Detecção de resíduos de antimicrobianos em leite cru informal no centro-oeste de Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712142022542

Palavras-chave:

Beta-lactâmicos, Qualidade do leite, Saúde única, Resistência bacteriana

Resumo

O objetivo do presente estudo consiste em avaliar a presença de resíduos de antimicrobianos em leite informal, comercializados em cidades interioranas, situação comumente encontrada nas cidades brasileiras, visto que a fiscalização sobre este tipo de produto é incipiente. Como estudo de caso, foram considerados os municípios de Arcos, Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte, no centro-oeste de Minas Gerais. Foram realizadas duas coletas em 22 pontos de venda informal em 2020. Para detecção dos resíduos de antimicrobianos foi utilizado o teste Trisensor®, onde pode ser observada a presença de três grupos de antimicrobianos: beta-lactâmicos, tetraciclinas e sulfonamidas. Após a realização das análises, observou-se resultados negativos para os grupos das tetraciclinas e sulfonamidas. Entretanto, ao se avaliar o grupo dos beta-lactâmicos, observou-se resultados positivos significativos, onde em um total de 44 amostras, 54,5% foram positivas para a presença de beta-lactâmicos (24 amostras). A alta incidência de resíduos de antimicrobianos nas amostras analisadas (54,5%), confirma a necessidade da vigilância acerca do produto que é comercializado, sendo de extrema importância a adoção de medidas rigorosas por parte dos órgãos fiscalizadores, pois a presença de resíduos de antimicrobianos no leite cru pode afetar direta e indiretamente a saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. 2017. Presidência da República. Decreto Nº 9.013, de 29 de março de 2017.

Brasil. 2018a. Diário Oficial da União. Instrução normativa nº 76, de 26 de novembro de 2018.

Brasil. 2018b. Diário Oficial da União. Instrução normativa nº 77, de 26 de novembro de 2018.

Brasil. 2021. Diário Oficial da União. Portaria nº 392, de 9 de setembro de 2021.

CALLEFE JLR & LANGONI H. 2015. Qualidade do leite: meta a ser atingida. Veterinária e Zootecnia 22:151-161.

COSER SM et al. 2012. Mastite bovina: controle e prevenção. Lavras: UFLA. 30p. (Boletim Técnico 93).

COSTA ABDL et al. 2017. Avaliação de resíduos de antibióticos em leite cru produzido na região de Marília-São Paulo. Unimar Ciências 26: 116-125.

FAGNANI R et al. 2019. Milk-borne infections awareness and the health status of consumers: na on-line survey. International Dairy Journal 96: 85-92.

GUIMARÃES ABM et al. 2019. Pesquisa de resíduo de antibiótico em leite in natura, pasteurizado e UHT. Revista PubSaúde 2: a012.

KOSGEY A et al. 2018. Antibiotic Residues in Milk from Three Popular Kenyan Milk Vending Machines. The Amerincan Journal of Tropical Medicine and Hygiene 98:1520-1522.

LANGONI H et al. 2017. Considerações sobre o tratamento das mastites. Pesquisa Veterinária Brasileira 37: 1261-1269.

MOTTA RG et al. 2015. Indicadores de qualidade e composição do leite informal comercializado na região Sudeste do Estado de São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 35: 417-423.

NASCIMENTO GGF et al. 2001. Ocorrência de resíduos de antibióticos no leite comercializado em Piracicaba, SP. Revista de Nutrição 14: 119-124.

NETTO DP et al. 2005. Levantamento dos principais fármacos utilizados no rebanho leiteiro do Estado do Paraná. Acta Scienctiarum. Animal Sciences 27: 145-151.

PILON L & DUARTE KMR. 2010. Técnicas para detectar resíduos de antibiótico em leite bovino. Pubvet 4: 986-991.

RODRIGUES MX et al. 2012. Levantamento da ocorrência de resíduos de antibiótico em leite cru produzido na região dos Campos Gerais, Paraná. Unopar Científica Ciências Biológicas e da Saúde 14: 237-240.

SANTOS MV & FONSECA LFL. 2019. Controle da mastite e qualidade do leite: desafios e soluções. 1.ed. São Paulo: FMVZ-USP. p.252-261.

SILVA JDOL. 2019. Detecção de resíduos de antibiótico de leite UHT e leite in natura comercializado de forma informal em feiras e em mercados no município de Rolim de Moura-RO. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Medicina Veterinária). Rolim de Moura: UNIR.45p.

SILVA MH et al. 2016. Detecção de resíduos de antibióticos e substâncias antimicrobianas em leite pasteurizado. In: I Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino em Ciências. Anais... Campina Grande: CONAPESC. 10p.

SILVA TS et al. 2015. Resíduos de antimicrobianos no leite produzido em Goiás, Brasil, sob fiscalização do Serviço de Inspeção Federal (SIF). Veterinária em Foco 13: 26-36.

TREIBER FM & BERANEK-KNAUER H. 2021. Antimicrobial Residues in Food from Animal Origin - A Review of the Literature Focusing on Products Collected in Stores and Markets Worldwide. Antibiotics 10: 534.

VIDAL-MARTINS AMC et al. 2013. Avaliação do consumo de leite e produtos lácteos informais e do conhecimento da população sobre os seus agravos à saúde pública, em um município do estado de São Paulo, Brasil. Boletim de Indústria Animal 70: 221-227.

YAMAKI M et al. 2004. Occurrence of Antibiotic Residues in Milk from Manchega Ewe Dairy Farms. Journal of Dairy Science 87: 3132-3137.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

ANDRADE, S. H. S. de .; ALBUQUERQUE, L. C. C. L. de .; ACURCIO, L. B. . Detecção de resíduos de antimicrobianos em leite cru informal no centro-oeste de Minas Gerais. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 4, p. 542-546, 2022. DOI: 10.5965/223811712142022542. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/22124. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Nota de Pesquisa - Ciência de Animais e Produtos Derivados