Os acessórios afiados da putinha terrorista: moda, gênero e autodefesa em Lyz Parayzo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630632022e2274

Palavras-chave:

Ativismo artístico, Objetos vestíveis, Dissidência de gênero

Resumo

O objetivo é examinar produções recentes da multiartista brasileira Lyz Parayzo que envolvem joalheria e outros objetos vestíveis. O foco específico da análise é a série de flyers intitulada “Putinha Terrorista” (2016-2018). Analisam-se os textos e imagens fotográficas incluídas nos flyers, em especial quando objetos vestíveis de autoria da própria artista aparecem como elementos de figurino. A análise evidencia a maneira como Lyz Parayzo faz intenso uso de códigos da Moda para produzir uma arte ativista em prol da população transvestigênere. A contribuição do estudo decorre do fato de não haver, até onde pudemos avaliar, pesquisas que tenham analisado a obra de Lyz Parayzo especificamente pela perspectiva da Moda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emerson Silva Meneses, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Têxtil e Moda da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política da mesma instituição, pesquisador do grupo ECOAR - Estudos em Corpo e Arte. Lattes: http://lattes.cnpq.br/1427007709160950; ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1788-5111; e-mail: emerson.meneses@usp.br

Martin Jayo, Universidade de São Paulo - USP

Professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP). Lattes: http://lattes.cnpq.br/9105014250584354; ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0241-9687; e-mail: martin.jayo@usp.br.

Referências

ARAÚJO, Emanuel. A arte da sedução: sexualidade feminina na colônia. In: DEL PRIORE, Mary (Org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2013.

BENTO, Berenice. Transviad@s: gênero, sexualidade e direitos humanos. Salvador: EDUFBA, 2017.

CRANE, Diana. Ensaios sobre moda, arte e globalização cultural. São Paulo: Senac, 2011.

ENTWISTLE, Joanne. The fashioned body: fashion, dress, and modern social theory. UK: Polity Press, 2000.

FERREIRA, Debora Armelin. A arte como arma em território hostil: enfrentamentos nas produções de Lyz Parayzo. Cidades, Comunidades e Territórios, Lisboa, n. 39, p.1-17, 2019.

KUNZLE, David. Fashion and Fetishism: Corsets, Tight-Lacing and Other Forms of Body-Sculpture. London: The History Press, 2013.

LATTAVO, Patrícia. A participação do espectador: de Lygia Clark à contemporaneidade. O Fermento Revista, 02 dez. 2020. Disponível em: http://ofermentorevista.com.br/2020/12/02/100-anos-de-lygia-clark/. Acesso em: 12 jun. 2022.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Global Editora, 1986.

McCLINTOCK, Annie. Couro Imperial: Raça, Gênero e Sexualidade no Embate Colonial. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

MOMBAÇA, Jota. Rumo a uma redistribuição desobediente de gênero e anticolonial da violência! In: PEDROSA, Adriano; MESQUITA, André (Org.). Histórias da sexualidade: antologia. São Paulo: Edições MASP, 2017. p. 301-310.

MORANDO, Luiz. Enverga mas não quebra: Cintura Fina em Belo Horizonte. Uberlândia: O Sexo da Palavra, 2020.

PASTORAL DA MULHER DE BELO HORIZONTE (2012, nov. 30). A propaganda da prostituição perante a legislação penal. Disponível em: http://pastoraldamulherbh.blogspot.com/2012/11/a-propaganda-da-prostituicao-perante.html. Acesso em: 10 jun. 2022.

PEDROSA, Adriano; RJEILLE, Isabella; LEME, Mariana (Org.). Histórias das mulheres, histórias feministas. São Paulo: Edições MASP, 2019.

QUEIROZ, Tania; MOSS, Angela. Lyz Parayzo: artista do fim do mundo. Performatus, Inhumas, vol. 5, n. 17, n.p., 2017.

QUINALHA, Renan. Contra a moral e os bons costumes: a ditadura e a repressão à comunidade LGBT. São Paulo: Cia. das Letras, 2021.

STEELE, Valerie. Fashion and eroticism: ideals of feminine beauty from the victorian era through the aazz age. Oxford: Oxford University Press, 1985.

STEELE, Valerie. Fetish: fashion, sex & power. Oxford: Oxford University Press, 1996.

TINOCO, Bianca. “Eu sou o melhor que eles têm”: a potência de Lyz Parayzo, puta-pornô-terrorista. Anais do XXXVIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, Florianóplis, 2019.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Rio de Janeiro: Objetiva, 2018.

WOLF, Naomi. O mito da beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2021.

Downloads

Publicado

2022-09-20

Como Citar

MENESES, E. S.; JAYO, M. Os acessórios afiados da putinha terrorista: moda, gênero e autodefesa em Lyz Parayzo. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 6, n. 3, p. 1 - 18, 2022. DOI: 10.5965/25944630632022e2274. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/22274. Acesso em: 6 out. 2022.