Costurando conversas de varanda: expressões ornamentais, subjetivas e memoriais em fachadas e palavras da cidade de papel.

Autores

  • Fernanda Guimarães Goulart Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612272020100

Palavras-chave:

ornamento, artes gráficas, arquitetura, memória, narrativa

Resumo

Este artigo toma como alicerce o projeto "Urbano Ornamento: um inventário de grades ornamentais em Belo Horizonte (e outras belezas)", que resultou na tese de doutorado da autora e  em livro homônimo, e que tem como produto um exaustivo inventário de desenhos vetoriais que reproduzem modelos da serralheria artística integrada à arquitetura na capital mineira. O objetivo é circunscrever como objeto de análise as recorrentes tipologias arquitetônicas encontradas no trabalho de campo, nomeadas aqui de casas patchwork. Essas moradias que conjugam azujelos e grades ornamentais em suas fachadas, bem como as entrevistas que realizamos com seus moradores são, aqui, um pretexto para refletir sobre a sobrevivência do ornamento no espaço urbano atual, tomando como base sua dimensão popular, as narrativas urbanas e a relação entre imaginação e memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Guimarães Goulart, Universidade Federal de Minas Gerais

Artista gráfica, designer e professora adjunta na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, desde 2006, na área de Artes Gráficas.

Referências

ALBERTI, Leone Battista; ESPÍRITO SANTO, Arnaldo Monteiro do; KRÜGER, Mario Júlio Teixeira. Da arte edificatória. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2011.

CHACHAM, Vera; DUTRA, Eliana Regina de Freitas. A memória dos lugares em um tempo de demolições : a Rua da Bahia e o Bar do Ponto na Belo Horizonte das décadas de 30 e 40. 1994. 257 f., enc. : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Sociologia.

DEL NEGRO, Carlos. Do Ornamento. Rio de Janeiro : Graf. da Universidade do Brasil, 1961.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

FREIRE, Cristina. Além dos mapas: os monumentos no imaginário urbano contemporâneo. São Paulo: Annablume: FAPESP: SESC São Paulo, 1997.

GOMBRICH, E.H. El sentido del orden. Estudio sobre la psicología de las artes decorativas. London: Phaidon, 2010.

GUIMARAES, Dinah; CAVALCANTI, Lauro. Arquitetura kitsch suburbana e rural. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

HUCHET, Stéphane. Horizonte tectônico e campo “plástico” – de Gottfried Semper ao Grupo Archigram – pequena genealogia fragmentária. In: MALARD, Maria Lúcia (org.). Cinco textos sobre arquitetura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

___. Paradigmas arquiteturais e seus devires (II): Eisenman, Tschumi e outros. In: Desígnio. Revista de arquitetura e urbanismo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, FAU/USP, no2, setembro de 2004, p. 115-130.

LE CORBUSIER. A arte decorativa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

PAIM, Gilberto. A beleza sob suspeita: o ornamento em Ruskin, Lloyd Wright, Loos, Le Corbusier e outros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

PATETTA, Luciano. Considerações sobre o ecletismo na Europa. In: FABRIS, Annateresa (org.). Ecletismo na Arquitetura Brasileira. São Paulo: Nobel; Editora da Universidade de São Paulo: 1987.

PINHEIRO, Maria Lucia Bressan; D’AGOSTINO, Mário Henrique. A noção de pitoresco no debate cultural das primeiras décadas do século XX no Brasil. In: Desígnio. Revista de arquitetura e urbanismo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, FAU/USP, no1, março de 2004. Pp. 119-127.

SALGUEIRO, Eliana. O ecletismo em Minas Gerais: Belo Horizonte 1894-1930. In: FABRIS, Annateresa (org.). Ecletismo na Arquitetura Brasileira. São Paulo: Nobel; Editora da Universidade de São Paulo: 1987.

SMEETS, René. Signos, símbolos e ornamentos. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1982.

ZUMTHOR, Paul. Performance recepção leitura. São Paulo: Educ, 2000.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

GOULART, F. G. Costurando conversas de varanda: expressões ornamentais, subjetivas e memoriais em fachadas e palavras da cidade de papel. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 27, p. 100-119, 2020. DOI: 10.5965/2175234612272020100. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/17267. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Seção temática