Iniciação à docência na Unilab: contributos Brasil – Cabo Verde

Autores

  • Alexandrino Moreira Lopes University for International Integration of the Afro-Brazilian Lusophony image/svg+xml
  • Elcimar Simão Martins University for International Integration of the Afro-Brazilian Lusophony image/svg+xml
  • Elisangela André da Silva Costa University for International Integration of the Afro-Brazilian Lusophony image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723824562023090

Palavras-chave:

iniciação à docência, Brasil, Cabo Verde

Resumo

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) é marcada pela dupla missão de integração internacional e desenvolvimento regional. Ao longo de pouco mais de uma década, dentre outras políticas públicas voltadas à formação de professores, destaca-se o Pibid, que visa oportunizar a inserção de estudantes de cursos de licenciatura no cotidiano das escolas públicas de educação básica. Considerando esse contexto, o presente artigo busca refletir sobre a experiência do Pibid na Unilab e seus contributos à educação em Cabo Verde. De abordagem qualitativa, metodologicamente, o texto se utilizou da narrativa de história de vida de um egresso cabo-verdiano do Pibid/Unilab como estratégia de aproximação com a realidade. Os achados revelam que a experiência em pauta contribuiu para a consecução da missão da Unilab, qual seja, o processo de integração internacional e inserção social, com a participação de estudantes, em especial, os internacionais, nas escolas públicas de educação básica. Essas instituições se constituíram como espaços formativos, de diálogo, de (re)existência e (re)conhecimento da diversidade cultural, contribuindo para diminuir o preconceito e o racismo ainda tão presentes na sociedade. Conclui-se que a atuação de licenciandos no Pibid/Unilab possibilitou aprendizagens, reflexões e parcerias sobre a formação inicial nas áreas de atuação da universidade e que foram ressignificadas pelos egressos em seu exercício profissional nos países parceiros, notadamente em Cabo Verde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, F. C.; MARTINS, E. S.; LEITE, M. C. da S. R. O PIBID e a aprendizagem do fazer docente em tempos de pandemia. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, p. 1586-1603, jun. 2021. Número especial, 3.

ANADÓN, M. A pesquisa dita “qualitativa”: sua cultura e seus questionamentos. Senhor do Bonfim: UNEB: UQAC, 2005.

APPLE, M. La entrevista autobiográfica narrativa: fundamentos teóricos y la praxis del análisis mostrada a partir del estudio de caso sobre el cambio cultural de los Otomíes en México. FQS. Forum: Qualitative Social Research, [s.l.], v. 6, n. 2, art. 16, p. 1-35, Mayo 2005.

BEHRENS, M. A. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. In: Educação, Porto Alegre, ano XXX, n. 3 (63), p. 439-455, set./dez. 2007.

BRASIL. Casa Civil. Lei no 12.289, de 20 de julho de 2010. Dispõe sobre a criação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 2010.

BRASIL. Portaria nº 83, de 27 de abril de 2022. Dispõe sobre o regulamento do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Brasília, DF: Ministério da Educação/Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 510, de 7 de abril de 2016. Trata sobre as Diretrizes e Normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, ed. 98, p. 44, 24 maio 2016. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html. Acesso em: 15 mar. 2023.

CANDAU, V. M. (org.). Magistério: construção cotidiana. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

COSTA, E. A. S.; FREIRE, J. C. S.; ALMEIDA, S. M. N.; CAIADO, A. P. S.; RAMOS, J. F. P. Formação de professores no contexto da integração internacional na CPLP: desafios institucionais da UNILAB. In: XXV ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO DAS UNIVERSIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA, 25., 2015, Cidade Velha, Cabo Verde. Anais [...]. Lisboa: Europress: AULP, 2015. Novos desafios para o ensino superior após os objetivos de desenvolvimento do Milénio (ODM). v. II. p. 205-214.

FRANCO, M. A. S.; PIMENTA, S. G. Didática Multidimensional: por uma sistematização conceitual. Educ. Soc., Campinas, v. 37, n. 135, p. 539-553, abr./jun. 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 30. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

GADOTTI, M. Ensinar e aprender com sentido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2011.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

JOSSO, M-C. Os relatos de histórias de vida como desvelamentos dos desafios existenciais da formação e do conhecimento: destinos sócio-culturais e projetos de vida programados na invenção de si. In: SOUZA, E. C.; ABRAHÃO, M. H. M. B. Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

JOSSO, M.-C. Experiências de vida e formação. Trad. José Cláudino e Júlia Ferreira. São Paulo: Cortez, 2004.

LIMA, M. S. L. A formação contínua dos professores nos caminhos e descaminhos do desenvolvimento profissional. 2001. Tese (Doutorado em Educação) − Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, FEUSP, 2001.

LOPES, A. M. Epistemologias dos subalternizados: etnociência nas práticas tradicionais de produção de grogu para a sustentabilidade ambiental em Cabo Verde. Dissertação (Mestrado em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis) − Instituto de Engenharia e Desenvolvimento Sustentável, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Redenção, 2020.

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994. 80 p.

PIMENTA, S. G. As ondas críticas da didática em movimento: resistência ao tecnicismo/neotecnicismo neoliberal. In: SILVA, M; NASCIMENTO, C. O. C. do; ZEN, G. C. (org.). Didática: abordagens teóricas contemporâneas. Salvador: EDUFBA, 2019. p. 19-64. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/30770. Acesso em: 13 mar. 2023.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágios supervisionados e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência: duas faces da mesma moeda? Revista Brasileira de Educação, [Rio de Janeiro], v. 24, e240001, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782019240001. Acesso em: 13 mar. 2023.

REGO, T. C. Memórias de escola: cultura escolar e constituição de singularidades. Petrópolis: Vozes, 2003.

RIOS, T. A. Ética na docência universitária: a caminho de uma universidade pedagógica? São Paulo: USP, 2009. Cadernos Pedagogia Universitária.

RIOS, T. A. Ética e competência. 20. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SOUZA, E. C. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensivainterpretativa e política de sentido. Educação (UFSM), Santa Maria, p. 39-50, jan. 2014.

UNILAB. Projeto pedagógico: curso de ciências da natureza e matemática - licenciatura. Redenção: Unilab, 2014.

UNILAB. PDI da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) 2016 – 2021. Redenção: Unilab, 2016.

UNILAB. Projeto Pedagógico de Curso. Ciências Biológicas - Licenciatura. Redenção: Unilab, 2018.

UNILAB. Projeto Institucional do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - Pibid (2022-2024). Redenção: Unilab, 2022.

WELLER, W.; ZARDO, S. P. Entrevista narrativa com especialistas: aportes metodológicos e exemplificação. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p. 131-143, jul./dez. 2013.

Downloads

Publicado

2023-12-11

Como Citar

LOPES, Alexandrino Moreira; MARTINS, Elcimar Simão; COSTA, Elisangela André da Silva. Iniciação à docência na Unilab: contributos Brasil – Cabo Verde. Revista Linhas, Florianópolis, v. 24, n. 26, p. 90–111, 2023. DOI: 10.5965/1984723824562023090. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/24429. Acesso em: 21 fev. 2024.