Notas sobre o Teatro do Oprimido nas universidades brasileiras: Possibilidades e impasses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102442022e0104

Palavras-chave:

Teatro do Oprimido, universidade, Augusto Boal, dialética, teatro político - Brasil

Resumo

O artigo apresenta reflexões sobre a relação entre o Teatro do Oprimido (TO) e as universidades brasileiras. Após um breve panorama histórico, buscou-se proceder a uma abordagem dialética com o objetivo de discutir as implicações da presença do TO no meio acadêmico brasileiro. Considerando a literatura e as vozes de diversos pesquisadores, apontou-se os impasses e as possibilidades que emergem da presença de uma prática artística militante no ambiente universitário brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hayaldo Copque, Southwest Bahia State University

Doutorado, Mestrado e Graduação em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor adjunto da área de Teatro na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). 

Referências

ALTIERI, Antonio Luís de Quadros. A cultura do teatro de Augusto Boal: processos socioeducativos. 2012. 314 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2012.

BADIOU, Alain. Em busca do real perdido. Tradução: Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

BARAÚNA, Tânia. Considerações sobre a Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire e a Metodologia do Oprimido de Augusto Boal. In: Ligiéro, Zeca; Turle, Licko; Andrade, Clara de (org.). Augusto Boal: arte, pedagogia e política. Rio de Janeiro: Mauad X, 2013. p.187-206.

BARBOSA, Inês, FERREIRA, Fernando Ilídio. Teatro do Oprimido e projeto emancipatório: mutações, fragilidades e combates. Sociedade e Estado [online]. 2017, v. 32, n. 2, p.439-463. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0102-69922017.3202008. Acesso em: 5 jan. 2022.

BOAL, Augusto. A estética do oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

BOAL, Augusto. Entre o teatro e a vida. IN: CARVALHO, Sérgio de (org.). O Teatro e a Cidade: Lições de História do Teatro. São Paulo: SMC, 2004.

BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. São Paulo: Editora 34, 2019.

BOAL, Julian. Sob antigas formas em novos tempos: o Teatro do Oprimido entre “ensaio da revolução” e adestramento interativo das vítimas. 2017. 212 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Serviço Social, Rio de Janeiro, 2017.

BRECHT, Bertolt. Poemas 1913-1956. Seleção e tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Editora 34, 2012.

CANDA, Cilene Nascimento. Todo mundo pode fazer Teatro do Oprimido: difusão de técnicas e jogos teatrais na educação. In: CANDA, Cilene Nascimento; MENDONÇA, Célida Salume (org.). Paisagens educativas do ensino de teatro na Bahia: saberes, experiências e formação de professores. Salvador: EDUFBA, 2018. p.203-222.

COLETIVO Terra em Cena. Terra em Cena. Página inicial. Disponível em: http://terraemcena.blogspot.com. Acesso em: 6 jan. 2022.

DESGRANGES, Flávio. A pedagogia do teatro: provocação e dialogismo. São Paulo: Editora Hucitec; Edições Mandacaru, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da tolerância. Rio de Janeiro; São Paulo: Paz e Terra, 2021.

Google Acadêmico. Disponível em: https://scholar.google.com.br/. Acesso em: 6 jan. 2022.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Tradução: Enio Paulo Giachini. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

LIGIÉRO, Zeca. Prefácio. In: MATTOS, Cachalote. et al. Teatro do oprimido e universidade: experimentos, ensaios e investigações. Rio de Janeiro: Metanoia, 2016. p.9-13.

LIVE Mirada: lançamento do projeto Observatório do Teatro do Oprimido. [S. l.: s. n.], 2021. 1 vídeo (55 min). Publicado pelo canal GESTO Grupo de Estudos em Teatro do Oprimido. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Up3bEhvewLo. Acesso em: 4 jan. 2022.

SANTOS, Bárbara. Teatro do Oprimido: Raízes e asas – uma teoria da práxis. Rio de Janeiro: Ibis Libris, 2016.

TRINDADE, Jussara. Notas sobre a criação do GESTO. In: MATTOS, Cachalote. et al. Teatro do oprimido e universidade: experimentos, ensaios e investigações. Rio de Janeiro: Metanoia, 2016. p.327-335.

VILLAS BÔAS, Rafael. Teatro do Oprimido: da relação com a estratégia política aos riscos da mercantilização, 2015. Disponível em: http://augustoboal.com.br/2015/02/28/teatro-do-oprimido-da-relacao-com-a-estrategia-politica-aos-riscos-da-mercantilizacao/. Acesso em: 10 jan. 2022.

VILLAS BÔAS, R. L.; PINTO, V. C.; ROSA, S. M. A Escola de Teatro Político e Vídeo Popular do Distrito Federal: formação pela práxis. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 34, p. 36-47, 2019. DOI: 10.5965/1414573101342019036. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101342019036. Acesso em: 6 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

COPQUE, Hayaldo. Notas sobre o Teatro do Oprimido nas universidades brasileiras: Possibilidades e impasses. Urdimento: Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 44, p. 1–23, 2022. DOI: 10.5965/1414573102442022e0104. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21523. Acesso em: 28 fev. 2024.