Um ensino ilustrativo de teatro: raça, gênero, sexualidade e classe social em livros didáticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102472023e0202

Palavras-chave:

Livro didático, Novo Ensino Médio, Teoria Queer, Teatro na Educação Básica, Pedagogia das Artes Cênicas

Resumo

Este artigo analisou se o ensino de teatro tem tensionado as relações de poder dominantes e seus regimes regulatórios nas 54 obras didáticas aprovadas no Programa Nacional do Livro e do Material Didático - PNLD de 2021 para o Novo Ensino Médio - NEM, na área de Linguagens e suas Tecnologias. Buscou-se analisar, por meio da Teoria Queer e dos estudos de Gênero, se os livros didáticos lançam perspectivas críticas, nos conteúdos e atividades de teatro, por meio das categorias raça, gênero, sexualidade e classe social. A análise tem como objetivo auxiliar na elaboração de futuros livros didáticos, bem como contribuir para a formação de docentes nos cursos de licenciatura em Teatro. Concluiu-se que, a partir das categorias elencadas, o ensino de teatro se apresentou meramente ilustrativo nos livros didáticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Cruvinel, Federal Institute of Minas Gerais

Pós-Doutorado na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Pós-Doutorado em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo (USP).  Doutor em Artes pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Artes (UnB). Bacharel em Interpretação teatral (UnB). Licenciado em Artes Cênicas (UnB). Professor de Artes do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) - Campus Betim, do Programa de Mestrado Profissional em Artes (ProfArtes) e do Programa de Pós-graduação em Artes (PPG-Artes), ambos da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (EBA-UFMG).

Túlio Fernandes Silveira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestrando em Artes Cênicas na linha de pesquisa Pedagogia das Artes Cênicas do PPGAC da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Licenciado em Teatro pela UDESC. Professor de teatro, produtor cultural, pesquisador e ator.

Referências

ABAURRE, M. et al. Moderna plus: linguagens e suas tecnologias - Cotidiano e diversidade: linguagens, arte e corpo em ação. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2020a.

ABAURRE, M. et al. Moderna plus: linguagens e suas tecnologias - O Corpo se expressa: ação, drama e a força das palavras. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2020b.

BARROS, F. P. et al. Estações linguagens: rotas da cidadania. 1 ed. São Paulo: Ática, 2020a.

BARROS, F. P. et al. Estações linguagens: rotas da sustentabilidade. 1 ed. São Paulo: Ática, 2020b.

BARROS, F. P. et al. Estações linguagens: rotas do trabalho. 1 ed. São Paulo: Ática, 2020c.

BALLOUSSIER, A. V. Bancada evangélica celebra retirada de questão de gênero de base curricular. Folha de S. Paulo. São Paulo. 7 abr. 2017. Seção Educação. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2017/04/1873511-bancada-evangelica-celebra-retirada-dequestao-de-gênero-de-base-curricular.shtml?origin=folha. Acesso em: 2 nov. 2022.

BERGAMINI, C. et al. Palavras de linguagens e suas tecnologias: amor. 1 ed. São Paulo: Palavras Projeto Editoriais, 2020a.

BERGAMINI, C. et al. Palavras de linguagens e suas tecnologias: ciências. 1 ed. São Paulo: Palavras Projeto Editoriais, 2020b.

BERGAMINI, C. et al. Palavras de linguagens e suas tecnologias: povo e multiplicidade. 1 ed. São Paulo: Palavras Projeto Editoriais, 2020c.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, jan. 2003.

BRASÍLIA (DF). Edital de convocação nº 03/2019 – CGPLI. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas, literárias e recursos digitais para o programa nacional do livro e do material didático PNLD 2021. Brasília: Secretaria de Educação Básica, p.1-127, 27 novembro 2019.Disponível em: https://www.gov.br/fnde/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/programas/programas-do-livro/consultas-editais/editais/edital-pnld-2021/EDITAL_PNLD_2021_CONSOLIDADO_13__RETIFICACAO_07.04.2021.pdf. Acesso em 24 jan. 2023.

BUTLER, J. Regulações de gênero. Cadernos Pagu, Núcleo de Estudos de Gênero Pagu-Unicamp, Campinas, n. 42, p. 249-274, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-8333201400420249. Acesso em: 22 out. 2022.

CAMPOS, M. et al. Multiversos - linguagens: identidades: ensino médio. 1 ed. São Paulo: FTD, 2020a.

CAMPOS, M. et al. Multiversos - linguagens: no mundo do trabalho. 1 ed. São Paulo: FTD, 2020b.

COLLING, L. O que perdemos com os preconceitos? In: Revista Cult 202. Dossiê Ditadura Heteronormativa. Editora: Bregantini. n. 202, 2015.

GUIMARÃES, T. C. et al. Identidade em ação: linguagens e suas tecnologias - Linguagens na aldeia global. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2020.

HAIDER, A. Armadilha da identidade: raça e classe nos dias de hoje. São Paulo: Veneta, 2019.

LACERDA, L. Lei que estabelece ensino de história e cultura africana completa 20 anos com limitações. Folha de S. Paulo, São Paulo. 09 jan. 2023. Disponível em: https://folha.com/m9rh81eg. Acesso em: 23 jan. 2023.

LOURO, G. Teoria queer: uma política pós-identitária para a educação. In: HOLLANDA, Heloisa (org.). Pensamento feminista hoje: sexualidades no sul global. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

MELO, C. F. et al. Práticas de linguagens: mundo do trabalho. 1 ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020a.

MELO, C. F. et al. Práticas de linguagens: múltiplas vozes. 1 ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020b.

MELO, C. F. et al. Práticas de linguagens: perspectivas multiculturais. 1 ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020c.

MISKOLCI, R. A teoria queer e a questão das diferenças: por uma analítica da normalização. In: Congresso de Leitura do Brasil, (cole) 16, 2007. Campinas: ALB - Associação de Leitura do Brasil, v. 1. p. 1-19. 2007. Disponível em: https://alb.org.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais16/prog_pdf/prog03_01.pdf. Acesso em: 22 out. 2022.

MISKOLCI, R. Batalhas morais. Política identitária na esfera pública técnico-midiatizada. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

ORMUNDO, W. et al. Se liga nas linguagens - Experimenta Atuar!. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2020a.

ORMUNDO, W. et al. Se liga nas linguagens - Experimenta Dialogar!. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2020b.

ORMUNDO, W. et al. Se liga nas linguagens - Experimenta Enxergar!. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2020c.

POUGY, E. (org.). Ser protagonista: linguagens e suas tecnologias: culturas: ensino médio. 1 ed. São Paulo: Edições SM, 2020.

REA, C.; AMANCIO, I. Descolonizar a sexualidade: Teoria Queer of Color e trânsito para o Sul. Cadernos Pagu, Campinas, v. 53, p. 1-38, 2018.

SILVA, J. B. ZELESCO, G. Levantamento do Observatório do Conhecimento sobre o orçamento das universidades, da pesquisa e da ciência e tecnologia aponta que as perdas acumuladas com cortes orçamentários, desde 2015, chegaram a R$83 bilhões, em 2021. Observatório do Conhecimento, Rio de Janeiro. 2021. Disponível em: https://observatoriodoconhecimento.org.br/perdas-no-orcamento-do-conhecimento-podem-chegar-a-r-100-bilhoes-em-2022/. Acesso em: 2 nov. 2022.

SOTERO, M. et al. WEBSTER, M. (coord.). Interação linguagens: identidade: ser singular e plural. 1 ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2020a.

SOTERO, M. et al. WEBSTER, M. (coord.). Interação linguagens: diversidade: quem é você no mundo?. 1 ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2020b.

Downloads

Publicado

2023-07-24

Como Citar

CRUVINEL, Tiago; SILVEIRA, Túlio Fernandes. Um ensino ilustrativo de teatro: raça, gênero, sexualidade e classe social em livros didáticos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 47, p. 1–29, 2023. DOI: 10.5965/1414573102472023e0202. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23583. Acesso em: 21 maio. 2024.