Viabilidade de diferentes taxas de alimentação para o cultivo de Astyanax bimaculatus

Autores

  • Adolfo Jatobá Instituto Federal Catariense, campus Araquari

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711732018450

Palavras-chave:

lambari do rabo amarelo, nutrição, manejo alimentar, piscicultura

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho zootécnico e custo de produção do quilograma do lambari do rabo amarelo (Astyanax bimaculatus) alimentados com diferentes taxas de arraçoamento. Para isto, 720 (4,06 ± 0,33 g) juvenis foram alimentados com quatro taxas de alimentação (2,5; 4,0; 5,5; e 7,0% da biomassa). Após seis semanas foi avaliado o desempenho produtivo e custo do quilo do peixe produzido. Os lambaris alimentados com 4,0 e 5,5% da biomassa apresentaram os melhores resultados zootécnicos e financeiros para o cultivo do lambari do rabo amarelo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adolfo Jatobá, Instituto Federal Catariense, campus Araquari

Laboratório de Aquicultura

Referências

APHA. 2005. American Public Health Association. American Water Works Association, Water Pollution Control Association. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater, 21st ed. Washington, DC, USA.

AZZAYADI M et al. 2000. The influence of nocturnal vs. diurnal feeding under winter conditions on growth and feed conversion of European sea bass (Dicentrarchus labrax, L.). Aquaculture 182: 329-338.

BARBOSA MC et al. 2011. Taxa alimentar no desempenho de juvenis de robalo-peva em tanque-rede. Acta Scientiarum Animal Sciences 33: 369-372.

CHAGAS EC et al. 2007. Produtividade de tambaqui criado em tanque-rede com diferentes taxas de alimentação. Ciência Rural 37: 1109-1115.

EROLDOĞAN OT et al. 2004. Optimum feeding rates for European sea bass Dicentrarchus labrax L. reared in seawater and freshwater. Aquaculture 231: 501-515.

HUNG SSO et al. 1989. Growth and feed efficiency of white sturgeon (Acipenser transmontanus) sub-yearlings at different feeding rates. Aquaculture 80: 147-153.

JATOBÁ A & SILVA BC. 2015. Densidade de estocagem na produção de juvenis de duas espécies de lambaris em sistema de recirculação. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia 67: 1469-1474.

JATOBÁ A et al. 2014. Protein levels for Litopenaeus vannamei in semi-intensive and biofloc systems. Aquaculture 432: 365-371.

KIM KD et al. 2007. Effects of feeding rate on growth and body composition of juvenile flounder, Paralichthys olivaceus. Journal of the World Aquaculture Society 38: 169-173.

MIHELAKAKIS A et al. 2002. Optimization of feeding rate for hatchery‐produced juvenile gilthead sea bream Sparus aurata. Journal of the World Aquaculture Society 33: 169-175.

PORTO-FORESTI F et al. 2010. Biologia e criação do lambari-do-rabo-amarelo (Astyanax altiparanae). In: BALDISSEROTTO B & GOMES LC. Espécies nativas para piscicultura no Brasil. 2.ed. Santa Maria: UFSM. p.111-116.

SABBAG O et al. 2011. Costs and economic viability of production of the Lambari Tetra in Monte Castelo, São Paulo State: a case study. Boletim do Instituto de Pesca 37: 307-315.

SCORVO FILHO JD et al. 2004. Instrumentos para análise da competitividade na piscicultura. In: CYRINO JEP et al. Tópicos especiais em piscicultura de água doce tropical intensiva. São Paulo: TecArt. p.517-533.

TACON AGJ & COWEY BC. 1985. Protein and amino acid requirements. In: TYLER P & CALOW P. Fish energetics: new perspectives. Baltimore: The Johns Hopkins University. p.155-183.

Downloads

Publicado

2018-09-26

Como Citar

JATOBÁ, A. Viabilidade de diferentes taxas de alimentação para o cultivo de Astyanax bimaculatus. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 17, n. 3, p. 450-453, 2018. DOI: 10.5965/223811711732018450. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9665. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Nota de Pesquisa - Ciência de Animais e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)