CorpoCidade: O Corpo da pessoa com deficiência visual na cidade e suas implicações como Flâneur Cego

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200004

Palavras-chave:

CorpoCidade, Flâneur Cego, Intervenção Urbana, Pessoa com deficiência Visual

Resumo

O presente trabalho reflete sobre o Corpo da pessoa com deficiência visual na Cidade, buscando compreender suas implicações artísticas e políticas no espaço urbano. Por este viés, o texto apresenta uma reflexão a partir da pesquisa Cidade Cega: Uma encenação somático-performativa com atores/performers com deficiência visual na cidade, realizada ao longo do doutorado na Universidade Federal da Bahia, entre os anos de 2014 e 2018 (Ferreira da Silva, 2018). Sendo assim, o artigo descreve sobre a intervenção urbana de dois artistas com deficiência visual, sendo eles, Gilson Coelho e Valmira Noia. Além de trazer para a discussão o termo Flâneur Cego, como resultado da vivência e experiência do Corpo da pessoa com deficiência visual como flâneur na Cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Ferreira da Silva, Universidade Federal do Acre (UFAC)

Doutor em Artes Cênicas, encenador, performer, ator, produtor teatral. Atualmente, educador Adjunto do curso de Teatro e do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Acre.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. Sobre a modernidade. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

BENJAMIN, Walter. Paris do Segundo Império. ln: Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo (Obras escolhidas, Vol. III). São Paulo: Brasiliense, 1989.

FERREIRA DA SILVA, Carlos Alberto. Cidade Cega: uma encenação somático-performativa com atores/performers com deficiência visual na cidade. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) - Universidade Federal da Bahia. Salvador – Bahia, 2018.

IBDD - Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Inclusão social da pessoa com deficiência: medidas que fazem a diferença. Rio de Janeiro: IBDD, 2008.

LINKE, Ines. Ficções: arte, natureza, cidade. Tese (Doutorado em ) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. Tradução de Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

NANCY, Jean-Luc. Corpus. Tradução de Tomás Maia. Lisboa: Vega Passagens, 2000.

NANCY, Jean-Luc. Corpo, fora. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Rio de Janeiro: 7Letras, 2015.

NUVOLATI, Giampaolo. Le flâneur dans l’espace Urbain. Géographie et cultures [En ligne], 70 | 2009, Paris, 2016.

RANGEL, Sonia. CasaTempo. Salvador: Solisluna, 2005.

RIO, João do. A alma encantadora das ruas. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 1908.

ROUANET, Sérgio Paulo e PEIXOTO, Nelson Brissac. É a cidade que habita os homens ou são eles que moram nela? Dossier Walter Benjamin, Revista USP, São Paulo, v.1, n. 15, set/out/nov. 1992, p. 49-75.

SHIN, Jieun. Le flâneur postmoderne: Entre solitude et être-ensemble. Paris: CNRS Éditions, 2014.

TAKAKI, Emika. Corpo-Cidade: coreografias urbanas. Trama: Indústria Criativa em Revista, v. 01, 2015.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

SILVA, Carlos Alberto Ferreira da. CorpoCidade: O Corpo da pessoa com deficiência visual na cidade e suas implicações como Flâneur Cego. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–23, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200004. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18153. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Espaços: configurações na cena brasileira e latino-americana