Uma revisão do teatro infantil: entre o teatro escolar e o espetáculo de arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103362019484

Palavras-chave:

Dramaturgia, Teatro infantil, Teatro escolar, Infância

Resumo

O presente artigo propõe uma revisão histórica do teatro infantil brasileiro, debruçando-se principalmente sobre a produção dramatúrgica voltada à criança na primeira metade do século XX. Tem-se como fito inventariar um marcante acontecimento referente a essa história, a saber, a ramificação da ideia de teatro infantil em duas práticas: o teatro infantil escolar, realizado por crianças em contextos educativos, e o teatro infantil de arte, espetáculos para crianças representados em contextos profissionais e comerciais por artistas adultos. Atrelado a isso, está o interesse em analisar os ecos contemporâneos dessa cisão. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidmar Silveira Gomes, Universidade de São Paulo (USP)

Graduação em Licenciatura Plena em Artes Cênicas e Mestrado na área de Pedagogia do Teatro pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Doutorado na Área de Filosofia da Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Referências

AQUINO, J. G.; GOMES, S. S. Uma Breve Genealogia do Teatro e Educação no Brasil: o teatro para crianças. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 9, n. 1, e. 82416, 2019.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. BENEDETTI, L. Aspectos do teatro infantil. Rio de Janeiro: SNT, 1969.

BILAC, O.; COELHO, N. Theatro Infantil. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1905.

CAMARGO, J. Teatro Infantil. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1937.

CAMARGO, J.; PONGETTI, H. O Teatro da Criança. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1938.

CAMPOS, C. de A. Maria Clara Machado. São Paulo: Edusp, 1998.

CARNEIRO NETO, D. Bendita Trupe erra feio na adaptação de Pinóquio. São Paulo, 3 jan. 2014, n.p. Disponível em <https://revistacrescer.globo.com/Colunistas/Dib-Car- neiro-Neto/noticia/2014/01/bendita-trupe-erra-feio-na-adaptacao-de-pinoquio. html>. Acesso: 15 ago. 2018.

CARNEIRO NETO, D. Já somos grandes. São Paulo: Giostri, 2014. CARNEIRO NETO, D. Pecinha é a Vovozinha. São Paulo: DBA, 2003.

CAVINATO, A. Uma experiência em teatro e educação: a história do menino Ilo Krugli e seu indomável Ventoforte. São Paulo, 2003.Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.

CORREIO DA MANHÃ, Rio de Janeiro, ed. 13524, 9 dez. 1938, p. 8.

DACACHE, A. de A. P. Dramaturgia contemporânea infantil no Rio de Janeiro: a busca de novos caminhos. Rio de Janeiro, 2007. Dissertação (Mestrado) – Departamento de

Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

EDMUNDO, L. O Rio de Janeiro no tempo dos Vice-Reis. Rio de Janeiro: Editora Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 1932.

FERREIRA, T. Teatro infantil, crianças espectadoras, escola: um estudo acerca de experiências e mediações em processos de recepção. Porto Alegre, 2005. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

G., L. Teatro Infantil: A Gata Borralheira. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ed. 14761, 15 dez. 1942, p. 8.

GÓIS, C. Teatro cívico escolar. Rio de Janeiro: 1915.

GÓIS, C. Teatro das crianças. Rio de Janeiro: Paulo de Azevedo Cia., 1950.

GOMES, A. C. M. Teatro infantil: uma arte séria. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ed. 22892, Caderno Feminino, 19 nov. 1967, p. 3.

GOUVEIA, J. O teatro para crianças e adolescentes: bases psicológicas, pedagógicas, técnicas e estéticas para a sua realização. In: PUPO, Maria Lucia de S. B. Tatiana Belinky: uma janela para o mundo. São Paulo: Perspectiva, 2012, p. 67-78.

JUGUERO, V. Bando de brincantes: um caminho dialético no teatro para crianças. Porto Alegre, 2014. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

KUHNER, M. H. O teatro dito infantil. Florianópolis: Fundação Cultural de Blumenau, 2003.

LEITE, L. B. Teatro e educação. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ed. 15905, 8 set. 1946, p. 29.

MAGALDI, S. Panorama do teatro brasileiro. São Paulo: Global, 2001.

MAGNO, P. C. Divertir a infância educando-a para os dias futuros. O Globo, Rio de Janeiro, 14 nov. 1944, p. 10.

MORINEAU, H. Um telegrama de Henriete Morineau. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ed. 17889, 14 jul. 1951, p. 13.

NAZARETH, C. A. Trama: um olhar sobre o teatro infantil ontem e hoje. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

PIMENTEL, F. Theatrinho Infantil. Rio de Janeiro: Livraria Quaresma, 1899.

PUPO, M. L. de S. B. O Teatro para a Infância e Juventude. In: FARIA, João Roberto. História do teatro brasileiro. V. 2. São Paulo: Perspectiva, 2013, p. 416-433.

SANDRONI, D. Maturando: aspectos do desenvolvimento do teatro infantil no Brasil. Rio de Janeiro: D. Sandroni, 1995.

SUPERBI, F. E. Panos e Lendas: três décadas de histórias. São Paulo, 2007. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”.

TEATRO PERMANENTE DA CRIANÇA, DE CURITIBA. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, ed. 18994, 1° Caderno, 27 fev. 1955, p. 15.

TERÇAROLI, C. P. T. O enigma da morte de Vladimir Capella. São Paulo, 2004. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

GOMES, S. S. Uma revisão do teatro infantil: entre o teatro escolar e o espetáculo de arte. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 36, p. 484-504, 2019. DOI: 10.5965/1414573103362019484. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/15478. Acesso em: 28 set. 2022.