Impactos no solo provocados pela mineração e depósito de rejeitos de carvão mineral

Autores

  • Mari Lucia Campos
  • Jaime Antonio de Almeida
  • Cristian Berto da Silveira
  • Luciano Colpo Gatiboni
  • Jackson Adriano Albuquerque
  • Álvaro Luiz Mafra
  • David José Miquelluti
  • Osmar Klauberg Filho
  • Julio Cesar Pires Santos

Palavras-chave:

Recuperação de área degradada, Mineração de carvão, Drenagem ácida.

Resumo

A bacia carbonífera catarinense encontra-se localizada entre os municípios de Araranguá e Lauro Müller e contém uma reserva de carvão mineral da ordem de 4,3 bilhões de toneladas, o que corresponde a 13% do total do país. A exploração do carvão mineral é feita em minas subterrâneas e a céu aberto. Ambos os processos acarretam em problemas ambientais. Até o final da década de 1990, o estéril ou rejeito era, na maioria dos casos, depositado a céu aberto em áreas próximas aos locais de mineração ou beneficiamento do carvão. Com isso, uma área de aproximadamente 6.400 hectares foi impactada. Em janeiro do ano 2000, o Ministério Público condenou a União e o Sindicato das Indústrias Mineradoras pelo passivo ambiental, obrigando-os a adotar normas mais rígidas de reconstrução das áreas ainda a serem mineradas, além de recuperar as áreas já degradadas anteriormente pela atividade. A recuperação desse passivo ambiental passa primeiramente pelo conhecimento dos principais problemas que podem impedir a restauração das funções ecológicas dos solos impactados, sendo que essas funções dependem diretamente das propriedades físicas e químicas dos solos. As propriedades químicas e físicas dos solos construídos pós-mineração de carvão refletem a variabilidade herdada dos materiais geológicos, dos diferentes processos construtivos, da espessura e grau de compactação das camadas, do grau de mistura dos materiais da coluna geológica, do grau de mistura do estéril com o solo e da presença ou ausência de drenagem ácida de mina. A interação desses fatores resulta na complexidade e diversidade dos problemas encontrados quando da tentativa de recuperação das áreas do passivo ambiental catarinense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

CAMPOS, M. L.; ALMEIDA, J. A. de; SILVEIRA, C. B. da; GATIBONI, L. C.; ALBUQUERQUE, J. A.; MAFRA, Álvaro L.; MIQUELLUTI, D. J.; KLAUBERG FILHO, O.; SANTOS, J. C. P. Impactos no solo provocados pela mineração e depósito de rejeitos de carvão mineral. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 9, n. 2, p. 198-205, 2010. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/5301. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Revisão Bibliográfica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>