Trisha Brown e as artes visuais: movimentos artísticos em contato

Autores

  • Giovana Beatriz Manrique Ursini Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103302017036

Resumo

Esse artigo tem por objetivo mostrar como Trisha Brown (1936-2017) explorou instrumentos das artes visuais em suas obras de dança contemporânea. Primeiro, os recursos das artes visuais serviram como elementos cênicos em suas peças, como em Planes (1968). Depois, Brown começou a desenvolver desenhos para auxiliar na memorização coreográfica e na pesquisa de movimento. A coreógrafa desenvolveu também a série It's a Drawn onde utiliza o seu corpo como ferramenta para a pintura. Esses encontros com as artes visuais enriqueceram sua dança, ajudando no estudo corporal e na construção coreográfica. Além dos trabalhos idealizados por Brown, outras produções, como as de Merce Cunningham e Simone Forti, também são citadas ao longo do estudo para se pensar no contato das artes visuais na dança contemporânea.

Biografia do Autor

Giovana Beatriz Manrique Ursini, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC

Giovana Beatriz Manrique Ursini é mestra em Estudos da tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bacharela em Artes Cenicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente, é doutoranda em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

Manrique Ursini, G. B. (2017). Trisha Brown e as artes visuais: movimentos artísticos em contato. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 3(30), 036-055. https://doi.org/10.5965/1414573103302017036

Edição

Seção

Fluxo Continuo