Prazo de submissão para o próximo dossiê 10 se encerra em 31/10/2021

2021-09-16

Educação, sabedoria popular e economia circular

A evolução da economia global está centrada no modelo linear de consumo e descarte, sem
que o fluxo de renovação de estoques seja respeitado ou garantido, o que vem exaurindo as
fontes desses recursos. Essa lógica tem forte ligação com a indústria têxtil e de confecção, uma
das cadeias produtivas de maior extensão e importância econômica, e também uma das
principais responsáveis pelo consumo em grande escala e uso indevido de recursos naturais.
Na busca por soluções que possam subsidiar novos padrões de produção e consumo,
consequentemente, as instituições de ensino precisarão construir competências para facilitar
o reuso de produtos e materiais, exigindo performance avançada na seleção e
reaproveitamento de matérias-primas, bem como nos métodos de trabalho. Neste sentido, é
possível buscar na ancestralidade métodos simples e eficientes para promover inovação
responsável por meio da educação em design. Este dossiê considera a construção de outro
paradigma na educação, o da economia circular, cujo propósito engloba o resgate de
conhecimentos populares amparados pela ciência, de modo a fortalecer o uso e mesmo a
reutilização de materiais seguros, tecnologias regenerativas de ecossistemas e técnicas
ancestrais, ofertando trabalho digno para as pessoas com a fabricação de produtos que
possam ser insumos para outros bens. Particularmente, analisa como o pensamento
sistemático em torno da sabedoria popular voltada à economia circular propicia o
deslocamento, a comercialização e a formação da inovação responsável em materiais na
América Latina, endossando o potencial do design para regenerar o meio ambiente e as
práticas sociais, tendo como parâmetro as contribuições de MEADOWS (2008), COSTANZA-
CHOCK (2020) e ESCOBAR (2018).

Proponentes:

Maria Carolina Garcia é doutora em Comunicação e Semiótica (PUCSP) e Vice-coordenadora
do Mestrado Profissional em Arquitetura, Urbanismo e Design do Centro Universitário Belas
Artes de São Paulo, onde atua também como Diretora de Internacionalização e Collectibles.
Líder de pesquisa do grupo Design e Convergência.
Adriana Yumi Sato Duarte é doutora em Engenharia Mecânica (Unicamp) e Coordenadora dos
Cursos de CST em Design de Moda e CST em Design Gráfico do Centro Universitário No. Sra. do
Patrocínio (Ceunsp).