Os pronomes empáticos e o perspectivismo dramatúrgico: sobre “Nós Outros”, da Fala Companhia de Teatro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101432022e0113

Palavras-chave:

Perspectivismo, Antropologia, Criação teatral, Povos indígenas

Resumo

Em 2018, acompanhei parte do processo criativo do espetáculo teatral

Nós Outros

, concebido pela Fala Companhia de Teatro, de Curitiba, criado a partir da vivência dos atores e do dramaturgo e diretor Don Correa com indígenas das etnias Guarani e Kaingang, na Aldeia Tupã Nhe´e Kretã, em Morretes, Paraná. Este artigo busca cotejar memórias do processo criativo do diretor do espetáculo com algumas reflexões a partir da minha atuação como antropólogo convidado no processo de criação do espetáculo. Procurei interpretar os dispositivos cênicos e dramatúrgicos propostos por Don Correa inspirado pelo perspectivismo ameríndio (Viveiros de Castro, 1996) e pela “arte antropológica” (Ingold, 2020). O texto revela cruzamentos de fronteiras do dramaturgo como etnógrafo e do antropólogo como espectador, crítico e participante do processo criativo e permite sublinhar instâncias comuns entre a escrita dramatúrgica e a escrita antropológica, apresentando-as como formas criativas e autorais de relações com a alteridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cauê Krüger, PUCPR / UNESPAR

Doutor em Sociologia e Antropologia (UFRJ), Mestre em Antropologia Social (UNICAMP), bacharel em Artes Cênicas (FAP), graduado e licenciado em Ciências Sociais (UFPR). Coordenador da Especialização em Antropologia Cultural e professor de Antropologia da PUCPR. Docente do PPGARTES (UNESPAR).

Don Correa, FALA Cia de Teatro

Bacharel em Filosofia pela UFPR, Graduado em Drama pela Tshwane University, Pretoria, África do Sul.  Dramaturgo e tradutor. Diretor e fundador da FALA Companhia de Teatro.

Referências

BAPTISTA, Patrick Leandro. “Cacique” Kretã: Aquele que olha por cima da montanha enxerga mais alto. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015.

BAUMGARTEL, Stephan. Meta-textualidade, instâncias de enunciação e conflitos não-narrativos reflexões sobre impulsos não-dramáticos na dramaturgia brasileira contemporânea. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 18, p.141-154, 2012. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101182012141 . Acesso em: jan. 2022.

BOURSCHEID, Marcelo. Performatividade, jogo e linguagem na dramaturgia de Don Correa. Revista Científica da FAP, v. 24, p. 142-150, 2021. Disponível em: http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/viewFile/4275/2946 Acesso em: jan. 2022.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. A presença do autor e a pós-modernidade na antropologia. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, v. 2, n. 21, p. 133-157, julho, 1988.

CARLSON, Marvin. Performance: a critical introduction. Londres e Nova Iorque: Routledge, 1996.

CASTRO, Laura. “Variações do corpo selvagem: a potência nômade de Hélio Oiticica e Waly Salomão”. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 27, p. 154-167, 2016. DOI: 10.5965/1414573102272016154. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/8720 . Acesso em: 14 jan. 2022.

CLIFFORD, James; MARCUS, George. Writing Culture: the poetics and politics of ethnography. Berkley: University of California Press, 1986.

CLIFFORD, James. “Sobre o surrealismo etnográfico” In: CLIFFORD, James; GONÇALVES, José Reginaldo dos Santos (org.). A Experiência Etnográfica: Antropologia e literatura no séc. XX. Rio de Janeiro: ed. UFRJ, 2002.

CORREA, Don. Nós Outros - Notas sobre o processo criativo. Não Publicado. 2021.

CORREA, Don. Nós Outros. Dramaturgia do espetáculo. Não Publicado, 2018.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis. Rio de Janeiro, Ed: Zahar, 1983.

DAWSEY, John C. Turner, Benjamin e Antropologia da Performance: O lugar olhado (e ouvido) das coisas. Campos, N.7, (2), p. 17-25, 2006. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/campos/article/view/7322. Acesso em 23 de março de 2022.

DAWSEY, John C. Victor Turner e a antropologia da experiência. Cadernos de campo. N.13, p.163-176, 2005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/50264. Acesso em 23 de março de 2022.

DUMONT, Louis. Homo hierarchicus: o sistema de castas e suas implicações. São Paulo: EDUSP. 1992.

FOSTER, Hal. “O artista como etnógrafo” In: O retorno do real. São Paulo, Cosac & Naify, 2014.

FRENKEL BARRETTO, E. Nós sós: Performance conectiva em isolamento - Fundamentos e Processos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 40, p.1-17, 2021. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/19306 Acesso em: 14 jan. 2022.

GEERTZ, Clifford. “Do ponto de vista dos nativos”: a natureza do entendimento antropológico” In: O Saber Local. Petrópolis, Vozes, 2003.

GÓES, Paulo Homem de; KRÜGER, Cauê. Nós Outros: uma performance sobre alteridade, empatia e alterações. Não publicado. 2018

GOLDMAN, Marcio. Uma categoria do pensamento antropológico: a noção de pessoa. Revista De Antropologia, 39(1), p.83-109, 1996. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.1996.111620.

INGOLD, Tim. Antropologia e/como Educação. Petrópolis, Vozes, 2020.

INGOLD, Tim. Chega de etnografia! A educação da atenção como propósito da antropologia. Educação, 39(3), 404-411, 2016. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.3.21690

KRÜGER, Cauê. Antropologia da Performance ou Antropologia do Teatro Contemporâneo?: notas etnográficas a propósito da companhia brasileira de teatro e do PROJETO bRASIL. Revista Brasileira Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 1 – 28, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbep/a/RWvhLHzDKjddsSJd73NDPkt/?format=pdf&lang=pt Acesso em 14 de jan. 2022.

KRÜGER, Cauê. A arte do encontro: uma etnografia da companhia brasileira de teatro e do PROJETO bRASIL. 2017. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

LANGDON, Jean; HARTMANN, Luciana. Tem um corpo nessa alma: encruzilhadas da antropologia da performance no Brasil. BIB. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 91, p. 1-31, 2020. Disponível em: http://anpocs.com/images/BIB/n91/BIB_0009104_05-02_luciana.pdf . Acesso em: janeiro de 2022.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a Dádiva. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo, Eds: PUF e EDUSP, 1974b.

MAUSS, Marcel. Uma categoria do espírito humano, a noção de pessoa, a noção do “eu”. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo, Eds: PUF e EDUSP, 1974a.

ROMAGNOLLI, Luciana. Convívio e presença como dramaturgia: a dimensão da materialidade e do encontro em Vida. Sala Preta, São Paulo, 14(2), 85-94, 2014. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/83930/91852 . Acesso em: jan. 2022.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Para ler o teatro contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

SANSI, Roger. Art, Anthropology and the Gift. London and New York, Bloomsbury Publishing, 2015.

SARRAZAC, Jean-Pierre. Poética do drama moderno: de Ibsen a Koltés. São Paulo, Perspectiva, 2017.

SEEGER, Anthony; DAMATTA, Roberto; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. “A construção da pessoa nas sociedades indígenas”. Rio de Janeiro, Boletim do Museu Nacional, n. 32, maio 1979.

SILVA, Rubens Alves da. “Entre artes e ciências: a noção de performance e drama no campo das ciências sociais” In: Horizontes Antropológicos, v.11 n.24, p. 35-65, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/GLxbmtS4ZtKGQwHhSmPPxSH/abstract/?lang=en&format=html. Acesso em: 23 de março de 2022.

SZTUTMAN, Renato (org.), Eduardo Viveiros de Castro. Encontros. Rio de Janeiro, Azougue, 2008.

TURNER, Victor. From ritual to theatre. New York: PAJ Press, 1982.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. "Os pronomes cosmológicos e o perspectivismo ameríndio", Mana, 2 (2), p.115–144, 1996. Disponível em: https://www.scielo.br/j/mana/a/F5BtW5NF3KVT4NRnfM93pSs. Acesso em 23 de março de 2022.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

KRÜGER, C.; CORREA, D. . Os pronomes empáticos e o perspectivismo dramatúrgico: sobre “Nós Outros”, da Fala Companhia de Teatro. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 43, p. 1-27, 2022. DOI: 10.5965/1414573101432022e0113. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21562. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: As artes da cena dos e com os povos indígenas