Seletividade de herbicidas pós-emergentes isolados ou associados a fertilizante foliar na cultura da soja

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712142022384

Palavras-chave:

fitotoxicidade, mistura em tanque, adubação foliar

Resumo

A associação de herbicidas com fertilizantes foliares é comumente adotada na cultura da soja. Entretanto, essas associações podem ocasionar diferentes efeitos quando aplicadas na soja, necessitando portanto de maiores estudos. Assim, objetivou-se avaliar a seletividade de herbicidas pós-emergentes associados com fertilizante foliar (FF) à base de zinco na cultura da soja RR (resistente ao glifosato). O experimento foi conduzido em delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos aplicados foram chlorimuron (17,5 g i.a. ha-1); chlorimuron + FF (17,5 + 693 g i.a. ha-1); cloransulam (40 g i.a. ha-1); cloransulam + FF (40 + 693 g i.a. ha-1); fomesafem (225 g i.a. ha-1); fomesafem + FF (225 + 693 g i.a. ha-1); glyphosate (1.280 g i.a. ha-1); glyphosate + FF (1.280 + 693 g i.a. ha-1) e duas testemunhas sendo uma capinada e outra infestada. Foram realizadas avaliações visuais de fitotoxicidade aos 7, 14, 21, 28 e 35 dias após a aplicação dos tratamentos (DAT), e também nessas épocas os teores de clorofila. Ao final do ciclo da cultura foram determinados os dados referentes a produtividade e o peso de 1000 grãos. A fitotoxicidade foi superior a 30% quando se aplicou o cloransulam e o chlorimuron, enquanto que para o fomesafem e o glyphosate a fitotoxicidade foram próximas a 5%, na ausência ou presença do fertilizante foliar. Não ocorreu diferença significativa para a produtividade de grãos, peso de 1000 grãos e umidade. A associação de herbicidas com fertilizante foliar a base de zinco não influenciou na seletividade dos herbicidas aplicados em pós-emergência na cultura da soja RR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBOTT LB & STERLING TM. 2013. African rue (Peganum harmala) seedling response to herbicides applied under water-deficit stress. Weed Science 54: 198-204.

ALONSO DG et al. 2013. Seletividade de Glyphosate isolado ou em misturas para soja RR em aplicações sequenciais. Planta Daninha 31: 203-212.

ALVARENGA DR et al. 2018. Interações entre herbicidas no manejo do milho RR voluntário. Revista Brasileira de Milho e Sorgo 17: 122-134.

ALIVERDI A et al. 2020. Weed control of glufosinate, oxyfluorfen, and paraquat as affected by the application time of day. Planta Daninha 38: 2-7.

ANDRADE CLL et al. 2020. Performance of soybeans with the application of glyphosate formulations in biostimulant association. Revista Caatinga 33: 371-383.

BAZZO JHB et al. 2021. Topdressing nitrogen fertilization associated with trinexapacethyl on industrial quality of oat grains. Revista Ceres 68: 47-54.

CARBONARI CA et al. 2012. Seletividade e absorção radicular do sulfentrazone em clones de eucalipto. Planta Daninha 30: 147-153.

CARVALHO LB. 2013. Herbicidas. 1.ed. Lages: Edição do autor (ISBN 978-85-912712-1-4).

CARVALHO ER et al. 2015. Foliar manganese in the health and lignin quality of conventional and glyphosate resistant soybean seeds. Revista Ciência Agronômica 46: 135-143.

CESCO VJS et al. 2018. Associations between herbicides and glyphosate in agronomic performance of RR2 Intact soybean. Planta Daninha 36: 1-8.

CONAB. 2020. Levantamento de grãos afirma produção acima de 250 milhões de toneladas na safra 2019/2020. Disponível em: https://www.conab.gov.br/ultimas-noticias/3371-levantamento-de-graos-confirma-producao-acima-de-250-milhoes-de-toneladas-na-safra-2019-2020. Acesso em: 21 ago. 2020.

DA CRUZ GG et al. 2019. Fertilizantes foliares, regulador de crescimento e glyphosate no crescimento vegetativo da soja tolerante ao glyphosate. Colloquium Agrariae 15: 55-62.

DE PAULA MTG. 2019. Adubação foliar na soja: quais os cuidados? Revista Campo e Negócios (online). Disponível em: https://revistacampoenegocios.com.br/adubacao-foliar-na-soja-quais-os-cuidados/. Acesso em: 09 nov. 2021.

DRANCA AC et al. 2018. Associações de herbicidas com fertilizante foliar e regulador vegetal em soja. Pesquisa Aplicada & Agrotecnologia 11: 69-80.

DU JARDIN P. 2015. Plant biostimulants: definition, concept, main, categories and regulation. Scientia Horticulturae 196: 3-14.

FAGAN EB et al. 2016. Fisiologia Vegetal: metabolismo e nutrição mineral. São Paulo: Editora Andrei. 305p.

FERREIRA EB et al. 2018. ExpDes. pt: pacote experimental designs (Portuguese). R package version 1.2.0.

FIETZ CR & FISCH GF. 2008. O Clima da Região de Dourados, MS. 2.ed. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste. 32p.

FORTE CT et al. 2017. Habilidade competitiva de cultivares de soja transgênica convivendo com plantas daninhas. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 12: 185-193.

FORTE CT et al. 2019. Effects of glyphosate and foliar fertilizers on the glyphosate resistant (GR) soybean. Australian Journal of Crop Science 13: 1251-1257.

GALON L et al. 2021. ‘BMX Ativa soybean responses after application of biofertilizer associated or not with glyphosate. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 16: 1-8.

GAZOLA T et al. 2016. Efeitos do diclosulam na soja cultivada em solos de diferentes classes texturais. Revista Brasileira de Herbicidas 15: 353-361.

GAZZIERO DLP. 2015. Misturas de agrotóxicos em tanques nas propriedades agrícolas do Brasil. Planta Daninha 33: 83-92.

GONÇALVES CG et al. 2018. Action of imazethapyr and lactofen on the nodulation of conventional and transgenic soybean under drought stress conditions. Planta Daninha 36: 1-11.

HANSEL FD & OLIVEIRA ML. 2016. Importância dos micronutrientes na cultura da soja no Brasil. Informações Agronômicas 153: 1-8.

HECKMAN JR et al. 1999. Application of Manganese Fertilizer with Postemergence Soybean Herbicides. Journal of Production Agriculture 12: 445-448.

MARQUES MER et al. 2014. Aspectos produtivos do uso de bioestimulantes na cultura da soja. Acta Iguazu 3: 155-163.

MEROTTO JÚNIOR A et al. 2015. Efeitos do herbicida glyphosate e da aplicação foliar de micronutrientes em soja transgênica. Bioscience Journal 31: 499-508.

MONTGOMERY GB et al. 2017. Effect of Time of Day of Application of 2,4-D, Dicamba, Glufosinate, Paraquat, and Saflufenacil on Horseweed (Conyza canadensis) Control. Weed Technology 31: 550-556.

OLIVEIRA FC et al. 2017. Diferentes doses e épocas de aplicação de zinco na cultura da soja. Revista de Agricultura Neotropical 4: 28-35.

PARSA M et al. 2013. Effect of the recommended and optimized doses of haloxyfop-P-methyl or imazethapyr on soybean Bradyrhizobium japonicum symbiosis. Industrial Crops and Products 50: 197-202.

PEREIRA CS et al. 2018. News Techniques for the Application of Herbicides on Soybean Crops. Planta Daninha 36: 1-7.

PROCÓPIO CCE et al. 2007. Utilização de chlorimuron-ethyl e imazethapyr na cultura da soja Roundup Ready®. Planta Daninha 25: 365-373.

R CORE TEAM. 2021. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. URL https://www.R-project.org/.

ROCKENBACH AP et al. 2018. Interferência entre plantas daninhas e a cultura: alterações no metabolismo secundário. Revista Brasileira de Herbicidas 17: 59-70.

SANTOS EF et al. 2017. Physiological highlights of manganese toxicity symptoms in soybean plants: Mn toxicity responses. Plant physiology and Biochemistry 113: 6-19.

SANTOS HG et al. 2018. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5.ed. Brasília: EMBRAPA. 590p.

SBCPD. 1995. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas. Procedimentos para instalação, avaliação e análise de experimentos com herbicidas. Londrina: SBCPD. 42p.

SUZUKI N et al. 2014. Abiotic and biotic stress combinations. New Phytologist 203: 32-43.

TAIZ L et al. 2017. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. Porto Alegre: Artmed.

VIDRINE RP et al. 2002. Evaluation of reduced rates of glyphosate and chlorimuron in glyphosate-resistant soybean (Glycine max). Weed Technology 16: 731-736.

WESTWOOD JH et al. 2018. Weed management in 2050: Perspectives on the future of weed science. Weed Science 66: 275-285.

WICKHAM H. 2016. ggplot2: elegant graphics for data analysis. New York: Springer. 213p.

XU S et al. 2018. Subcellular distribution of molybdenum, ultrastructural and antioxidative responses in soybean seedlings under excess molybdenum stress. Plant Physiology and Biochemistry 123: 75-80.

ZOBIOLE LHS et al. 2011. Glyphosate affects micro‐organisms in rhizospheres of glyphosate‐resistant soybeans. Journal of Applied Microbiology 110: 118-127.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

ALENCAR, E. da S. de; GEIST, M. L.; PEREIRA, J. P. M.; SCHEDENFFELDT , B. F.; NUNES, F. A.; SILVA, P. V. da; DUPAS, E.; MAUAD, M.; MONQUERO, P. A.; MEDEIROS, E. S. de. Seletividade de herbicidas pós-emergentes isolados ou associados a fertilizante foliar na cultura da soja . Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 4, p. 384-394, 2022. DOI: 10.5965/223811712142022384. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/21442. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)