Do íntimo ao compartilhado: fotoperformance como meio de tocar na ferida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614322022361

Palavras-chave:

Fotoperformance, Fotografia, Ansiedade, Corpo na arte

Resumo

A fotoperformance intitulada Rotina é composta por 8 fotografias que exploram a performatividade dentro de um tema contemporâneo: a ansiedade. Corpo, fotografia e pós-produção digital se mesclam para dar origem à fotoperformance.

Biografia do Autor

Tatiana Maria de Aguiar Tavares, Universidade Estácio de Sá

Professora de Artes. Formada em Licenciatura em Artes Visuais pelo Instituto Federal do Ceará, Campus Fortaleza (IFCE). Atualmente cursa MBA em História da Arte na Estácio. Faz pesquisa no campo da História da Arte e Fotografia. Na perspectiva fotográfica, tem uma relação mais próxima com a fotoperformance. Participante do Coletivo Mulheres da Imagem - CE e Estufa. Também participa do Programa Sol para mulheres.

Referências

BARROS, R. Elogio ao toque. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ: Relacionarte, 2016.

RIVERA, T. Arte e psicanálise. 2 ed. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar, 2002.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

TAVARES, T. M. de A. Do íntimo ao compartilhado: fotoperformance como meio de tocar na ferida. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 361-370, 2022. DOI: 10.5965/2175234614322022361. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/16850. Acesso em: 25 jan. 2022.