Sonhos trans(bordados): pesquisa, feitura e reverberações

Autores

  • Ana Flavia da Fonte Netto de Mendonça Universidade do Porto
  • Maria Betânia e Silva

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614342022293

Palavras-chave:

Processo criativo, Memória, Sonhos

Resumo

O presente artigo tem como objetivo refletir sobre o processo criativo da obra “Sonhos trans(bordados)”, elaborada entre os anos de 2020 e 2021, durante a pandemia da COVID-19. Através da narrativa autobiográfica e da metodologia a/r/tográfica, a autora narra e reflete sobre a pesquisa, a criação artística e as reverberações educativas do seu trabalho, com a intenção de fomentar, em sua comunidade, a ideia de preservação da memória dos sonhos. O bordado livre é a técnica escolhida para este “trabalho de aranha” de construção de redes e, também, para o desafio das representações imagéticas, emaranhando texto, arte têxtil, sonhos e utopias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORRE, Luciana. Bordando afetos na formação docente. Conceição da feira: Andarilha Edições, 2020.

BOSI, Ecléa. Memória: enraizar-se é um direito fundamental do ser humano. [Entrevista concedida a Mozahir Salomão Bruck]. Dispositiva - Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Faculdade de Comunicação e Artes da PUC Minas, Minas Gerais, v.1, n. 2, p. 196-199, nov., 2012.

CARROLL, Lewis. Aventuras de Alice no País das Maravilhas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Passagens, 1992.

FOUCAULT, Michel. O governo de si e dos outros: curso no Collège de France (1982-1983). São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia dos sonhos possíveis. Organização Ana Maria Araújo Freire. Rio de Janeiro / São Paulo: Paz e Terra, 2018.

GURSKI, Claudia. A oniropolítica e a “peste” freudiana. In: Dossiê Sonhos Aprisionados: com que sonharam os brasileiros em 2020. Cult – Revista Brasileira de Cultura, São Paulo, ano 24, edição 266, fevereiro de 2021.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes, 2017.

HERNÁNDEZ, Fernando. A pesquisa baseada nas artes: propostas para repensar a pesquisa educativa. In: DIAS, Belidson; IRWIN, Rita (Orgs.). Pesquisa Educacional Baseada em Artes: A/r/tografia. Santa Maria: Editora UFSM, 2013, p. 27-35.

IRWIN, Rita. A/r/tografia. In: DIAS, Belidson; IRWIN, Rita (Orgs.). Pesquisa Educacional Baseada em Artes: A/r/tografia. Santa Maria: Editora UFSM, 2013, p. 27-35.

KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

LAROSSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Jan/Fev/Mar/Abr, n 19, p 20-28, 2002.

LUERSEN, Paula. A memória na arte contemporânea: em busca de passados presentes. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISA EM ARTE E CULTURA VISUAL: ARQUIVOS, MEMÓRIAS, AFETOS, VIII., 2015, Goiânia. Anais... Goiânia, UFG/ Núcleo Editorial FAV, 2015. p.726-736

MARQUES, Valéria; SATRIANO, Cecilia. Narrativa autobiográfica do próprio pesquisador como fonte e ferramenta de pesquisa. Linhas Críticas, Brasília, DF, v.23, n.51, p. 369-386, jun-set, 2017.

MENDONÇA, Ana Flávia. O livro dos sonhos bordados (livro eletrônico). Recife: Edição da Autora, 2021. Disponível em: https://www.anaflaviamendonca.com.br/o-livro-dos-sonhos-bordados/. Acesso em 30/06/2021.

RIBEIRO, Sidarta. O oráculo da noite: a história e a ciência do sonho. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

SMITH, Patti. Só garotos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SMITH, Patti. Linha M. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SMITH, Patti. Devoção. São Paulo: Companhia das Letras, 2019a.

SMITH, Patti. O ano do macaco. São Paulo: Companhia das Letras, 2019b.

Decreto Nº 48.810 de 16/03/2020, do Governo de Pernambuco. Disponível em: < http://web.transparencia.pe.gov.br/ckan/dataset/legislacao-covid-19/resource/eb46cb7d-c36b-4a95-b8f4-abfdc91cc25f >. Acesso em 25/04/2021.

Downloads

Publicado

2022-09-01

Como Citar

DA FONTE NETTO DE MENDONÇA, A. F.; E SILVA, M. B. Sonhos trans(bordados): pesquisa, feitura e reverberações . Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 34, p. 293-313, 2022. DOI: 10.5965/2175234614342022293. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/21127. Acesso em: 6 out. 2022.