Carbono orgânico e nitrogênio do solo sob alturas de pastejo da Urochloa ruziziensis em sistema agropastoril

Autores

  • Gilberto Alves Ferreira Colégio Agrícola Estadual de Umuarama, Umuarama, PR, Brasil.
  • Sérgio José Alves Instituto Agronômico do Paraná, Londrina,PR, Brasil.
  • Paulo Sérgio Rabello de Oliveira Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.
  • Antonio Carlos Torres da Costa Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil
  • Antonio Nolla Universidade Estadual de Maringá, Umuarama, PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711832019352

Palavras-chave:

resíduos vegetais, plantio direto, pastagem, Glycine max

Resumo

A matéria orgânica do solo é essencial dentro do sistema agrícola e seu acúmulo pode ser favorecido pelo aporte de resíduos vegetais sobre o solo. Objetivou-se avaliar o efeito da altura de pastejo de Urochloa ruziziensis nos teores e estoques de carbono orgânico e nitrogênio do solo, em sistema agropastoril, em Latossolo Vermelho Distrófico típico. Para o estudo foram coletadas amostras de solo entre os anos de 2010 e 2012. O delineamento foi em blocos casualizados em parcelas subdivididas no tempo e cinco tratamentos, constituídos pelas alturas de pastejo: 10; 20; 30 e 40 cm e mais uma área não pastejada de Urochloa ruziziensis, e três repetições. Determinou-se nas camadas do solo (0-10, 10-20 e 20-30 cm de profundidade) o teor e estoque de carbono orgânico total, carbono orgânico particulado, carbono orgânico associado aos minerais, teor e estoque de nitrogênio total e o teor de nitrogênio mineral. As variáveis estudadas foram submetidas à análise de variância pelo teste F e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey, ambos, ao nível de 5% de probabilidade. Os teores e estoques de carbono orgânico total e suas respectivas frações, os teores de nitrogênio total e mineral do solo, além, dos estoques de nitrogênio total do solo, não foram alterados pelas alturas de pastejo e a área não pastejada. Todavia, na camada 0-10 cm, ocorreu aumento dos teores e estoques de carbono orgânico total, carbono orgânico associado aos minerais e redução do carbono orgânico particulado do solo, e, também, aumento dos teores e estoques de nitrogênio total entre o primeiro e o segundo ano de condução, sob plantio direto. Houve aumento dos teores de nitrogênio mineral após a colheita da soja para todas as camadas do solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTHRAM GT. 1985. Experimental techniques: the HFRO sward stick. In: Biennial report of the hill farming research organization 1984/1985. Penicuik: Hill Farming Research Organization. p.29-30.

BATISTA I et al. 2013. Teores e estoque de carbono em frações lábeis e recalcitrantes da matéria orgânica do solo sob integração lavoura-pecuária no bioma Cerrado. Semina: Ciências Agrárias 34: 3377-3388.

BAYER C et al. 2004. Armazenamento de carbono em frações lábeis da matéria orgânica de um Latossolo Vermelho sob plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira 39: 677-683.

CAMBARDELLA CA & ELLIOT ET. 1992. Particulate soil organic matter changes across a grassland cultivation sequence. Soil Science Society of America Journal 56: 777-783.

CARMO FF do et al. 2012. Frações granulométricas da matéria orgânica em latossolo sob plantio direto com gramineas. Bioscience Journal 28: 420-431.

CARVALHO JS et al. 2016. Evolução de atributos físicos, químicos e biológicos em solo hidromórfico sob sistemas de integração lavoura-pecuária no bioma Pampa. Pesquisa Agropecuária Brasileira 51: 1131-1139.

CONCEIÇÃO PC et al. 2013. Combined role of no-tillage and cropping systems in soil carbon stocks and stabilization. Soil and Tillage Research 129: 40-47.

CONTE O et al. 2011. Densidade, agregação e frações de carbono de um Argissolo sob pastagem natural submetida a níveis de ofertas de forragem por longo tempo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 35: 579-587.

CORDEIRO LAM et al. 2015. Integração lavoura-pecuária e integração lavoura-pecuária-floresta: estratégias para intensificação sustentável do uso do solo. Cadernos de Ciência & Tecnologia 32: 15-53.

COSTA NR et al. 2015. Atributos do solo e acúmulo de carbono na integração lavoura-pecuária em sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo. 39: 852-863.

EMBRAPA. 2013. Tecnologias de produção de soja - Região Central do Brasil 2014. Londrina: Embrapa Soja. 265p.

FERREIRA ACB & LAMAS FM. 2010. Espécies vegetais para cobertura do solo: influência sobre plantas daninhas e a produtividade do algodoeiro em sistema plantio direto. Revista Ceres 57: 778-786.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

FERREIRA JP et al. 2018. Atributos químicos e físicos de um latossolo em diferentes sistemas integrados de produção agropecuária. Boletim Indústria Animal 75: 1-17.

FIDALSKI J et al. 2013. Intervalo hídrico ótimo de um Latossolo Vermelho distrófico, após o primeiro período de pastejo contínuo de Brachiaria ruziziensis, em sistema integração lavoura-pecuária. Revista Brasileira de Ciência do Solo 37: 775-783.

FONTANA A et al. 2011. Avaliação dos compartimentos da matéria orgânica em área de Mata Atlântica. Acta Scientiarum. Agronomy 33: 545-550.

FREITAS L et al. 2017. Indicadores da qualidade química e física do solo sob diferentes sistemas de manejo. Revista Unimar Ciências 26: 1-18.

FREIXO AA et al. 2002. Estoques de carbono e nitrogênio e distribuição de frações orgânicas de latossolo do cerrado sob diferentes sistemas de cultivo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 26: 425-434.

GONÇALVES CN et al. 2000. Sucessões de culturas com plantas de cobertura e milho em plantio direto e sua influência sobre o nitrogênio no solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 24: 153-159.

GUARESCHI RF et al. 2013. Frações da matéria orgânica em áreas de Latossolo sob diferentes sistemas de manejo no Cerrado do estado de Goiás. Semina: Ciências Agrárias 34: 2615-2628.

IAPAR. 1987. Instituto Agronômico do Paraná. Cartas climáticas básicas do Estado do Paraná. Londrina: IAPAR. 35p.

KUNRATH TR et al. 2015. Grazing management in an integrated crop-livestock system: soybean development and grain yield. Revista Ciência Agronômica 46: 645-653.

LOSS A et al. 2009. Carbono e frações granulométricas da matéria orgânica do solo sob sistemas de produção orgânica. Ciência Rural 39: 1077-1082.

LOVATO T et al. 2004. Adição de carbono e nitrogênio e sua relação com os estoques no solo e com o rendimento do milho em sistemas de manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 175-187.

MASCARENHAS ARP et al. 2017. Atributos físicos e estoques de carbono do solo sob diferentes usos da terra em Rondônia, Amazônia Sul-Ocidental. Pesquisa Florestal Brasileira 37: 19-27.

MARQUES TCLLSM et al. 2000. Envolvimento de dióxido de carbono e mineralização de nitrogênio em Latossolo Vermelho-Escuro com diferentes manejos. Pesquisa Agropecuária Brasileira 35: 581-589.

MELO VF et al. 2017. Qualidade química e biológica do solo em diferentes sistemas de uso em ambiente de savana. Revista Agroambiente On-line 11: 101-110.

MENDONÇA ES & LEITE LFC. 2006. Modelagem matemática e simulação da dinâmica da materia orgánica do solo. In: ROSCOE R et al. (Ed.). Dinâmica da matéria orgânica do solo em sistema conservacionistas – modelagem matemática e métodos auxiliares. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste. p.75-106.

MOTT GO & LUCAS HL. 1952. The design, conduct and interpretation of grazing trials on cultivated and improved pastures. In: 6 International Grassland Congress. Proceedings…Pennsylvania: State College. p.1380-1385.

PAVAN MA et al. 1992. Manual de análise química do solo e controle de qualidade. Londrina: IAPAR. 40p.

PRAGANA RB et al. 2012. Atributos biológicos e dinâmica da matéria orgânica em Latossolos Amarelos na região do Cerrado piauiense sob sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 851-858.

RANGEL OJP & SILVA CA. 2007. Estoques de carbono e nitrogênio e frações orgânicas de latossolo submetido a diferentes sistemas de uso e manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 31: 1609-1623.

RIBEIRO PH et al. 2011. Adubação verde, os estoques de carbono e nitrogênio e a qualidade da matéria orgânica do solo. Revista Verde: 6: 43-50.

ROSCOE R et al. 2006. Sistemas de manejo e matéria orgânica do solo. In: ROSCOE R et al. (Ed.). Dinâmica da matéria orgânica do solo em sistema conservacionistas – modelagem matemática e métodos auxiliares. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste. p.17-42.

ROSSI CQ et al. 2012a. Frações orgânicas e índice de manejo de carbono do solo em Latossolo Vermelho sob plantio de soja no cerrado goiano. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 7: 233-241.

ROSSI CQ et al. 2012b. Frações lábeis da matéria orgânica em sistema de cultivo com palha de braquiária e sorgo. Revista Ciência Agronômica 43: 38-46.

SALTON JC et al. 2005. Matéria orgânica do solo na integração lavoura-pecuária em Mato Grosso do Sul. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste. 58p. (Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento 29).

SANTOS HG dos et al. 2018. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5.ed. Brasília: Embrapa. 590p.

SILVA AC et al. 2006. Dessecação pré-colheita de soja e Brachiaria brizantha consorciadas com doses reduzidas de graminicida. Pesquisa Agropecuária Brasileira 41: 37-42.

SILVA EF da et al. 2011. Frações lábeis e recalcitrantes da matéria orgânica em solos sob integração lavoura pecuária. Pesquisa Agropecuária Brasileira 46: 1321-1331.

SILVEIRA PM et al. 2005. Adubação nitrogenada no feijoeiro cultivado sob plantio direto em sucessão de culturas. Pesquisa Agropecuária Brasileira 40: 377-381.

SOUZA ED et al. 2008. Carbono orgânico e fósforo microbiano em sistema de integração agricultura-pecuária submetido a diferentes intensidades de pastejo em plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 32: 1273-1282.

SOUZA ED et al. 2009. Estoques de carbono orgânico e de nitrogênio no solo em sistema de integração lavoura-pecuária em plantio direto, submetido a intensidades de pastejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 33: 1829-1836.

VEZZANI FM & MIELNICZULK J. 2009. Uma visão sobre a qualidade do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 33: 743-755.

VILELA EF & MENDONÇA ES. 2013. Impacto de sistemas agroflorestais sobre a matéria orgânica do solo: Modelagem de carbono e nitrogênio. Coffee Science 8: 354-363.

VILELA L. et al. 1998. Calagem e adubação para pastagens na região do cerrado. Planaltina: Embrapa. 16p.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análises de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 174p.

USDA. 1999. United States Department of Agriculture. Soil Taxononmy - a basic system of soil classification for making and interpreting soil survey. 2.ed. Washington: USDA. 871p.

Downloads

Publicado

2019-07-30

Como Citar

FERREIRA, G. A.; ALVES, S. J.; OLIVEIRA, P. S. R. de; COSTA, A. C. T. da; NOLLA, A. Carbono orgânico e nitrogênio do solo sob alturas de pastejo da Urochloa ruziziensis em sistema agropastoril. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 18, n. 3, p. 352-362, 2019. DOI: 10.5965/223811711832019352. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/11631. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)