A revolução da luz Uma reinvenção da função da luz no teatro, no início do século XX, estabelecendo novas relações espaciais entre os elementos visíveis da cena

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/27644669010120210301

Palavras-chave:

História e Estética da Iluminação Cênica, Espaço Cênico, Adolphe Appia, Edward Gordon Craig, Max Reinhardt

Resumo

Artigo de História e Estética da Iluminação Cênica que descreve e analisa, por meio de estudos de caso, a prática e a teoria de Richard Wagner, Adolphe Appia, Edward Gordon Craig, Georg Fuchs e Max Reinhardt sobre encenação, na perspectiva da Iluminação Cênica e de suas relações espaciais, propondo um ponto de virada na ideia e no uso do espaço cênico com base numa revolução da utilização da luz elétrica e de suas funções no espetáculo, na passagem do século XIX para o XX. De modo que a linguagem da Iluminação Cênica se torna, a partir de então, ferramenta fundamental de articulação entre tempo e espaço, edição e dramaturgia do visível na encenação moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cibele Forjaz, Departamento de Artes Cênicas ECA/USP

Diretora e iluminadora teatral. Bacharel em Artes Cênicas com habilitação em Direção Teatral (1985/89), Mestre (2008) e Doutora (2013) em Artes Cênicas. Docente e pesquisadora do Departamento de Artes Cênicas da ECA/USP e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/ECA/USP. Pós-doutorado em Antropologia Social pela FFLCH/USP. Em 39 anos de profissão, participou de 3 coletivos de teatro: A Barca de Dionísos (1985-1991); Teatro Oficina Uzyna Uzona (1992-2002) e Cia.Livre, onde é diretora artística desde 1999.

Referências

APPIA, Adolphe. A Obra de Arte Viva. Tradução de Redondo Júnior. Lisboa: Arcádia, 1968.

APPIA, Adolphe. La Gymnastique Rythmique et la Lumière, in Œuvres Complètes. Édition élaborée et commentée par Marie L. Bablet-Hahn. Tome III. Lausanne: Société Suisse du Théâtre/L’Âge d’Homme, 1988.

BABLET, Denis. Edward Gordon Craig. Paris: L’Arche, 1962.

BABLET, Denis. Esthétique Générale du Décor de Théâtre de 1870 a 1914. Paris: Editions du Centre National de la Recherche Scientifique, 1989.

BATY, Gaston e CHAVANCE, René. El Arte Teatral. Trad. Juan José Arreola. México: Fondo de Cultura Económica, 1951.

BERTHOLD, Margot, História Mundial do Teatro. Tradução de Maria Paula Zurawski, J. Guinsburg, Sérgio Coelho, e Clovis Garcia. São Paulo: Perspectiva, 2003.

EISNER, Lotte, H. A Tela Demoníaca. Tradução Lucia Nagib. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FORJAZ, Cibele. À Luz da Linguagem – A iluminação Cênica: de instrumento da Visibilidade à “Scriptura” do Visível (Primeiro recorte: do fogo à revolução teatral). 2008. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

FORJAZ, Cibele. À Luz da Linguagem – A iluminação Cênica: de instrumento da Visibilidade à “Scriptura” do Visível. 2013. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

GUINSBURG, Jacó (org.). O Expressionismo. São Paulo: Perspectiva, 2002.

JONES, Robert Edmond. A um Jovem Decorador Teatral - Luz e Sombra, in O Teatro e sua Estética. Tradução de Redondo Júnior. Lisboa: Editora Arcádia, 1964.

PALMIER, Jean-Michel. L´Expressionisme et les arts Peinture-Théâtre-Cinéma. Paris: Payot, 1980.

PATTERSON, Michael. The Revolution in German Theatre: 1900-1933. London: Routledge & Kegan Paul Ltd, 1981.

ROSENFELD, Anatol. O Teatro Alemão. São Paulo: Brasiliense, 1968.

SALTER, Chris. Entangled – Technology and the Transformation of performance, Cambridge: The MIT Press, 2010.

SCHUMACHER, Claude (org,). Theatre in Europe: a Documentary History – Naturalism and Symbolism in European Theatre: 1850 – 1918. New York: Cambridge University Press, 1996.

SOKEL, Walter H. The Writer in Extremis. Redwood City: Stanford University Press, 1959.

WAGNER, Richard. La Obra de Arte del Futuro. Traducción y notas Joan B. Llinares y Francisco López Martín. Valência: Publicacions de la Universitat de València, 2000.

KAHANE, Arthur. Reinhardt’s Impressionistic style, 1901 in Theatre in Europe: a Documentary History – Naturalism and Symbolism in European Theatre: 1850 – 1918. Edited by Claude Schumacher. New York: Cambridge University Press, 1996

KRACAUER, Siegfried. De Caligari a Hitler, Uma História Psicológica do Cinema Alemão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988.

KUHNS, David F. German Expressionist Theatre. United Kingdom: Cambridge ed., 1997.

MERKEL, Ulrich (organizador). Teatro e Política: poesias e peças do Expressionismo Alemão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

NAZÁRIO, Luiz. As Sombras Móveis, Atualidade do Cinema Mudo. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

PICON-VALLIN, Béatrice. A Arte do Teatro: entre tradição e Vanguarda — Meyerhold e a cena contemporânea. Org. Fátima Saadi. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto: Letra e Imagem, 2006.

RAABE, Paul (org). The Era of German Expressionism (edited and annotated by Raabe). New York: The Overlook Press, 1985.

REINHARDT, Max. Letter to Berthold Held, 04 August 1901 in Theatre in Europe: a Documentary History – Naturalism and Symbolism in European Theatre: 1850 – 1918. Org. by Claude Schumacher. New York: Cambridge University Press, 1996, p. 172-174.

ROUBICHEZ, Jacques. Le Symbolisme au théâtre. Paris: L’Arche, 1957.

ROUBINE, Jean-Jacques. A Linguagem da Encenação Teatral, 1880/1980. Tradução de Yan Michalski. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

SALZMANN, Alexandre. Lumière, Luminosité et Éclairage, in APPIA, Adolphe. Œuvres Complètes, Tome III. Lausanne: Société Suisse du Théâtre/L’Âge d’Homme, 1988.

SARAIVA, Hamilton F. Iluminação Teatral: História, Estética e Técnica. Dissertação de Mestrado. São Paulo: ECA/USP, 1990, 2 vol.

SZONDI, Peter. Teoria do Drama Moderno. Tradução de Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Cosac Naify, 2001.

TELLES, Gilberto Mendonça. Vanguarda Européia e Modernismo Brasileiro (Apresentação dos principais poemas, manifestos, prefácios e conferências vanguardistas de 1857 a 1972). Petrópolis: Vozes, 2005.

WAGNER, Richard. L’Œuvre d’art de l´avenir. Traduction de J.-G. Prod’homme et F. Holl. Plan-de-la Tour: Éditions d’Aujourd’hui, 1982.

Publicado

2021-07-30 — Atualizado em 2022-04-23

Versões

Como Citar

FORJAZ, C. A revolução da luz Uma reinvenção da função da luz no teatro, no início do século XX, estabelecendo novas relações espaciais entre os elementos visíveis da cena. A Luz em Cena: Revista de Pedagogias e Poéticas Cenográficas, Florianópolis, v. 1, n. 01, p. 1-32, 2022. DOI: 10.5965/27644669010120210301. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/aluzemcena/article/view/19985. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê temático: A luz e as relações cenográficas - Convidados