Teatralidades para infâncias confinadas: jogos, narrativas e outras poéticas visuais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/23580925242020104

Palavras-chave:

teatralidade, infância, confinamento

Resumo

Este relato de experiência narra, descreve e comenta os caminhos que levaram à criação de um experimento teatral tecno-vivial, vivido junto a crianças com idades entre 07 e 12 anos, a partir de encontros virtuais realizados por videoconferência. Foram propostas práticas criativas vividas coletivamente com grupo de 10 participantes, durante o período de 1 hora. Tais práticas foram foram pautadas em enunciados fundamentados em exercícios criativos de improvisação, contação de histórias e tiveram como matéria-prima a relação com o brincar. Esta proposta criativa surgiu no contexto de isolamento social, que passou a permear a vida cotidiana, em escala mundial, no ano de 2020. O texto contribui ao desvelar os caminhos inventados e reflexões feitas na direção de uma prática que pense a relação com a criança e uso inventivo da tecnologia.

Biografia do Autor

Charles Valadares, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutorando (2020-2023) no Programa de Pós-Graduação em Artes (EBA-UFMG), na linha de pesquisa Artes da Cena.  É ator e professor de teatro, com estudos voltados para as relações entre Teatro e infância. Atualmente é arte-educador no Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS). E-mail: charles.ufmg.valadares@gmai.com.

Raysner de Paula, Universidade Federal de Minas Gerais

É professor de Teatro Licenciado pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009-2014), com prática expressiva de ensino para crianças e jovens desde 2010. É ator e também dramaturgo, tendo desenvolvido trabalhos de dramaturgia a partir de distintos procedimentos e para diversos artistas e coletivos brasileiros. E-mail: paraoraysner@gmail.com.

Referências

DUBATTI, J. Arte, Convívio e Tecnovívio. In: CARREIRA, A. L. A. N.; BIÃO, A. J. C; TORRES, W. L. (Orgs.). Da Cena Contemporânea. Porto Alegre: ABRACE, 2012. p. 13-35.

MACHADO, M. M. A criança é performer. Revista Educação e Realidade, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 115-137, ago. 2010a

MACHADO, M. M. Merleau-Ponty & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010b.

WINNICOTT, D. W. Por que as crianças brincam? In: A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: LTC, 1979.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

VALADARES TOMAZ DE ARAÚJO, C.; DE PAULA SILVA, R. . Teatralidades para infâncias confinadas: jogos, narrativas e outras poéticas visuais. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 24, p. 104-114, 2020. DOI: 10.5965/23580925242020104. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/18630. Acesso em: 18 set. 2021.