Bustos Raciais: Imagens-artefatos sobre o outro (1908-1945)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723822482021172

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir os aspectos de produção, circulação e consumo de bustos raciais, aqui denominados imagens-artefatos. Produzidos em escala industrial com a finalidade de representar as tipologias humanas, esses bustos foram utilizados nas escolas para ensinar sobre o outro. Nortearam a abordagem, os aportes teóricos e metodológicos da biografia social das coisas e do circuito social das imagens, além das noções de cultura escolar, cultura material e cultura visual escolares. O texto foi dividido em quatro partes: antecedentes e circulação dos bustos raciais; produção da empresa especializada em objetos para a educação, a Somso Modelle (Alemanha); possibilidades de modos de utilização e, por fim, o papel desses bustos como objetos da cultura material e da cultura visual escolar, dando centralidade a percursos já percorridos por outros autores. A pesquisa foi realizada no acervo do Museu e Arquivo Histórico La Salle (Canoas-RS) e considerou a documentação atinente aos bustos raciais. Embora o ensino das raças tenha perpassado várias disciplinas, a investigação mostrou que essas imagens-artefatos foram utilizadas no ensino de Geografia e História Natural. Além disso, esses vestígios nos dizem mais sobre o imaginário da sociedade que os criou, do que sobre os sujeitos representados.

Palavras-chave: Bustos raciais. Cultura visual escolar. Cultura material escolar.

Biografia do Autor

Felipe Rodrigo Contri Paz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando na Faculdade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS pelo Programa de PósGraduação
em Educação na linha História, Memória e Educação. Possui mestrado
na Faculdade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS pelo Programa de PósGraduação
em Educação na linha História, Memória e Educação. Graduado em História
Licenciatura Plena e Bacharelado Pleno pelo Centro Universitário La Salle/Unilasalle. PósGraduado
no MBA em Gestão de Pessoas e Liderança Coach na mesma instituição.
Atuou como orientador de exposições no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli/MARGS e foi bolsista de Iniciação Cientifica FAPERGS
Unilasalle
atuando na
temática de Práticas Alimentares, Antropologia e Envelhecimento. Trabalhou em um projeto de construção do Histórico da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de
Canoas, que resultou em uma exposição de longa duração e o livro dos 70 anos da instituição. Foi estagiário do Museu da Comunicação Hipólito José da Costa, prestando
atendimento ao público, auxílio a pesquisa, catalogação e arquivamento de documentos históricos, bem como monitorando visitas ao setor. Tem experiência na questão do
Patrimônio Histórico e Cultural, Educação Patrimonial e Memória, Museus de História, Representações e histórias de vida. Atuou como professoroficineiro
do Projeto Mais
Educação/MEC em Porto Alegre e Canoas. Atualmente é professor nomeado da Secretaria da Educação do Estado do Rio Grande do Sul (20 Horas) e bolsista CNPQ.

Zita Rosane Possamai, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-doutoramento na Universidade Paris 3 Sorbonne Nouvelle (2014), com o projeto de pesquisa Museu e Fotografia: estudo sobre os museus de educação na França, séculos XIX e XX. Licenciada (1991), Bacharel (1992), Mestre (1998) e Doutora (2005) em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, exercendo suas atividades no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio, do qual é coordenadora, no Curso de Museologia, da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicaçao, e no Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação. Bolsista Produtividade do CNPq. Líder no CNPq do Grupo de Estudos em Memória, Patrimônio e Museus (GEMMUS). Tem experiência na área de História, Museologia e Educação, com ênfase em investigação histórica e gestão do patrimônio cultural urbano e museus. Autora e organizadora de artigos e livros sobre História de Porto Alegre, memória, patrimônio, museu. Sua dissertação de mestrado teve como temática o museu de cidade e sua tese de doutorado investigou as imagens fotográficas de Porto Alegre. Membro do Conselho Internacional de Museus, do qual foi secretária do comitê brasileiro, e da Associação Nacional de História, da qual foi presidente da seção RS, coordenadora dos GT Acervos e GT história, imagem e Cultura visual e GT Nacional História e Patrimônio Cultural da ANPUH. Vem atuando principalmente nos seguintes temas: memória, história, cidade, patrimônio, museu, educação em museus, história da educação nos museus, história dos museus, cultura visual e fotografia. Foi servidora da Prefeitura de Porto Alegre (1987-2006), onde atuou como pesquisadora na Assessoria de Estudos e Pesquisas (1989-1993); foi membro da Comissão de Restauração do Mercado Público de Porto Alegre (1991-1993); Diretora do Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo (1993-1999); Coordenadora da Memória Cultural (1999-2001); membro do Conselho do Patrimônio Histórico-Cultural de Porto Alegre (1999-2001); membro da Unidade Executora do Projeto Monumenta (2001-2005). Foi docente em vários cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Patrimônio Cultural e Museologia. Foi docente do Centro Universitário Metodista IPA (2000-2006), onde atuou como Coordenadora do Curso de História; Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos e Educação; Coordenadora do Museu IPA. 

Downloads

Publicado

2021-04-28

Como Citar

Paz, F. R. C., & Possamai, Z. R. (2021). Bustos Raciais: Imagens-artefatos sobre o outro (1908-1945) . Revista Linhas, 22(48), 172 - 193. https://doi.org/10.5965/1984723822482021172