Recombinações artísticas e tecnológicas como possibilidade de resistência política

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267822022216

Palavras-chave:

Arte, Tecnologia, Política

Resumo

Desde as vanguardas modernistas pode-se perceber a dissidência dos modos comuns de se fazer arte e da utilização da tecnologia. Aos poucos as criações vão abandonando a distinção tradicional entre produção e consumo, original e cópia; não se tratando mais de compor formas desde um material bruto, mas sim de utilizar objetos que já possuem uma forma configurada e que estão em circulação no mercado cultural para a criação artística. As artes se transformam em uma ilha de edição que subverte e faz interagir diversas formas sociais, linguagens de criação, afetos e efeitos. Através da reutilização e recontextualização podem ser compostas produções artísticas múltiplas, utilizando das formas preexistentes como caixa de ferramentas e que confrontam as estratégias de gerenciamento da vida, trazendo possibilidades de resistência política mediante às recombinações artísticas e tecnológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique de Souza Bitelo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Henrique de Souza Bitelo, artista intermídia, graduado em Psicologia pela Universidade La Salle - Canoas e atual mestrando do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional na UFRGS, pesquisando intersecções entre psicologia social, arte e política.

Claudia Luiza Caimi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Claudia Luiza Caimi, Doutora em Letras/Teoria da Literatura, pela PUC/RS. Professora associada na Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, na linha de pesquisa Clínica, subjetividade e política, na UFRGS.

Referências

BAMBOZZI, Lucas; PORTUGAL, Demétrio. O cinema e seus outros: manifestações expandidas do audiovisual. São Paulo: Equador, 2019.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. L&PM Editores, 2018.

BOURRIAUD. Nicholas. Pós-Produção: Como a Arte reprograma o Mundo Contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 2009a.

BOURRIAUD. Nicholas. Estética Relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2009b.

DAMIÃO, Carla. Corporeidade, nomadismo e performance. Artefilosofia, v. 15, p. 158-170, 2020.

DELEUZE, Gilles. O ato de criação. Folha de São Paulo, v. 27, p. 4, 1999.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Editora 34, 2017.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs, vol. 5. Editora 34, 2017.

DERRIDA, Jacques. Artifactuality, Homohegemony. In. DERRIDA, Jacques; STIEGLER, Bernard. Echographies of television: Filmed interviews. Cambridge: Polity Press, 2002.

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. Ubu Editora LTDA-ME, 2018.

FRANCO, Edgar. Stelarc: arte, tecnologia, estética e ética. Educação & Linguagem, São Paulo, v. 13, n. 22, p. 98-115, 2010. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19075>. Acesso em: 26 de maio 2022.

HORA, Daniel de Souza Neves. Arte hackeamento: diferença, dissenso e reprogramabilidade tecnológica. 2010. Dissertação (Mestrado em Arte Contemporânea) - Instituto de Artes, Universidade de Brasília, Brasília - DF, 2010. p. 0-152.

LUZ, Rogério. Novas imagens: efeitos e modelos. In. PARENTE, André. (Org.). Imagem-Máquina: a era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34, p. 42-55, 2011.

MACHADO, Arlindo. Arte e Mídia. Zahar, 2007.

MANOVICH, Lev. The Language os New Media. London, England: The MIT Press, 2001.

MELLO, Christine. Extremidades do vídeo. São Paulo: Senac, 2008.

MELLO, Christine. Extremidades: Experimentos críticos. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017.

PARENTE, André. Introdução: Os paradoxos da imagem-máquina. In. PARENTE, André. (Org.). Imagem-Máquina: a era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34, 2011.

PLAZA, Júlio. As imagens de terceira geração, tecno-poéticas. In. PARENTE. André. (Org.). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34, p. 72-88, 2011.

PLAZA, Julio; TAVARES, Monica. Processos criativos com os meios eletrônicos:

poéticas digitais. São Paulo: Hucitec, 1998.

SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. 4 ed. São Paulo: Paulus, 2010.

SANTAELLA, Lucia. Game arte no contexto da arte digital. DAT Journal, v. 2, n. 1, p. 3-14, 2017. Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/38. Acesso em: 18 de abril 2022.

Downloads

Publicado

2022-10-06

Como Citar

BITELO, H. de S.; CAIMI, C. L. Recombinações artísticas e tecnológicas como possibilidade de resistência política. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 216-230, 2022. DOI: 10.5965/24471267822022216. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/22212. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Seção temática