John Dewey: lugares e experiências em pares

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267722021044

Palavras-chave:

Experiência, John Dewey, Educação, A/r/tografia, Pares Fotográficos

Resumo

Propor experiências além dos espaços das instituições de ensino pode trazer vivências únicas e bastante significativas para estudantes e docentes, seja no Ensino Superior ou na Educação Básica. A experiência a que nos referimos aqui, conforme destacou John Dewey (2010, 1979a, 1979b, 1978), trata de maneiras de viver momentos e situações que são, ao mesmo tempo, singulares e plurais, construções coletivas de tramas de ideias e pensamentos muito além das vivências disciplinares e conteudistas presentes nos espaços escolares e nas instituições de Ensino Superior. Partindo dessas premissas, este artigo aborda momentos distintos de experiências estésicas no contexto educacional, realizadas em espaços públicos em São Paulo, com estudantes de Licenciatura em Pedagogia e Educação Física e também de um programa de pós-graduação, e no Pantanal de Mato Grosso do Sul, com educadores de uma escola das águas. A escrita do texto dialoga com pares fotográficos sob a fundamentação teórica de Ricardo Marín Viadel, Joaquin Roldán e Rafaèle Genet (2017), como um conceito advindo da a/r/tografia, que coloca os autores como criadores, professores e pesquisadores em metodologias que se baseiam na arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirian Celeste Martins, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Pesquisadora e arte/educadora do Programa de Pós-graduação em Educação, Arte e História da Cultura e do Curso de Pedagogia na Universidade Presbiteriana Mackenzie onde coordena os Grupos de Pesquisa: Arte na Pedagogia/GPAP) e Mediação cultural: contaminações e provocações estéticas/GPeMC. Membro do Conselho Mundial para América Latina da InSEA – Internationa Society of Education through Art. Foi professora do Instituto de Artes/Unesp. Publicou livros e inúmeros artigos. Tem formação em Artes Visuais com doutorado pela Faculdade de Educação/USP (1999) e mestrado pela Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP (1992). www.mirianceleste.com.br; mcmart@uol.com.br

Renata Queiroz de Moraes Americano, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutoranda, Mestra em Educação, Arte, História e Cultura pela Universidade Mackenzie com a pesquisa sobre Movimentos de Desconstrução: a Formação de Professores e Professoras/Coordenadores e Coordenadoras da Educação Básica. Pedagoga, formada em Supervisão Escolar pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pós-graduada em Gestão e Currículo da Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental pelo Instituto Singularidades. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Arte na Pedagogia (GPAP). e do Projeto de Ensino Ambiências educadoras: a formação inicial de professores para além da escola. No decorrer de mais de vinte e cinco anos, na Escola Viva SP, desenvolveu carreira de professora da Educação Infantil, ao cargo de Vice-diretora Pedagógica do 2º ao 7º ano do Ensino Fundamental. Foi professora do curso de Pós-graduação Abordagem Educativa Reggio Emilia, de cursos de extensão e da graduação em Pedagogia do Instituto Singularidades. É assessora pedagógica do Acaia Pantanal. Integrante da Casa Lebre, Espaço Cultural (Bragança Paulista -SP). Trabalha também coordenando e ministrando aulas para diretores, coordenadores e professores em várias cidades do Brasil.

Mário Fernandes Ramires, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Historiador, pedagogo, mestre em história cultural e doutorando no Programa de Pós-graduação em Educação, Arte e História da cultura, da Universidade Presbiteriana Mackenzie – UPM, no qual desenvolve uma pesquisa sobre o uso de imagens em Trabalhos de conclusão de Curso feitos por estudantes de Pedagogia. Atua como docente na educação básica, em cursos superiores de licenciatura e em cursos de pós-graduação em educação.

Referências

BRUNER, Jerome. Sobre conhecimento. Ensaios da mão esquerda. São Paulo: Phorte Editora, 2008.

CARERI, Francesco. Walkscapes: o caminhar como prática estética. São Paulo: G. Gili, 2013.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DEWEY, John. Experiência e educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979a.

DEWEY, John. Vida e educação. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

DEWEY, John. Como pensamos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979b.

IRWIN, Rita L. A/r/tografia. In: DIAS, Belidson; IRWIN, Rita L. (Orgs.). Pesquisa educacional baseada em Arte. Santa Maria: Editora da UFSM, 2013. p. 27-35.

IRWIN, Rita L.; LEBLANC, Natalie; TRIGGS, Valerie. Sub/versing Mentoring Expectations: Duration, Discernment, Diffraction. Journal of Social Theory in Art Education, v. 39, p. 82-96, 2019.

LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre a experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

MIRANDA, Fernando. Imagens de arte, da ciência e da tecnologia: pesquisar a partir da cultura visual. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. (orgs.). Processos e práticas de pesquisa em Cultura Visual e Educação. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013, p. 321-344.

SAMPAIO, Rosa Maria Whitaker Ferreira. Freinet – evolução histórica e atualidades. São Paulo: Scipione, 1989.

VIADEL, Ricardo Marín; ROLDÁN, Joaquín; GENET, Rafaèle. Pares fotográficos en investigación baseada en Artes e investigación artística. In: VIADEL, Ricardo Marín; ROLDÁN, Joaquín. (Orgs.). Investigación baseada em Artes e investigación artística. Granada: EUG, 2017.

TEIXEIRA, Anísio. Educação como reconstrução da experiência. In: DEWEY, John. Vida e educação. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

ZABALA, Antoni. A prática educativa – Como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2021-10-31

Como Citar

MARTINS, M. C.; AMERICANO, R. Q. de M.; RAMIRES, M. F. John Dewey: lugares e experiências em pares. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 7, n. 2, 2021. DOI: 10.5965/24471267722021044. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/20624. Acesso em: 4 out. 2022.