Crescimento de bananeiras micropropagadas em função do substrato e adubo de liberação controlada

Autores

  • Filipe Almendagna Rodrigues Universidade Federal de Lavras
  • Frederico Henrique da Silva Costa Universidade Federal do Acre
  • Moacir Pasqual Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711812019146

Palavras-chave:

Musa spp., adubação, aclimatização

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi avaliar o crescimento de bananeiras micropropagadas cv. BRS FHIA-18 em condições de casa de vegetação com uso de Basacote® e substratos. Para a instalação do experimento, foram utilizadas bananeiras micropropagadas cv. BRS FHIA-18. Os tratamentos foram constituídos de concentrações de Basacote® (0; 3; 6 e 9 kg m-3 de substrato) e substratos: Plantmax® HT, Plantmax® HT + casca de arroz carbonizada (CAC) e terra de subsolo + CAC. Após 90 dias do transplantio, foram avaliados altura de planta (cm), comprimento do sistema radicular (cm), número de raízes e relação entre massa seca (g) da parte aérea e raízes. O substrato Plantmax® HT acrescido de 3 kg m-3 de Basacote® é o mais indicado visando o melhor crescimento de bananeiras cv. BRS FHIA-18 na fase de aclimatização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Almendagna Rodrigues, Universidade Federal de Lavras

Departamento de Agricultura, Universidade Federal de Lavras

Moacir Pasqual, Universidade Federal de Lavras

Departamento de Agricultura, Universidade Federal de Lavras

Referências

BARBIZAN EL et al. 2002. Produção de mudas de cafeeiro em tubetes associada a diferentes formas de aplicação de fertilizantes. Ciência e Agrotecnologia 26: 1471-1480.

CARON BO et al. 2004. Crescimento da alface em diferentes substratos. Revista de Ciências Agroveterinárias 3: 97-104.

DEL QUIQUI EM et al. 2004. Crescimento e composição mineral de mudas de eucalipto cultivadas sob condições de diferentes fontes de fertilizantes. Acta Scientiarum. Agronomy 26: 293-299.

FAO. 2015. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Perspectivas Agrícolas 2015-2024, Paris: OECD.150p.

FERREIRA DF. 2011. SISVAR: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

GÜBBÜK H & PEKMEZCI M. 2004. In vitro propagation of some new banana types (Musa spp.). Turkish Journal of Agriculture and Forestry 28: 355-361.

MURASHIGE T & SKOOG F. 1962. A Revised medium for rapid growth and bio assays with tobacco tissue cultures. Physiologia Plantarum 15: 473-497.

REETZ ER et al. 2015. Anuário Brasileiro da Fruticultura 2015. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta. 104p.

SERRANO LAL et al. 2004. Efeito de sistemas de produção e doses de adubo de liberação lenta no estado nutricional de porta-enxerto cítrico. Revista Brasileira de Fruticultura 26: 524-528.

SILVA SO et al. 2003. Programa de melhoramento de bananeira no Brasil: resultados recentes. Cruz das Almas: EMBRAPA. 36p. (Documentos 123).

SILVA RP et al. 2001. Influência de diversos substratos no desenvolvimento de mudas de maracujazeiro azedo (Passiflora edulis sims f. flavicarpa DEG). Revista Brasileira de Fruticultura 23: 377-381.

SOUZA AS et al. 2000. Produção de mudas. In: CORDEIRO ZJM. (Org.). Banana. Produção: aspectos técnicos. Brasília: Embrapa p.39-46.

SOUZA JÚNIOR EE et al. 2001. Efeitos de substratos e recipientes na aclimatação de plântulas de abacaxizeiro [Ananas comosus (L.) Merril] cv. Pérola. Pesquisa Agropecuária Tropical 31: 147-151.

YAMANISHI OK et al. 2004. Efeito de diferentes substratos e duas formas de adubação na produção de mudas de mamoeiro. Revista Brasileira de Fruticultura 26: 276-279.

ZIETEMANN C & ROBERTO SR. 2007. Produção de mudas de goiabeira (Psidium guajava L.) em diferentes substratos. Revista Brasileira de Fruticultura 29: 137-142.

Downloads

Publicado

2019-02-08

Como Citar

RODRIGUES, Filipe Almendagna; COSTA, Frederico Henrique da Silva; PASQUAL, Moacir. Crescimento de bananeiras micropropagadas em função do substrato e adubo de liberação controlada. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 18, n. 1, p. 146–149, 2019. DOI: 10.5965/223811711812019146. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9541. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Nota de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)