Os Colégios de Aplicação no sistema educacional brasileiro: contexto de criação e reverberações no ensino de Teatro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200042

Palavras-chave:

Educação básica, Universidade pública, Formação de professores, Teatro na escola

Resumo

O artigo reflete sobre as condições de emergência dos Colégios de Aplicação (CAPs) no país, a partir de um apanhado histórico de sua criação e do seu papel na formação docente e discente. Relaciona-se sua fundação a transformações educacionais almejadas nas primeiras décadas do século XX. Os CAPs são idealizados como campo de prática e pesquisa docente para estudantes dos cursos de Didática, o que lhes confere natureza diferenciada e, em certa medida, elitista. O texto encerra com uma reflexão sobre a realidade do CAp/UFRGS, no que se refere ao ensino de Teatro, evidenciando condições favoráveis ao trabalho pedagógico e à aprendizagem de conhecimentos relacionados a essa área artística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

William Fernandes Molina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professor de Teatro no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (CAp/UFRGS).  Mestre em Artes Cênicas pelo PPGAC/UFRGS (2016). Doutorando em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAC/UFRGS)  sob orientação da Prof. Dra. Vera Lúca Bertoni dos Santos.

Vera Lúcia Bertoni dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora Doutora Associada e pesquisadora vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) e ao Departamento de Arte Dramática (DAD) do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

Referências

BARCELLOS, Joycimar. Relação escola e religião na década de 30: o impacto do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. In: XII EDUCERE - Congresso Nacional de Educação, 2015, Curitiba/ PR. Anais do XII EDUCERE. Curitiba/PR: Editora Universitária Champagnat, p. 793-804, 2015.

BENITES, Letícia Neutzling. Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Processos Inclusivos: trajetórias de alunos com necessidades educativas especiais. 2006. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

BRASIL. Decreto-lei nº 1.190 de 04 de abril de 1939. Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Diário Oficial da União: seção 1, p. 7929, 06 abr. 1939.

BRASIL. Decreto-lei nº 9.053, de 12 de março de 1946. Cria um ginásio de aplicação nas Faculdades de Filosofia do País. Diário Oficial da União: seção 1, p. 3693, 14 mar. 1946.

BRASIL. Decreto-lei 19.941, de 30 de Abril de 1931. Dispõe sobre a instrução religiosa nos cursos primário, secundário e normal. Diário Oficial da União: seção 1, p. 7191, 06 maio 1931.

BRASIL. Decreto-lei 9.092, de 26 de março de 1946. Amplia o regime didático das faculdades de filosofia, e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, p. 4565, 28 mar. 1946.

BRASIL. Ministério da Educação. Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959). Fernando de Azevedo... [et al.]. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Repensando as Escolas de

Aplicação: Plano decenal de educação para todos (1993-2003). Brasília, DF, 1993.

BRASIL. Portaria nº 959 de 27 de setembro de 2013. Estabelece as diretrizes e normas gerais para o funcionamento dos Colégios de Aplicação vinculados às Universidades Federais. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 189, p. 9, 30 set. 2013.

BOMENY, Helena. Quando os números confirmam impressões: desafios na educação brasileira. Rio de Janeiro: CPDOC, 2003. 29f. Disponível em: <https://cpdoc.fgv.br/producao_intelectual/arq/1354.pdf>. Acesso em: 09 jan. 2020.

CAMPOS, Ernesto de Souza. Colégios de Aplicação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Vol. XXVIII, n. 67, p. 233-240, 1957.

CORREIA, Eveline Soares. Colégios de Aplicação Pedagógica: sua história e seu papel no contexto educacional brasileiro. Rev. Eletrônica Pesquiseduca, v. 09, n.17, jan/abr, p. 116-129, 2017.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. A Universidade no Brasil: das origens à Reforma Universitária de 1968. Educar em Revista, v. 1, p. 17-36, 2006.

FRANGELLA, Rita de Cássia Prazeres. Colégio de Aplicação e a instituição de uma nova lógica de formação de professores: um estudo histórico no Colégio de Aplicação da Universidade do Brasil. Anais do I Congresso Brasileiro de História da Educação, 2000, Rio de Janeiro. I Congresso Brasileiro de História da Educação. Rio de Janeiro: Gráfica Scortecci, v. 1, p. 375-376, 2000.

KINPARA, Minoru Martins. Colégio de aplicação e a prática de ensino: questões atuais. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Campinas. Campinas: UNICAMP, 1997.

KOUDELA, Ingrid Dormien (Org.); ALMEIDA JUNIOR, José Simões (Org.). Léxico de Pedagogia do Teatro. São Paulo: Perspectiva: Escola de Teatro, 2015.

KOUDELA, Ingrid Dormien; SANTANA, Arão Nogueira Paranaguá de. Abordagens metodológicas do teatro na educação. Ciências Humanas em Revista, São Luís, v. 3, n.2, p.145-154, dez. 2005. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/2010/Arte/artigos/metodo_teatro.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2020.

OLGA REVERBEL. Enciclopédia Itaú Cultural. 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa513967/olga-reverbel>. Acesso em: 01 set. 2019.

SANTANA, Arão Nogueira Paranaguá de. Os saberes escolares, a experiência estética e a questão da formação docente em artes. Lamparina, Belo Horizonte, v.1, n.1, 2010. Disponível em: <https://www.eba.ufmg.br/lamparina/index.php/revista/article/view/15/6>. Acesso em: 03 mar. 2020.

SANTANA, Arão Nogueira Paranaguá de. Trajetória, avanços e desafios do teatro-educação no Brasil. Sala Preta (USP), São Paulo, v. 2, p. 143-154, 2002. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/57098/60086>. Acesso em: 03 mar. 2020.

SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Possibilidades e desafios da iniciação à docência em teatro na Educação Básica. Urdimento, v.1, n.18, p.77-83, 2012a.

SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Shakespeare enfarinhado: estudos sobre teatro, jogo e aprendizagem. São Paulo: Hucitec, 2012b.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

MOLINA, William Fernandes; SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Os Colégios de Aplicação no sistema educacional brasileiro: contexto de criação e reverberações no ensino de Teatro. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–26, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200042. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/17277. Acesso em: 23 maio. 2024.