Ensino e pesquisa da iluminação cênica na Universidade Federal de Uberlândia por Camila Tiago

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/27644669020220210802

Resumo

Camila Tiago é diretora de iluminação do curso de Teatro da Universidade Federal de Uberlândia – UFU, onde também fundou um grupo de estudos em iluminação cênica chamado “Cênica Luz”. Mineira, nascida em Iturama e criada em Uberlândia, é uma das coordenadoras e apresentadoras do programa semanal “da ideia à luz” e atua profissionalmente como criadora de luz para diversos grupos teatrais de sua região, tal como o Grupo Pontapé.  Simpática, ela discorre aqui sobre formação, pesquisa, criação e outras peculiaridades que envolvem a profissão de iluminador no Brasil, mais especificamente na sua região. Com uma trajetória construída sobre as bases do autodidatismo, Camila vem estabelecendo uma constante relação com a pesquisa e, principalmente, com a prática, tal como nos conta ao longo desta generosa entrevista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Guimarães Mattos de Souza, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Artista cênica e iluminadora. Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Artes da Cena da Escola de Comunicação da UFRJ, na linha de pesquisa Poéticas da cena: Teoria e Crítica (2016). Possui graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2006). Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO (2020). Tem experiência na área de Artes Cênicas, com ênfase em Iluminação Cênica, atuando principalmente no seguinte tema: iluminação cênica, visualidades da cena, luz em contexto narrativo.

https://www.behance.net/9f1971b6 

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

SOUZA, F. G. M. de. Ensino e pesquisa da iluminação cênica na Universidade Federal de Uberlândia por Camila Tiago. A Luz em Cena: Revista de Pedagogias e Poéticas Cenográficas, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 1-32, 2021. DOI: 10.5965/27644669020220210802. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/aluzemcena/article/view/21461. Acesso em: 15 ago. 2022.