Ácido salicílico na indução de resistência a doenças em pepino e controle de Pythium sp. in vitro

Autores

  • Douglas Junior Bertoncelli Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Sérgio Miguel Mazaro Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Rita de Cacia Dosciatti Serrão Rocha Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Jean Carlo Possenti Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Maristela dos Santos Rey Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Ivan Carlos Zorzzi Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Palavras-chave:

Cucumis sativus L., elicitor, indutor resistência, tombamento.

Resumo

Objetivou-se neste trabalho avaliar o efeito de concentrações de ácido salicílico (AS) na indução de resistência ao tombamento de plântulas de pepino e no controle in vitro de Pythium sp. O tratamento das sementes de pepino foi realizado com imersão em solução de AS por 5 min nas concentrações de 0 (água destilada); 0,5; 1,0; 1,5 e 2,0 mM. Em seguida foram semeadas em bandejas contendo o substrato Plantmax Florestal® previamente esterilizado e inoculado com Pythium sp. O experimento foi conduzido por 14 dias em câmara de cultivo com controle de temperatura (23 oC ± 2 °C), luminosidade (fotoperíodo de 12 horas) e umidade relativa (70% ± 10%). Foram avaliadas a porcentagem de emergência de plântulas, porcentagem de tombamento, comprimento de plântula e massa da matéria fresca. Foi também quantificado os teores das enzimas fenilalanina amônia-liase (FAL), β-1,3-glucanase e quitinases. No experimento in vitro o AS foi incorporado ao meio BDA (Batata-Dextrose e Agar) e avaliado o crescimento micelial de Pythium sp. O tratamento de sementes de pepino com concentrações acima de 1 mM de AS reduz a incidência de tombamento de plântulas causado por Pythium sp., no entanto, não foi possível associar com enzimas relacionadas a indução de resistência. O AS não apresenta efeito sobre o crescimento micelial de Pythium sp. in vitro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Junior Bertoncelli, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Engenheiro Agrônomo pela da Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR, campus Pato Branco, Mestrando do Programa de pós graduação em Agronomia (PPGAG) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR, campus Pato Branco. Bolsista CAPES.

Sérgio Miguel Mazaro, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1996), mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1998) e doutorado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal do Paraná (2007). Professor efetivo da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia - Indução de Resistência em Plantas e Fisiologia Pós Colheita de Frutas e Hortaliças, atuando principalmente nos seguintes temas: indução de resistência, fitossanidade e pós-colheita. Atua no Programa de Pós-graduação em Agronomia - UTFPR, orientando a nível de mestrado e doutorado. Responsável pela disciplinas de Fitopatologia no curso de Agronomia e as disciplinas de Indução de Resistência em Plantas à Patógenos e Insetos e Fisiologia Pós-colheita de Frutos e Hortaliças no Programa de Pós-graduação.

Rita de Cacia Dosciatti Serrão Rocha, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Doutoranda em Agronomia (Área de concentração: Produção Vegetal) pela Universidade Tecnológica Federal do Paranál (2012)possui graduação em Agronomia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (1997), Formação Pedagógica, Habilitação em Biologia, pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná(2000) e mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal do Paraná (2003). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Ciência do Solo e Fitopatologia - Indução de Resistência em Plantas. Biologia atuando principalmente nos seguintes temas: Biologia Geral, Microbiologia, Parasitologia, Genética, Bioquímica do Solo.

Jean Carlo Possenti, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Pelotas (1992), mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (1996) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2007). Atuou profissionalmente em cooperativa agrícola com experiência nas áreas agronômicas de assistência técnica, fitotecnia, produção e beneficiamento de sementes, tecnologia de aplicação de defensivos, armazenamento de sementes e de grãos e comercialização de produtos e insumos agrícolas. Atualmente é professor DE da Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus de Dois Vizinhos. Ministra as disciplinas de Culturas Anuais e Produção de sementes, para o curso de Agronomia. No Programa de Pós-graduação em Agronomia - UTFPR, ministra a disciplina de Produção de Sementes, orientando no Mestrado e Co-orientando no Doutorado. Coordena o Laboratório Didático de Análise de Sementes.

Maristela dos Santos Rey, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (2002), Mestrado (2005) e Doutorado (2008) em Fitossanidade pela Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: fungos fitopatogênicos, restrição hídrica, patologia de sementes e biotecnologia (transformação genética de plantas e cultura de tecidos). Atuou como docente pela Universidade Estadual de Goiás, sendo coordenadora de pesquisa da unidade durante o ano de 2010. Possui pós-doutorado em fitopatologia (PRODOC ) realizado na Universidade Federal de Uberlândia, onde estudou a resistência de materias de soja ao fungo Sclerotinia sclerotiorum, agente causal da Podridão Branca da soja. Atualmente, é professora adjunta da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Ivan Carlos Zorzzi, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

Possui curso profissionalizante de Técnico em Agropecuária pelo Instituto Assistência e Educação São Canísio (2011). Atualmente, cursa Agronomia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, bolsista UTFPR.

Downloads

Publicado

2015-08-13

Como Citar

BERTONCELLI, D. J.; MAZARO, S. M.; DOSCIATTI SERRÃO ROCHA, R. de C.; POSSENTI, J. C.; DOS SANTOS REY, M.; ZORZZI, I. C. Ácido salicílico na indução de resistência a doenças em pepino e controle de Pythium sp. in vitro. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 14, n. 2, p. 124-131, 2015. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/5680. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigo Completo - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)