forward speed on corn agronomic components. Engenharia Agrícola 40: 61-68.

FRANCETTO TR et al. 2015. Características dimensionais e ponderais das semeadoras-adubadoras de precisão no Brasil. Tecnológica 19: 18-24.

GARCIA RA et al. 2018. Soybean-corn succession according to seeding date. Pesquisa Agropecuária Brasileira 53: 22-29.

KURACHI SAH et al. 1989. Avaliação tecnológica de semeadoras e/ou adubadoras: Tratamento de dados de ensaio e regularidade de distribuição longitudinal de sementes. Bragantia 48: 249-262.

MACHADO TM et al. 2019. Semeadoras adubadoras com diferentes mecanismos dosadores de sementes e a influência da velocidade na semeadura do milho. Revista de la Facultad de Agronomía 118: 37-42.

MIALHE LG. 1996. Máquinas agrícolas: ensaios & certificação. Piracicaba: FEALQ. 722p.

MIALHE LG. 2012. Máquinas agrícolas para plantio. Campinas: ESALQ. 623p.

OLIVEIRA LG et al. 2009. Distribuição longitudinal de sementes de milho em função do tipo de dosador de sementes e velocidade de deslocamento. Cultivando o Saber 2: 140-146.

RINALDI PCN et al. 2019. Estabelecimento inicial da cultura o milho em função da velocidade de trabalho e dos mecanismos sulcadores da semeadora. Acta Iguazu 8: 23-31.

SANTOS HG et al. 2013. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília: Embrapa. 353p.

SANTOS AJM et al. 2011. Análise espacial da distribuição longitudinal de sementes de milho em uma semeadora-adubadora de precisão. Bioscience Journal 27: 16-23.

TROGELLO E et al. 2013. Manejos de cobertura vegetal e velocidades de operação em condições de semeadura e produtividade de milho. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 17: 796-802.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

ROSA JUNIOR , L. R.; MAUAD , M. .; SILVA, P. V. da; GONÇALVES , A. A. .; ORLANDO, R. C. .; SILVA DE MEDEIROS , E. .; FERRARI SCHEDENFFELDT, B. . Avaliação horizontal da distribuição de sementes de milho em função de mecanismos dosadores e velocidade operacional. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 4, p. 524-530, 2022. DOI: 10.5965/223811712142022524. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/22405. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Multiseções e Áreas Correlatas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)