Do objeto à figura e da imagem à forma

Autores

  • Ana Maria Amaral Universidade de São Paulo – USP (São Paulo)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701122014110

Resumo

A partir das acepções que as Vanguardas Históricas Europeias despertaram no início do Século XX, este artigo se propõe a refletir sobre as perspectivas que, na época, o teatro de bonecos manifestava, seja como: teatro de animação, de objetos, teatro de imagens e/ou teatro visual. O estudo é ilustrado com experimentações e espetáculos do Grupo Casulo – BonecObjeto, de São Paulo. São destacadas as influências no Grupo, visíveis nas suas montagens, sob o ponto de vista técnico, estético e simbólico caracterizando a heterogeneidade de suas criações.

Palavras-chave: Teatro de Animação. Teatro de Imagens. Teatro Visual. Teatro de Objeto. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Amaral, Universidade de São Paulo – USP (São Paulo)

Diretora teatral, dramaturga e pesquisadora. Professora titular da Universidade de Sao Paulo – USP. Fundadora do Grupo O Casulo – BonecObjeto. Tem pesquisado principalmente os seguintes temas: teatro, teatro de animacao, teatro de bonecos, poesia e ator. E autora de diversos artigos e livros que ajudaram a criar uma nova maneira de ver o teatro de animacao no Brasil, dentro dos quais se destacam o livro Teatro de Formas Animadas (1991) e O Ator e seus Duplos (2002).

Downloads

Publicado

2018-03-22

Como Citar

AMARAL, A. M. Do objeto à figura e da imagem à forma. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 12, p. 110-129, 2018. DOI: 10.5965/2595034701122014110. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701122014110. Acesso em: 28 set. 2022.