Distribuição das formas de potássio no solo em decorrência da aplicação de calcário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712112022035

Palavras-chave:

calagem, solução do solo, disponibilidade de K

Resumo

O potássio existe no solo em diferentes formas e todas se encontram em equilíbrio químico dinâmico com o K da solução do solo, o qual determina a disponibilidade para as plantas e é influenciado pelo pH. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da elevação do pH e da aplicação de K na distribuição desse nutriente em suas diversas formas, em algumas classes de solos. O experimento foi conduzido em laboratório, utilizando-se cinco solos catarinenses. Os tratamentos consistiram de uma combinação fatorial entre doses de calcário (0, 0,25, 0,5, 1,0 e 1,5 vezes a quantidade de calcário indicada para elevar o pH até 6,0) e aplicação ou não de 1000 mg kg-1 de K. A adição de K juntamente com calcário proporcionou aumentos no pH dos solos um pouco mais baixos em comparação com a aplicação somente do corretivo da acidez. O K na solução do solo foi a forma mais afetada pela adição de calcário, cujos teores diminuíram em todos os solos, independentemente da adição ou não de K. O aumento do pH também proporcionou diminuição do K extraível em quatro dos cinco solos, à exceção do Argissolo. Os teores de K não trocável foram os menos afetados pela calagem. A elevação do pH afeta a distribuição relativa do K entre as principais formas em que esse nutriente se encontra no solo e isso pode afetar sua disponibilidade às plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA JA & ERNANI PR. 1996. Influência do solvente, da relação solo/solvente, e da incubação das amostras úmidas na variação do pH de solos catarinenses. Ciência Rural 26: 81-85.

BORTOLON L et al. 2010. Disponibilidade de potássio para as plantas em solos do sul do Brasil estimada por métodos multielementares. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34: 1753-1761.

BRITZKE D et al. 2012. A study of potassium dynamics and mineralogy in soils from subtropical Brazilian lowlands. Journal Soils Sediments 12: 185-197.

CALVARUSO C et al. 2014. Seasonal evolution of the rhizosphere effect on major and trace elements in soil solutions of Norway Spruce (Picea abies Karst) and Beech (Fagus sylvatica) in an acidic forest soil. Open Journal of Soil Science 4: 323-336.

CHAVES E et al. 2015. Reserva mineral de K por diferentes métodos em Argissolos subtropicais. Revista Brasileira de Ciência do Solo 39: 1088-1099.

CUNHA GOM et al. 2014. Relação entre o alumínio extraível com KCl e oxalato de amônio e a mineralogia da fração argila, em solos ácidos brasileiros. Revista Brasileira de Ciência do Solo 38: 1387-1401.

DINIZ SF et al. 2007. Fontes de potássio não trocável e potássio total em quatro solos do Estado do Ceará. Geociências 26: 379-386.

DAS R & SAHA D. 2013. Changes in non-exchangeable K in an acid and the corresponding limed soil as affected by addition of nitrogenous and potassic fertilizers. Journal of Crop and Wood 9: 99-102.

ERNANI PR & BARBER SA. 1993. Composição da solução do solo e lixiviação de cátions afetadas pela aplicação de cloreto e sulfato de cálcio em um solo ácido. Revista Brasileira de Ciência do Solo 10: 41-46.

ERNANI PR et al. 2012. Liming decreases the vertical mobility of potassium in acid soils. Communications in Soil Science and Plant Analysis 43: 2544-2549.

ERNANI PR. 2016. Química do solo e disponibilidade de nutrientes. 2.ed. Lages: O autor. 256p.

FARIA GD et al. 2002. Produção e estado nutricional de povoamentos de Eucalyptus grandis, em segunda rotação, em resposta à adubação potássica. Revista Árvore 26: 577-584.

FRAGA TI et al. 2009. Suprimento de potássio e mineralogia de solos de várzea sob cultivos sucessivos de arroz irrigado. Revista Brasileira de Ciência do Solo 33: 497-506.

FIRMANO RF et al. 2020. Potassium reserves in the clay fraction of a Tropical soil fertilized for three decades. Clays and Clay Minerals 68: 237-249.

GAO XS et al. 2019. Spatial variability of soil, nitrogen, phosphorus and potassium in Renshou County of Sichuan Basin, China. Journal of Integrative Agriculture 18: 279-289.

GEE GW & BAUDER JW. 1986. Particle-size analysis. In: KLUTE A. Methods of Soil Analysis: Physical and Mineralogical Methods. 2.ed. Madison: American Society of Agronomy. p.383-412.

KAMINSKI J et al. 2007. Depleção de formas de potássio do solo afetada por cultivos sucessivos. Revista Brasileira de Ciência do Solo 3: 1003-1010.

KNUDSEN D et al. 1986. Lithium, sodium and potassium. In: PAGE AL. (Ed.). Methods of soil analysis: Chemical and microbiological properties. 2.ed. Madison: American Society of Agronomy. p. 225-246.

LUNARDI NETO A & ALMEIDA JA. 2013. Mineralogia das frações silte e argila em Argissolos com horizontes subsuperficiais escurecidos em Santa Catarina. Revista de Ciências Agroveterinárias 12: 282-293.

MEDEIROS JS et al. 2014. Formas de potássio em solos representativos do Estado da Paraíba. Revista Ciência Agronômica 45: 417-426.

MELO GW et al. 2004. Fontes de potássio em solos distroférricos cauliníticos originados de basalto no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 597-603.

MELO VF et al. 2005. Cinética de liberação de potássio e magnésio pelos minerais da fração argila de solos do triângulo mineiro. Revista Brasileira de Ciência do Solo 29: 533-545.

MELO VF et al. 2009. Reserva mineral do solo. In: MELO VF & ALLEONI LRF. (Eds). Química e Mineralogia do Solo, Parte I. Viçosa: SBCS. p.251-332.

MOTERLE DF et al. 2016. Impact of potassium fertilization and potassium uptake by plants on soil clay mineral assemblage in South Brazil. Plant Soil 406: 157-172.

MOTERLE DF et al. 2019. Does Ferralsol Clay Mineralogy Maintain Potassium Long-Term Supply to Plants? Revista Brasileira de Ciência do Solo 43: e0180166.

MOUHAMAD R et al. 2016. Behavior of potassium in soil: a mini review. Chemistry International 2: 58-69.

PAOLA A et al. 2016. Short term clay mineral release and re-capture of potassium in a Zea mays field experiment. Geoderma 264: 54-60.

PORTELA E et al. 2019. Effect of soil mineralogy on potassium fixation in soils developed on different parent material. Geoderma 343: 226-234.

SPARKS DL & CARSKI TH. 1985. Kinetics of potassium exchange in heterogeneous systems. Applied Clay Science 1: 89-101.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. Porto Alegre: UFRGS. 174p.

TESKE R et al. 2013. Caracterização mineralógica dos solos derivados de rochas efusivas no Planalto Sul de Santa Catarina, Brasil. Revista de Ciências Agroveterinárias 12:187-198.

WHITTIG LD & ALLARDICE WR. 1986. X-Ray Diffraction Techniques. In: KLUTE A. (Ed.). Methods of Soil Analysis: Physical and Mineralogical Methods. 2.ed. Madison: American Society of Agronomy. p. 331-362.

Downloads

Publicado

2022-03-04

Como Citar

KASEKER, J. F.; ERNANI, P. R.; ALMEIDA, J. A. de; GERBER, J. M.; ROSA, E. de F. F. da. Distribuição das formas de potássio no solo em decorrência da aplicação de calcário. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 1, p. 35-46, 2022. DOI: 10.5965/223811712112022035. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/19817. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente