A cena política, a política da cena: Reflexões sobre modernidade na arquitetura teatral alemã

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0207

Palavras-chave:

Espaço cênico. Teatro político. Teatro alemão. Modernidade. Arquitetura teatral.

Resumo

O presente trabalho teve como ponto de partida as proposições sobre espaço cênico trazidas pelo livro A revolução do teatro: conclusões sobre o Teatro dos Artistas de Munique do dramaturgo e encenador alemão Georg Fuchs. O artigo revisitou as arquiteturas teatrais desenvolvidas por artistas alemães do princípio do século XX e a partir delas, refletiu sobre as propostas políticas contidas nos trabalhos dos encenadores Max Reinhardt e Erwin Piscator. O objetivo aqui foi refletir sobre as relações entre espaço cênico e política, e como as mesmas foram determinantes na construção do teatro moderno.

Biografia do Autor

Beatriz Magno Alves de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Bacharel em Cenografia e Indumentária. Mestre em Artes Cênicas e Doutoranda em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Professora no Curso Técnico em Teatro do programa Mediotec da Fundação das Artes de São Caetano do Sul (FASCS).

Referências

ARONSON, Arnold. The theatres of the future. In: Theatre Journal, v.33, n.4. The John Hopkins University Press, 1981.

BERTHOLD, Margot. História mundial do teatro. Tradução de Maria Paula V. Zurawski, J. Guinsburg, Sérgio Coelho e Clóvis Garcia. São Paulo: Perspectiva, 2010.

DORT, Bernard. O teatro e sua realidade. Tradução de Fernando Peixoto. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

EISNER, Lotte H. A tela demoníaca: as influências de Max Reinhardt e do expressionismo. Tradução de Lúcia Nagib. Rio de Janeiro: Paz e Terra: Instituto Goethe, 1985.

FUCHS, Georg. Die Revolution des Theaters: ergebnisse aus dem Münchener künstler-theater. München und Leipzig: Georg Müller, 1909.

FUCHS, Georg. The revolution of the theatre: conclusions concerning the Munich Artists Theatre. Condensed and adapted from de german by Constance Connor Kuhn. N.Y/ London: Kennikat Press, 1959.

JELAVICH, Peter. Munich and Theatrical Modernism: Politics, Playwriting, and Performance, 1890-1914. Cambridge, Massachusetts, and London, England: Harvard University Press, 1996.

KOSS, Juliet. Empathy Abstracted: Georg Fuchs and the Munich Artists' Theater. Massachusetts, US, 2000, p. 362.

MOLINARI, Cesare. História do teatro. Tradução de Sandra Escobar. Lisboa: Edições 70 LDA, 2010.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Tradução sob direção de J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. 3.ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

PISCATOR, Erwin. Teatro político. Tradução de Aldo Della Nina. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

ROSENFELD, Anatol. História da literatura e do teatro alemães. São Paulo: Perspectiva, Editora da Universidade de São Paulo; Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1993.

ROUBINE, Jean-Jacques. Linguagem da encenação teatral. Tradução de Yan Michalski. 2ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

VIANA, Fausto. O figurino teatral e as renovações do século XX. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2010.

Downloads

Publicado

2021-03-21

Como Citar

Oliveira, B. M. A. de. (2021). A cena política, a política da cena: Reflexões sobre modernidade na arquitetura teatral alemã. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(40), 1-32. https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0207

Edição

Seção

Fluxo Continuo