Evaluation of environmental impacts generated by the implementation and operation of an electrical substation: a case study in Palhoça, SC

Authors

  • Eliana Turmina Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Maria Raquel Kanieski Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Larissa Antunes de Jesus Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Luiara Heerdt da Rosa Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente
  • Lais Gervasio Batista Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente
  • Alexandre Nascimento de Almeida Universidade de Brasília - FUP/UnB

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711732018589

Keywords:

power transmission, impactful enterprise, matrix.

Abstract

Electricity is essential nowadays, but to reach agro-veterinary enterprises, as well as the final consumer, there is a need to implement projects that can impact the environment. As such, evaluating environmental impacts plays an important role, contributing to economic and social development allied to environmental factors. The objective of this study was to evaluate the impacts generated by an electrical substation, located in the municipality of Palhoça, state of Santa Catarina, by means of the Ad Hoc method, as well as of both matrices of interaction and attribute weighting. We analyzed the activities related to the implementation stages of the project consisting of earthworks when necessary and, later, civil construction activities. Finally, the operation stage of the enterprise consists of identifying the generating actions that are the activities of earthworks, leasing and construction of structures, excavations, drainage and grounding systems, electromechanical assemblies, personnel mobilization and substation maintenance and, consequently, environmental impacts. The activities conducted by the enterprise in question that can directly affect the environmental aspects such as: water, soil, atmospheric emissions, among others, besides social aspects. Using weighting and interaction matrices, it was possible to diagnose that most impacting activities occur in the implementation phase of the project. Most impacts, for the selected enterprise, were classified as of small importance, low magnitude and reversible. This case study may support future research and environmental studies in a variety of areas, depicting a method to demonstrate the importance and interaction of each impact, as well as presenting to licensing agencies an alternative method which may be required for future environmental impact studies.

Author Biographies

Eliana Turmina, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal

Maria Raquel Kanieski, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Professora Drª do Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal

Larissa Antunes de Jesus, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal

Luiara Heerdt da Rosa, Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente

Engenheira florestal na empresa Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente

Lais Gervasio Batista, Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente

Engenheira Ambiental na empresa Geoconsultores Engenharia e Meio Ambiente

Alexandre Nascimento de Almeida, Universidade de Brasília - FUP/UnB

Professor Drº na universidade Universidade de Brasília - FUP/UnB

References

AVILA SM & GONÇALVES PB. 2010. Procedimento para determinação das matrizes de ponderação do algoritmo de controle ótimo para um amortecedor de massa híbrido (AMH). Asociación Argentina de Mecánica Computacional XXIX: 1345-1365.

BRASIL. 1986. Resolução CONAMA nº 01, de 23 de janeiro de 1986. Que dispõe sobre as definições, as responsabilidades, os critérios básicos e as diretrizes gerais para uso e implementação da Avaliação de Impacto Ambiental como um dos instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 17 Fev. 1986.

BRASIL. 1987. Resolução CONAMA n° 06, de 16 de setembro de 1987. Que dispõe sobre o licenciamento ambiental de obras do setor de geração de energia elétrica. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 Out. 1987.

BRASIL. 1997. Resolução CONAMA n° 237 de 19 de dezembro de 1997. Dispõe sobre a revisão e complementação dos procedimentos e critérios utilizados para o licenciamento ambiental. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 Dez. 1997.

BRASIL. 2001. Resolução CONAMA n° 279, de 27 de junho de 2001. Que dispõe sobre a necessidade de estabelecer procedimento simplificado para o licenciamento ambiental, dos empreendimentos com impacto ambiental de pequeno porte. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 29 Jun. 2001.

CAMARGO ASG et al. 2004. Proposta de definição de indicadores de sustentabilidade para geração de energia elétrica. Revista Educação & Tecnologia 8: 1-21.

DINIZ FB. 2003. Impacto ambiental da emissões sonoras de subestações de energia elétrica na cidade de Curitiba. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica). Curitiba: UFPR. 121p.

FERREIRA JB. 2011. Estudo de impactos ambientais e medidas mitigadoras para uma obra de linhas de transmissão de energia elétrica. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia). Florianópolis: UFSC. 48p.

FINUCCI M. 2010. Metodologias utilizadas na avaliação do impacto ambiental para liberação comercial do plantio de transgênicos: uma contribuição ao estado da arte no Brasil. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública). São Paulo: USP. 230p.

GEO CONSULTORES. 2016. Estudo Ambiental Simplificado – EAS: subestação Palhoça Caminho Novo. Tubarão: Geo Consultores Engenharia e Meio Ambiente Ltda, 159p.

IBGE. 2012. Manual Técnico da Vegetação Brasileira: Sistema fitogeográfico inventário das formações florestais e campestres, técnicas e manejo de coleções botânicas, procedimentos para mapeamentos. 2.ed. Rio de janeiro: IBGE. 271p. (Manuais Técnicos de Geociências, 1).

LIMA AO de. 2008. Estudo de medidas para controle ambiental em subestações de energia elétrica. Dissertação (Mestrado em Gestão e Políticas Ambientais). Recife: UFPE. 80p.

MORGAN A. 2017. Métodos mais utilizados na avaliação de impactos ambientais. Centro de Produções Técnicas e Editora Ltda. Disponível em: https://www.cpt.com.br/noticias/metodos-mais-utilizados-na-avaliacao-de-impactos-ambientais. Acesso em: 18 mai. 2017.

MORRIS P & THERIVEL R. 1995. Methods of Environmental Impact Assessment: the natural and built environmental. 2.ed. Londres: London: UCL Press. 492p.

PEREIRA ALAB. 2014. Análise crítica dos impactos ambientais ocasionados pela linha de transmissão 500 kV Miracema, Sapeaçu e subestações associadas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental). Rio de Janeiro: UFRJ. 112p.

PIMENTEL G & PIRES SH. 1992. Metodologias de avaliação de impacto ambiental: Aplicações e seus limites. Revista de Administração Pública 26: 56-68.

PIRES LFA. 2005. Gestão ambiental da implantação de sistemas de transmissão de energia elétrica. Estudo de caso: Interligação Norte/Sul I. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental). Niterói: UFF. 142p.

RODRIGUES ERC. 2014. Avaliação do impacto ambiental na implantação do sistema isolado e aéreo de distribuição de energia elétrica na reserva da Sapiranga em Mata de São João, BA. Monografia (Especialização em Gestão Ambiental em Municípios) Medianeira: UFTPR. 56p.

SÁNCHEZ LE. 2013. Avaliação de impacto ambiental - conceitos e métodos. 2.ed. São Paulo: Oficina de Textos. 584p.

SETANI M. 2015. Prevenção, Mitigação e Compensação de Impactos Ambientais de PCHs. Disponível em: http://www.ciclusambiental.net.br/blog/prevencaomitigacaoecompensacaodeimpactosambientaisdepchs. Acesso em: 21 mai. 2017.

SILVA E. 1999. Técnicas de avaliação de impactos ambientais. Viçosa: CPT. 64p. (Vídeo-curso, 199).

SILVA IMP. 2006. Impactos socioambientais da implantação de linha de transmissão de energia elétrica sobre as comunidades extrativistas do babaçu no estado do Maranhão. Dissertação (Mestrado em Gestão e Políticas Ambientais). Recife: UFPE. 103p.

VALDETARO EB et al. 2015. Conjugação dos métodos da matriz de interação e do check-list na avaliação quali-quantitativa de impactos ambientais de um programa de fomento florestal. Revista Árvore 39: 611-622.

WATHERN P. 1988. An introductory guide to EIA. In: WATHERN P. (Org). Environmental impact assessment: theory and practice. London: Unwin Hyman. p. 3-30.

Published

2018-11-14

Issue

Section

Research Article - Science of Soil and Environment