Arte como potência de si, a peça-conferência e o ator-epistemólogo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200031

Palavras-chave:

Peça-conferência, Teatro contemporâneo, Teoria queer, Decolonialidade, Ator-epistemólogo

Resumo

Nos últimos anos, a peça-conferência surgiu como um formato importante na prática do teatro contemporâneo. A partir de um processo genealógico que anuncia um possível lastro de identificação e reconhecimento, os autores exploram em recentes produções teatrais elementos e características que configuram essa prática teatral híbrida que incorpora elementos espaciais e materiais tanto da palestra acadêmica quanto da performance artística e sugerem a presença de um novo ator, o ator-epistemólogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Djalma Thürler, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Diretor artístico e dramaturgo da ATeliê voadOR Companhia de Teatro.  Pós-Doutoramento em Literatura e Crítica Literária pela PUC São Paulo. Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e Professor Associado II do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia. Doutor em Letras. Mestre em Ciência da Arte (UFF).

Duda Woyda, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutorando em Cultura e Sociedade na Universidade Federal da Bahia e investigador da ATeliê voadOR Teatro (http://www.atelievoadorteatro.com.br/).

Mariana Moreno, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Mestranda em Cultura e Sociedade na Universidade Federal da Bahia e investigador da ATeliê voadOR Teatro (http://www.atelievoadorteatro.com.br/).

Referências

BARTHOLO, Gilberto. 3 Maneiras de Tocar no Assunto’ – E muito mais que três motivos para se assistir ao espetáculo. Disponível em: https://rioencena.com/3-maneiras-de-tocar-no-assunto-e-muito-mais-que-tres-motivos-para-se-assistir-ao-espetaculo/. Acesso em 12/04/2020.

BORRILO, Daniel. Homofobia. In: Homofobia & Educação: um desafio ao silêncio. (Org.) Tatiana Lionço; Debora Diniz (Organizadoras). Brasília: LetrasLivres: EdUnB, 2009.

BOURCIER, Sam. Entrevista a Pedro Paulo Gomes Pereira. Revista Cult, São Paulo, Editora Bregantini, n.205, setembro 2015. p.11-15.

BRECHT, Bertolt. Teatro Dialético. Rio de Janeiro, Ed: Civilização Brasileira, 1967.

CATALÃO, Marco. Uma genealogia para a palestra-performance. Urdimento, v.1, n.28, p. 4-14, 2017.

CONCEIÇÃO, Jorge Wilson da. Distinções polifônicas na dramaturgia contemporânea: em cena a escrita colaborativa do Grupo XIX de Teatro. São Paulo. 2016. (Tese). Programa de Estudos Pós-Graduados em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

DELEUZE, G. O que é ser de esquerda. Disponível em: https://www.facebook.com/watch/?v=5979806103417941988-1989. Acesso em: 08/05/2020.

EPPS, Philomena. Xavier Le Roy, Product of Circumstances 2009. Case study, Performance At Tate: Into the Space of Art, Tate Research Publication, 2016. Disponível em: https://www.tate.org.uk/research/publications/performance-at-tate/case-studies/xavier-le-roy. Acessado em: 9/06/2020.

FADEL, Georgette. Georgette Fadel Estreia Afinação-Ajuste. Flertaí, 2017a. Disponível em: http://flertai.com.br/2017/05/georgette-fadel-estreia-afinacao-ajuste/. Acesso em: 08/06/2020.

__. Georgette Fadel invoca clima de sala de aula em ‘Afinação I’. Reviste Isto é, 13/01/17. 2017b Disponível em: https://istoe.com.br/georgette-fadel-invoca-clima-de-sala-de-aula-em-afinacao-i/. Acesso em: 08/06/2020.

__. Peça com Georgette Fadel transforma o teatro em "sala de aula". 12/09/2017. GZH. 2017c. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/espetaculos/noticia/2017/09/peca-com-georgette-fadel-transforma-o-teatro-em-sala-de-aula-9896078.html. Acesso. em: 08/06/2020.

FERRER, Maria Clara. O desempenho da escuridão. Revista Sala Preta. Vol. 14. n. 2, 2015.

FOLHA DE SÃO PAULO. Montagem curitibana de obra de Denis Guénoun estréia hoje. "Carta Aberta" propõe reflexão sobre o teatro. 03/082019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/acontece/ac0308200001.htm. Acesso em: 12/03/2020.

_____. Atriz camaleônica, Mariana Lima se divide entre emoção e razão em peças e filmes. 21/08/2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/08/atriz-camaleonica-mariana-lima-se-divide-entre-emocao-e-razao-em-pecas-e-filmes.shtml. Acesso em 12/03/2020.

FOUCAULT, Michel. Genealogía del Racismo. Trad. Alfredo Tzveibel. Buenos Aires: Editorial Altamira, Coleccion Caronte Ensayos, 1993.

GARCIA, Silvana. A dramaturgia dos anos 1980/1990 In: GUINSBURG, J., FARIA, João Roberto e LIMA, Mariângela Alves de (Coord.). Dicionário do teatro brasileiro: temas, formas e conceitos. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Perspectiva: Edições SESC SP, 2009.

GUZMÁN, Boris Ramírez. Colonialidad e cis-normatividade. Entrevista con Viviane Vergueiro. Disponível em: https://iberoamericasocial.com/wp-content/uploads/2015/01/Ram%C3%ADrez-B.-2014.-Colonialidad-e-cis-normatividade.-Entrevista-con-Viviane-Vergueiro..pdf. Acesso em:12/03/2020.

HANTY, Rita Von. Pode um professor ser Drag Queen? 2019. (07m51s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4x44M45hDyU&feature=emb_logo. Acessado em 13/05/2020.

HANSEN, João Adolfo. Arte da Aula. In: CORDEIRO, Denilson Soares; FURTADO, Joaci Pereira (Org.). São Paulo: Edições SESC São Paulo, 2019.

KILOMBA, Grada. Memórias de plantação – Episódios de racismo cotidiano. Trad. Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

KINAS, Fernando César. O lugar da ficção. São Paulo; Paris, 2010. (Tese) Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo; École doctorale Arts et Médias, Université Sorbonne Nouvelle.

LE ROY, Xavier. Score for the Product of Circumstances, 1999. Disponível em: http://www.xavierleroy.com/page.php?id=63e83a12f776477d633187bdfbdb1c24c130da87&lg=en. Acesso em 13/04/2020.

LIMA, Mariana. Cérebro_Coração. 2018. Disponível em: https://esquemanovo.com.br/eventos/cerebro_coracao/. Acesso em 08/06/2020.

_________. Mariana Lima encena Cérebro_Coração no Sesc Piracicaba. Jornal de Piracicaba. 2019. Disponível em: https://www.jornaldepiracicaba.com.br/mariana-lima-encena-cerebro_coracao-no-sesc-piracicaba/. Acesso em 08/06/2020.

LOURO, G. L. 2010. Pedagogia da sexualidade. In LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica.

MACIEL, Nahima. Georgette Fadel traz monólogo sobre opressão para o Cena Contemporânea. Correio Braziliense. 2017. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2017/08/30/interna_diversao_arte,621819/georgette-fadel-monologo-afinacao.shtml. Acesso em: 08/06/2020.

MISKOLCI, Richard. Não somos, queremos: notas sobre o declínio do essencialismo estratégico. In: Stonewall 40 + o que no Brasil? Leandro Colling (Org.). Salvador: EDUFBA, 2011.

PESSOA, Patrick. Crítica: 3 maneiras de tocar no assunto. Jornal O Globo, 10/10/2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/rioshow/critica-3-maneiras-de-tocar-no-assunto-24008935 Acesso em: 04/06/2020.

PELÚCIO, Larissa. É o que tem pra hoje – Os limites das categorias classificatórias e as possíveis novas subjetividades travestis. In: Stonewall 40 + o que no Brasil? Org. Leandro Colling. Salvador: EDUFBA, 2011.

PRECIADO, Paul B. Cartografias “queer”: o “flâneur” perverso, a lésbica topofóbica e a puta multicartográfica, ou como fazer uma cartografia “zorra”. Revista Performatus, Ano 5, n.17, 2017.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In:

LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências

sociais. Buenos Aires: Perspetivas latino-americanas CLACSO, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. Política da arte. Disponível em: https://territoriosdefilosofia.wordpress.com/2014/05/30/politica- da-arte-jacques-ranciere/. 2014. Acesso em: 23/4/2020.

ROCHA, Rafael. Tairone Vale apresenta o monólogo “Versão Demo” no Teatro Espanca! O ator juiz-forano faz sua estreia em Belo Horizonte com um trabalho que inspira-se nas representações da figura do Diabo. Jornal O tempo, 2019. Disponível em: https://www.otempo.com.br/diversao/tairone-vale-apresenta-o-monologo-versao-demo-no-teatro-espanca-1.2182532. Acesso em: 08/06/2020.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição – notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1 edições, 2018.

ROUBINE, Jean-Jacques. A Linguagem da Encenação Teatral. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1998.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Encarnar fantasmas que falam In: Revista Cena, Porto Alegre, n.6, 2008.

_________. Para ler o teatro contemporâneo. São Paulo, Ed: Martins Fontes, 2013.

SARRAZAC, Jean-Pierre. El impersonaje: Una relectura de La crisis del personaje. Literatura: teoría, historia, crítica, n.8, 2006.

SILVA, Tomás Tadeu da. Orelha do livro “Um corpo estranho – ensaios sobre sexualidade e teoria queer”. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

SEGATO, Rita. Contra-Pedagogías de la crueldade. Cidade Autônoma de Bienos Aires: Prometeo Libros, 2018.

SMALL, Daniele Avila. Para mastigar o teatro. Notas sobre o Fringe e o Edinburgh Showcase. British Council 2019. In: http://www.questaodecritica.com.br/2019/11/fringe2019/. Acesso em 24/05/2020.

The CAPITAL Centre. The Art of Laughter with Jos Houben. The University of WarWick, 2007. Disponível em: https://warwick.ac.uk/fac/cross_fac/capital/teaching_and_learning/learning_events/masterclasses/jos/. Acesso em: 25/03/2020.

THÜRLER, Djalma. “Sabedoria é desaprender” – notas para a construção de uma política cultural das margens. SILVA, Gimima, PUGA, Lúcia, RIOS, Otávio (Org.). In: Alfabetização política, relações de poder e cidadania: perspectivas interdisciplinares. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018.

_______________. Cabaré Vibrátil. Texto do espetáculo homônimo. Salvador: Cópia digital, 2019.

ZANON, Camila Aline. Ondem vivem os monstros. Criaturas prodigiosas na poesia de Homero e Hesíodo. São Paulo: Humanitas, 2018.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

THÜRLER, Djalma; WOYDA, Duda; MORENO, Mariana. Arte como potência de si, a peça-conferência e o ator-epistemólogo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–31, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200031. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/17978. Acesso em: 19 jul. 2024.