Manejo de plantas daninhas e fertilidade limitam o potencial de produtividade da mandioca em ambiente subtropical

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712132022274

Palavras-chave:

Manihot esculenta Crantz, fertilidade, plantas daninhas, s-metolachlor, simanihot

Resumo

Os objetivos deste trabalho foram avaliar a resposta à adubação e diferentes épocas de controle de plantas daninhas no acúmulo de matéria seca de folhas, hastes, raízes e produção de massa fresca de raízes de mandioca. Dois experimentos foram conduzidos em campos comerciais nos municípios de Ibarama e Santa Maria localizados no Rio Grande do Sul, Sul do Brasil, durante a safra 2018/2019. Cinco tratamentos, com aplicações variadas de fertilizantes químicos e herbicidas foram utilizados para representar as práticas de manejo comumente utilizadas pelos agricultores do Sul do Brasil. O modelo baseado no processo Simanihot foi usado para simular o crescimento, desenvolvimento e produtividade da mandioca sob condições potenciais. Os resultados mostram que a dose recomendada de fertilizantes e calagem combinados com herbicida pré-emergente e três manejos mecânicos de limpeza de plantas daninhas apresentaram um aumento de 72% na produtividade de raízes em relação ao manejo utilizado pela produtividade média dos pequenos agricultores. Portanto, é possível atingir 80% do potencial de produtividade mantendo a cultura da mandioca livre de interferência de plantas daninhas e com aplicação de fertilizantes. A presença de plantas daninhas durante os primeiros 100 dias após o plantio reduziu cerca de 50% da produção de matéria seca da planta em Ibarama e Santa Maria e 79,2% da produtividade de raízes frescas em Ibarama.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE JA et al. 2014. Occurrence of weeds in cassava savanna plantations in Roraima. Planta Daninha 2: 91-98.

ALVES FILHO P et al. 2015. Resposta da cultivar de mandioca roxinha à adubação NPK. Revista Raízes e Amidos Tropicais 11: 1-7.

AYE TM. 2011. Cassava Agronomy: Land Preparation, Time and method of planting and harvest, Plant spacing and Weed control. In: CIAT. Centro Internacional de Agricultura Tropical (org.). The Cassava Handbook. A Reference Manual based on the Asian Regional Cassava Training Course, held in Thailand. p.588-612.

BIFFE D et al. 2010. Período de interferência de plantas daninhas em mandioca (Manihot esculenta) no noroeste do Paraná. Planta Daninha 28: 471-478.

BORGES J et al. 2020. Potencial de produtividade da mandioca em função da época de plantio em ambiente subtropical. Revista de Ciências Agroveterinárias 19: 263-269.

CQFS RS/SC 2016. Comissão de Química e Fertilidade do Solo e Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - Núcleo Regional Sul. Manual de adubação e de calagem para os Estados de Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Porto Alegre: CQFS RS/SC.

FAO. 2019. FAOSTAT database. FAO, Home. Available in: http://www.fao.org/news/archive/news-by-date/2019/pt/ . access in: 20 dez. 2019.

FIDALSKI J. 1999. Respostas da mandioca à adubação npk e calagem em solos arenosos do noroeste do Paraná. Pesquisa Agropecuária Brasileira 34: 1353-1359.

GABRIEL L et al. 2014 Simulating cassava growth and yield under potential conditions in Southern Brazil. Agronomy Journal 106: 1119-1137.

HOFFMAN R. 2014. A agricultura familiar produz 70% dos alimentos no Brasil? Segurança Alimentar e Nutricional 21: 417-421.

HOWELER R et al. 2013. Save and grow: cassava. A guide to sustainable production intensification. Rome: Food and Agriculture Organization of the United Nations.

IBGE. 2022. Levantamento sistemático da produção agrícola. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/ 6588#resultado. Acesso em: 15 maio 2022.

KINTCHÉ K et al. 2017. Cassava yield loss in farmer fields was mainly caused by low soil fertility and suboptimal management practices in two provinces of the Democratic Republic of Congo. European Journal of Agronomy 89: 107-123.

MATTOS P et al. 2003. Cultivo da mandioca para o Estado do Pará. Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura. (Sistemas de produção 13).

MUNYAHALI W et al. 2017. Responses of cassava growth and yield to leaf harvesting frequency and NPK fertilizer in South Kivu, Democratic Republico f Congo. Field Crops Reserarch 214: 194-201.

PAULA G et al. 2010. Influência do fenômeno El Niño na erosividade das chuvas na região de Santa Maria, RS. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34: 1315-1323.

PERESSIN VA et al. 2013. Manejo integrado de plantas daninhas na cultura da mandioca. Campinas: Instituto Agronômico, Editora IAC. 54p.

SCHONS A et al. 2007. Emissão de folhas e início de acumulação de amido em raízes de uma variedade de mandioca em função da época de plantio. Ciência Rural 37: 1586-1592.

STRECK N et al. 2014. Efeito do espaçamento de plantio no crescimento, desenvolvimento e produtividade da mandioca em ambiente subtropical. Bragantia 73: 407-415.

STRECK V et al. 2018. Solos do Rio Grande do Sul. 3.ed. Porto Alegre: UFRGS.

RÓS A et al. 2013. Produção de raízes de mandioca e propriedades química e física do solo em função de adubação com esterco de galinha. Pesquisa Agropecuária Tropical 43: 247-254.

TAGLIAPIETRA B et al. 2019. Mandioca para alimentação humana e animal. 1.ed. Santa Maria: EMATER. 104p.

THOMÁS P et al. 2016. Exigências Nutricionais da Mandioca (Manihot esculenta Crantz). XI Semana Universitária, Ciência Alimentando o Brasil. Mineiros: UNIFIMES. 7p.

TIRONI L et al. 2015. Desempenho de cultivares de mandioca em ambiente subtropical. Bragantia 74: 58-66.

TIRONI L et al. 2017. Simanihot: A process-based model for simulating growth, development and productivity of cassava. Engenharia Agrícola 37: 471-483.

TIRONI L et al. 2019. Ecofisiologia da mandioca visando altas produtividades. 1.ed. Santa Maria: Editora GR. 136p.

TRACHTA M et al. 2020. Leaf area estimation with nondestructive method in cassava. Bragantia 79: 347-359.

VISSES FA et al. 2019. Yield gap of cassava crop as a measure of food security - an example for the main Brazilian producing regions. Springer Nature 10: 1191-1202.

WERLE IS et al. 2021. Technology Levels in Cassava Cultivation Alter Phytosociology of Weeds. Hortscience 56: 787-794.

Downloads

Publicado

2022-10-19

Como Citar

CARDOSO, P. de S. .; ALVES, A. F.; FRIEDRICH, E. D.; TIRONI, L. F.; ULGUIM, A. da R.; STRECK, N. A.; ZANON, A. J. . Manejo de plantas daninhas e fertilidade limitam o potencial de produtividade da mandioca em ambiente subtropical. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 3, p. 274-281, 2022. DOI: 10.5965/223811712132022274. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/21797. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)