A visão encarnada do espectador: Formas de perceber, habitar e criar paisagens

The embodied view of the spectator: Ways to perceive, inhabit and create landscapes

Autores

  • Laila Renardini Padovan Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200016

Palavras-chave:

Visão encarnada, Dança Contextual, Espectador, Paisagem

Resumo

Este trabalho teve como ponto de partida a problematização da relação entre corpo e espaço presente na dança realizada em salas de ensaio e em teatros italianos, questionando as ideias de um espaço neutro para o bailarino e de um único ponto de vista ideal para o espectador, e reconhecendo as relações de poder inerentes a essas espacialidades. A partir da reflexão sobre as criações em dança contextuais do projeto Corpo e Paisagem, defendeu-se a importância de práticas artísticas de posicionamento realizadas a partir de saberes localizados e de uma visão encarnada e contextualizada, para então rever os papéis do artista e do espectador e suas relações contemplativas e compositivas com a paisagem e com a obra artística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laila Renardini Padovan, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Mestre em Psicologia Clínica na USP. Doutoranda em Artes da Cena no Instituto de Artes da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Artista da dança independente, desenvolve criações contextuais em paisagens urbanas e da natureza, investigando novas formas de relação entre artista e espectador. Integrante da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros.

Referências

ARDENNE, Paul. Un Arte Contextual. Creación artística en medio urbano, en situación, de intervención, de participación. Tradução: Françoise Mallier. Múrcia: Ad Literam, 2004.

BARDET, Marie. A Filosofia da Dança: um encontro entre dança e filosofia. Tradução: Regina Schöpke e Mauro Baladi. São Paulo: Martins Fontes – selo Martins, 2014.

BESSE, Jean-Marc. Ver a Terra: seis ensaios sobre a paisagem e a geografia. Tradução: Vladimir Bartalini. São Paulo: Perspectiva, 2014.

CORNAGO, Óscar. La escena como marco público. Ejercicio de reflexión en tres tiempos. In: CORNAGO, Óscar; FERNANDES, Sílvia; GUIMARÃES, Julia (Org.). O Teatro como Experiência Pública. 1a. Edição – São Paulo: Hucitec, 2019.

DARDEL, Eric. O Homem e a Terra: natureza da realidade geográfica. Tradução: Werther Holzer. São Paulo: Perspectiva, 2015.

DESGRANGES, Flávio. A Inversão da Olhadela: alterações no ato do espectador teatral. São Paulo: Hucitec, 2012.

GODARD, Hubert. Entrevista com Hubert Godard, por Suely Rolnik. In: ROLNIK, Suely (Org.). Lygia Clark, da obra ao acontecimento. Somos o molde. A você cabe o sopro. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006.

HARAWAY, Donna. Saberes Localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. In: Cadernos Pagu n.5, Universidade de Campinas, 1995.

JARDIM, Juliana. Ensaios Ignorantes: nem cena nem aula. In: Org. CORNAGO, Óscar; FERNANDES, Sílvia; GUIMARÃES, Julia. O Teatro como Experiência Pública. 1a. Edição – São Paulo: Hucitec, 2019.

KWON, Miwon. Um Lugar após o Outro: anotações sobre site-specificity. Tradução: Jorge Menna Barreto. In: Arte e Ensaios n.17, 2008.

LEPECKI, André. Exaurir a Dança: performance e a política do movimento. Tradução: Pablo Assumpção Barros Costa. 1a. Edição – São Paulo: Annablume, 2017.

LEPECKI, André. Planos de Composição. In: GREINER, Christine; SANTO, Cristina E.; SOBRAL, Sonia (Org.). Cartografia Rumos Itaú Cultural Dança 2009-2010: Criações e Conexões. São Paulo: Itaú Cultural, 2010.

RANCIÈRE, Jacques. O Espectador Emancipado. Tradução Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

RANCIÈRE, Jacques. Política da Arte. Tradução: Mônica Costa Netto. In: Urdimento n. 15, 2010.

ROPA, Eugenia Casini. A Dança Urbana ou sobre a resiliência do espírito da dança. Tradução: Milton de Andrade. In: Urdimento n. 19, 2012.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4a. Edição – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2017.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Tradução: Lívia de Oliveira. Londrina: Eduel, 2012.

VALVERDE, Isabel. Los encantos del paisaje y el malestar de la representación. In: RINCÓN, Daniel López del (Ed.). Naturalezas Mutantes. Del Bosco al Bioarte. Vitoria-Gasteiz: Sans Soleil Ediciones, 2017.

VELOSO, Veronica Gonçalves. Percorrer a cidade a pé: ações teatrais e performativas no contexto urbano. Tese Doutorado – Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas – Escola de Comunicação e Artes / Universidade de São Paulo, 2017

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

PADOVAN, Laila Renardini. A visão encarnada do espectador: Formas de perceber, habitar e criar paisagens: The embodied view of the spectator: Ways to perceive, inhabit and create landscapes. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–33, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200016. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18165. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Espaços: configurações na cena brasileira e latino-americana