Divergência genética de genótipos de cafeeiros resistentes à ferrugem com base em características anatômicas

Autores

  • Mariana Thereza Rodrigues Viana Universidade Federal de Lavras
  • Tamara Cubiaki Pires da Gama Universidade Federal de Lavras
  • Janine Magalhães Guedes Universidade Federal de Lavras
  • Rubens José Guimarães Universidade Federal de Lavras
  • Harianna Paula Alves de Azevedo Universidade Federal de Lavras
  • Dalyse Toledo Castanheira Universidade Federal de Lavras
  • Vicente Luiz Naves Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711732018547

Palavras-chave:

coffea arábica, banco de germoplasma, melhoramento, anatomia foliar

Resumo

Objetivou-se com esse trabalho avaliar a divergência genética de genótipos de cafeeiros resistentes à ferrugem do Banco de Germoplasma de café de Minas Gerais, com base em características anatômicas. Foram avaliadas 12 características anatômicas foliares e a distância generalizada de Mahalanobis foi usada para quantificar a divergência genética entre os genótipos. Foram empregados como estratégia de agrupamento, o agrupamento de Tocher e o método hierárquico UPGMA (Unweighted Pair-Group Method Using Arithmetic Averages), além disso, foi feita a análise da contribuição relativa das variáveis. Houve variabilidade genética entre os genótipos, sendo que a análise do agrupamento de Tocher e UPGMA separaram os genótipos em cinco e sete grupos distintos, respectivamente. O genótipo MG 0582 se destacou como o mais divergente dentre os demais com base nas características anatômicas avaliadas. Conclui-se que existe uma grande variabilidade genética para as características da anatomia foliar entre os 15 genótipos avaliados, possibilitando a seleção de genótipos superiores com base nessas características.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTHONY F et al. 2002. The origin of cultivated Coffea arabica L.: varieties revealed by AFLP and SSR markers. Theoretical Applied Genetics 104: 894-900.

AZEVEDO AM et al. 2013. Seleção de genótipos de alface para cultivo protegido: divergência genética e importância de caracteres. Horticultura Brasileira 31: 260-265.

BALIZA DP et al. 2012. Trocas gasosas e características estruturais adaptativas de cafeeiros cultivados em diferentes níveis de radiação. Coffee Science 7: 250-258.

BARRETO LF et al. 2015. Characterization of rambutan plants by foliar aspects. African Journal of Agricultural Research 10: 3607-3613.

CASTANHEIRA DT et al. 2016. Potencial de utilização de características anatômicas e fisiológicas na seleção de progênies de cafeeiro. Coffee Science 11: 374-385.

CRUZ CD. 2013. GENES: software para análise de dados em estatística experimental e em genética quantitativa. Acta Scientiarum. Agronomy 35: 271-276.

DEL GROSSI L et al. 2013. Rust resistance in Arabic Coffee cultivars in northern Paraná. Brazilian Archives of Biology and Technology 56: 27-33.

EIRA MTS et al. 2007. Bancos de germoplasma de café no Brasil. Brasília: EMBRAPA Recursos Genéticos e Biotecnologia. 18p. (Documentos 243).

FONSECA AFA et al. 2006. Divergência genética em café conilon. Pesquisa Agropecuária Brasileira 41: 599-605.

GOMES IAC et al. 2008. Alterações morfofisiológicas em folhas de Coffea arabica L. cv. ”Oeiras” sob influência do sombreamento por Acacia mangium Willd. Ciência Rural 38: 109-115.

GUEDES JM et al. 2013a. Genetic divergence among progenies resulting from the crossing of groups coffee Hybrid Timor and Dilla & Alghe. Journal of Agricultural Science and Technology 3: 865-872.

GUEDES JM et al. 2013b. Divergência genética do germoplasma Maragogipe. Bragantia 72: 127-132.

IVOGLO MG et al. 2008. Divergência genética entre progênies de café robusta. Bragantia 67: 823-831.

JOHANSEN DA. 1940. Plant microtechnique. New York: McGraw-Hill Book Company. 487p.

KÖPPEN W. 1948. Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. México: Fondo de Cultura Econômica. 478p.

KRAUS JE & ARDUIM M. 1997. Manual básico de métodos em morfologia vegetal. Rio de Janeiro: Seropédica. 198p.

LOURENÇO HAO et al. 2011. Anatomia foliar de diferentes cultivares de soja e sua relação com a incidência e severidade de doenças. Global Science and Technology 4: 37-47.

MUSSURY RM et al. 2012. Anatomia foliar de soja infectada por Phakopsora pachyrhizi H. Sydow & Sydow e tratadas com extratos vegetais. Revista Brasileira De Plantas Medicinais 14: 18-25.

OLIVEIRA NK et al. 2014. Anatomia foliar de cafeeiros implantados com o uso de polímero hidrorretentor. Coffee Science 9: 258-265.

QUEIROZ-VOLTAN RB et al. 2014. Caracterização da anatomia foliar de cafeeiros arábica em diferentes períodos sazonais. Revista Biotemas 27: 1-10.

RIBEIRO MNO et al. 2012. Anatomia foliar de mandioca em função do potencial para tolerância às diferentes condições ambientais. Revista Ciência Agronômica 43: 354-361.

SILVA LM et al. 2005. Inter-relações entre anatomia vegetal e produção vegetal. Acta Botânica Brasílica 19: 183-194.

SINGH D. 1981. The relative importance of characters affecting genetic divergence. The Indian Journal of Genetic and Plant Breeding 41: 237-245.

VÁRZEA VMP et al. 2002. Resistência do cafeeiro a Hemileia vastatrix. In: ZAMBOLIM. L (Ed.). O estado da arte de tecnologias na produção de café. Viçosa: UFV. p.297-303.

Downloads

Publicado

2018-11-14

Como Citar

VIANA, Mariana Thereza Rodrigues; GAMA, Tamara Cubiaki Pires da; GUEDES, Janine Magalhães; GUIMARÃES, Rubens José; AZEVEDO, Harianna Paula Alves de; CASTANHEIRA, Dalyse Toledo; NAVES, Vicente Luiz. Divergência genética de genótipos de cafeeiros resistentes à ferrugem com base em características anatômicas. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 17, n. 4, p. 547–555, 2018. DOI: 10.5965/223811711732018547. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/10481. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados