Ensino de artes e formação de professores e professoras no recôncavo da Bahia

Autores

  • Rosana Soares Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614322022153

Palavras-chave:

Formação de professores, Ensino de arte, Emancipação, Recôncavo baiano

Resumo

O texto apresenta dados de uma pesquisa em andamento sobre o ensino da arte e a formação de professores e professoras de arte no recôncavo baiano. Em consonância com as pesquisas do Observatório da Formação de Professores no âmbito do Ensino de Arte (OFPEA/BRARG) e apontou-se lacunas existentes na perspectiva do ensino de arte e da formação docente para a emancipação. Os dados apresentados são oriundos do projeto de pesquisa intitulado “Formação de Professores de Artes Visuais no Recôncavo Baiano: Limites em expansão sob a luz da Pedagogia Histórico-Critica” iniciado em 2018, registrado no Centro de Artes, Humanidade e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Sem financiamento, a pesquisa se desenvolve com a adesão voluntária dos discentes do curso de licenciatura em artes visuais. Utilizou-se dois instrumentais de coleta de dados denominados “diagnostico escolar” e “práticas teóricas e metodológicas do ensino da arte”. Nessa primeira aproximação de análise dos dados temos um ensino de arte diluído em atividades artísticas, a utilização de atividades de artes como estratégia metodológica para aprendizagem de outros componentes. Registrou-se ainda a ausência de docentes formados em artes, carga horária insuficiente e ou ausente nas etapas de ensino da educação básica. Aponta-se a urgência da transformação radical no ensino de arte no recôncavo baiano e a ampliação do diálogo com a cultura popular.

Referências

Bacharelado em Artes Visuais. Projeto Político Pedagógico do curso. Disponível em: https://www2.ufrb.edu.br/artesvisuais/. Acesso em 27/07/2021

BOURDIEU Pierre. Gostos de Classe e Estilos de Vida in ORTIZ, Renato (org.). 1983. Bourdieu – Sociologia. São Paulo: Ática. Coleção Grandes Cientistas Sociais, vol. 39. p.82-121.

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana/ Newton Duarte — 2. ed. rev. e ampl. — Campinas, SP: Autores Associados, 2001. (Coleção educação contemporânea).

Licenciatura em Artes Visuais. Projeto Político Pedagógico do curso. Disponível em: https://ufrb.edu.br/lic-artesvisuais/. Acesso em 27/07/2021.

LUKACS, György. Introdução a uma Estética Marxista. Sobre a categoria da particularidade. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. Rio de Janeiro: civilização Brasileira, 1968.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Cultura, arte e literatura: textos escolhidos. Tradução de Jose Paulo e Miguel Makoto Cavalcanti Yoshida. 1.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

MÉSZÁROS, Istvan. Marx: a teoria da alienação. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SUBTIL, Maria José Dozza. Reflexões sobre Ensino de Arte: recortes históricos sobre políticas e concepções. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.41, p. 241-254, mar. 2011.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

SOARES, R. Ensino de artes e formação de professores e professoras no recôncavo da Bahia. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 153-167, 2022. DOI: 10.5965/2175234614322022153. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/21070. Acesso em: 25 jan. 2022.