Os bonecos de Obraztsov se recusam a falar

Autores

  • Isabella Irlandini Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701192018074

Resumo

As explorações e o dilema de Sergei Obraztsov (1901-1992) com a voz no seu teatro de bonecos nos permitem entender a relação poética entre voz e boneco, assim como nos ajuda a compreender por que o Teatro de Animação, depois da Segunda Grande Guerra Mundial, relegou a voz a um segundo plano em relação à forma e ao movimento do boneco, ainda que a voz seja de extrema importância no teatro de bonecos tradicional.

Palavras-chave: Obraztsov. Petrushka. Voz. Teatro de Bonecos Tradicional. Teatro de Animação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Irlandini, Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC

Pesquisadora, diretora teatral e atriz. Graduada em Teoria Teatral no Bacharelado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atriz pelo Centro de Artes de Laranjeiras (CAL) no Rio de Janeiro. Mestrado em Religião Comparada pela University of California at Santa Barbara nos EUA (UCSB) com foco em Teatro-RitualPerformance na Ásia do Sul e no Extremo Oriente e mestrado em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) com a pesquisa A Voz no Teatro de Animação: Artificialidade e Síntese Vocal. Atualmente é doutoranda na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e pesquisa Voz, Teorias de Gênero, Canto Harmônico e Voz Expandida.

Downloads

Publicado

2018-11-30

Como Citar

IRLANDINI, Isabella. Os bonecos de Obraztsov se recusam a falar. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 19, p. 074–102, 2018. DOI: 10.5965/2595034701192018074. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701192018074. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos fora do Dossier Temático