Desempenho agronômico da soja cultivada em diferentes épocas e distribuição de plantas

Autores

  • Eduardo Lima do Carmo Universidade de Rio Verde image/svg+xml
  • Guilherme Braga Pereira Braz Universidade de Rio Verde image/svg+xml
  • Gustavo André Simon Universidade de Rio Verde image/svg+xml
  • Alessandro Guerra da Silva Universidade de Rio Verde (UniRV)/Faculdade de Agronomia
  • Antônio Germano Carpim Rocha Universidade de Rio Verde image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711712018061

Palavras-chave:

arranjo espacial de plantas, Glycine max, plasticidade fenotípica, glicina, soja, plantas

Resumo

Períodos favoráveis à semeadura bem como a disposição espacial em que plantas se encontram na área de cultivo são fatores que influenciam diretamente a produtividade da soja. A melhor equidistância entre plantas para determinada época de cultivo pode resultar em maior aproveitamento de água, luz e nutrientes. Nesse contexto, por duas safras agrícolas de verão contínuas, foram realizados experimentos de campo com o objetivo de avaliar o desempenho agronômico da soja semeada em diferentes épocas e distribuição espacial de plantas. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Nas parcelas, foram alocadas quatro épocas de semeadura equidistantes de 15 dias a partir de 3 de outubro (2014/15 e 2015/16) e nas subparcelas foram dispostos, aleatoriamente, os espaçamentos entre linhas de semeadura de 0,5 e 0,25 m (tradicional e adensado, respectivamente). Na colheita, avaliaram-se características morfológicas, componentes do rendimento e a produtividade de grãos. A época de semeadura influenciou as características morfológicas e componentes do rendimento da soja. O retardamento da época de semeadura proporcionou menores rendimentos de grãos. As cultivares de soja se comportaram de maneira distinta quanto à redução no espaçamento entre linhas. A BMX Desafio RR® apresentou maior produtividade quando cultivada em espaçamento entre linhas de 0,25 m em relação ao tradicional (0,5 m).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Lima do Carmo, Universidade de Rio Verde

Zootecnista e Engenheiro Agrônomo, Doutor em Agronomia pela Universidade Federal de Goiás. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Agronomia da Universidade de Rio Verde (UniRV).

Guilherme Braga Pereira Braz, Universidade de Rio Verde

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Agronomia da Universidade de Rio Verde (UniRV).

Gustavo André Simon, Universidade de Rio Verde

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Agronomia da Universidade de Rio Verde (UniRV).

Alessandro Guerra da Silva, Universidade de Rio Verde (UniRV)/Faculdade de Agronomia

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Agronomia da Universidade de Rio Verde (UniRV).

Antônio Germano Carpim Rocha, Universidade de Rio Verde

Engenheiro Agrônomo formado pela Faculdade de Agronomia da Universidade de Rio Verde (UniRV). Atualmente é discente de Mestrado do Programa de Pós-graduação em Produção Vegetal.

Referências

BALBINOT JÚNIOR AA et al. 2013. Semeadura cruzada na cultura da soja. Londrina: Embrapa Soja. 8p. (Circular Técnica, 98)

BARBOSA MC et al. 2013. Desempenho agronômico e componentes da produção de cultivares de soja em duas épocas de semeadura no Arenito Caiuá. Semina: Ciências Agrárias 34: 945-960.

BIANCHI MA et al. 2010. Papéis do arranjo de plantas e do cultivar de soja no resultado da interferência com plantas competidoras. Planta Daninha 28: 979-991.

BOARD J. 2000. Light interception efficiency and light quality affect yield compensation of soybean at low plant populations. Crop Science 40: 1285-1294.

ÇALIŞKAN S et al. 2007. The effects of row spacing on yield and yield components of full season and double-cropped soybean. Turkish Journal of Agriculture and Forestry 31: 147-154.

CARVALHO ER et al. 2010. Desempenho de cultivares de soja [Glycine max (L.) Merrill] em cultivo de verão no Sul de Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia 34: 892-899.

CARVALHO MM. 2014. Influência de sistemas de semeadura na população de pragas e nas características morfofisiológicas em cultivares de soja. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Botucatu: UNESP. 59p.

COSTA ED. 2013. Arranjo de plantas, características agronômicas e produtividade de soja. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Botucatu: UNESP. 60p.

CRUZ TV et al. 2010. Efeitos da época de semeadura sobre a composição química e a produtividade de grãos de diversas cultivares de soja no oeste da Bahia. Revista Brasileira de Oleaginosas e Fibrosas 14: 63-71.

EDWARDS JT et al. 2005. Soybean yield and biomass responses to increasing plant population among diverse maturity groups. Crop Science 45: 1778-1785.

EMBRAPA. 2011. Tecnologias de produção de soja: região central do Brasil 2012 e 2013. Londrina: Embrapa Soja. 261p. (Sistemas de Produção, 15).

EMBRAPA. 2013. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Brasília: Embrapa. 353p.

EMBRAPA. 2008. Tecnologias de produção de soja - região central do Brasil - 2009 e 2010. Londrina: Embrapa Soja. 262p. (Sistemas de Produção, 13).

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

FERREIRA JUNIOR JA et al. 2010. Avaliação de genótipos de soja em diferentes épocas de plantio e densidade de semeadura no município de Uberaba - MG. FAZU em Revista 7: 13-21.

FONTOURA TB et al. 2006. Efeitos de níveis e épocas de desfolhamento sobre o rendimento e os componentes do rendimento de grãos da soja. Scientia Agraria 7: 49-54.

HEIFFIG LS et al. 2006. Fechamento e índice de área foliar da cultura da soja em diferentes arranjos espaciais. Bragantia 65: 285-295.

JOHNSON HW et al. 1960. Effects of photoperiod and time of planting on rates of development of the soybean in various stages of the life cycle. Botanical Gazette 122: 77-95.

KUSS RCR. 2006. Populações de plantas e estratégias de irrigação na cultura da soja. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola). Santa Maria: UFSM. 80p.

LIMA SF et al. 2012. Efeito da semeadura em linhas cruzadas sobre a produtividade de grãos e severidade da ferrugem asiática da soja. Bioscience Journal 28: 954-962.

MATZENAUER R et al. 2003. Estimativa do consumo relativo de água para a cultura da soja no Estado do Rio Grande do Sul. Ciência Rural 33: 1013-1019.

ORMOND ATS. 2013. Sistemas de semeadura e manejo do solo no desenvolvimento da cultura da soja. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola). Rondonópolis: UFMT. 71p.

SEDIYAMA T. 2009. Tecnologias de produção e usos da soja. Londrina: Mecenas. 314p.

SOUZA CA et al. 2010. Relação entre densidade de plantas e genótipos de soja Roundup ReadyTM. Planta Daninha 28: 887-896.

STÜLP M et al. 2009. Desempenho agronômico de três cultivares de soja em diferentes épocas de semeadura em duas safras. Ciência e Agrotecnologia 33: 1240-1248.

ZABOT L. 2009. Caracterização agronômica de cultivares transgênicas de soja cultivadas no Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Agronomia). Santa Maria: UFSM. 280p.

ZANON AJ et al. 2016. Growth habit effect on development of modern soybean cultivars after beginning of bloom in Rio Grande do Sul. Bragantia 75: 446-458.

Downloads

Publicado

2018-03-16

Como Citar

CARMO, Eduardo Lima do; BRAZ, Guilherme Braga Pereira; SIMON, Gustavo André; SILVA, Alessandro Guerra da; ROCHA, Antônio Germano Carpim. Desempenho agronômico da soja cultivada em diferentes épocas e distribuição de plantas. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 17, n. 1, p. 61–69, 2018. DOI: 10.5965/223811711712018061. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9684. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)