Memória dos bárbaros no jardim dos civilizados: corpo e vídeo no pensamento coreográfico de Montalvo-Hervieu

Autores

  • Yuji Gushiken Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT

DOI:

https://doi.org/10.5965/14147310122233

Resumo

O Jardim Io Io Ito Ito, do espanhol José Montalvo e da francesa Dominique Hervieu, constitui-se cenicamente com base em três recursos no processo de criação coreográfica: o virtuosismo presente nas danças populares, a interculturalidade como condição histórica e a tecnologia midiática como intercessora do projeto coreográfico. Em perspectiva interdisciplinar, na interface entre os campos da cultura e da comunicação, o objetivo deste artigo é demostrar e analisar como os coreógrafos, no diálogo com o surrealista alemão Max Ernst, ilustram a tese da dança como pensamento do corpo (Katz, 2005) e sugerem a obra coreográfica como crítica da cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuji Gushiken, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT

Prof. Dr. Programa de Pós- Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (Mestrado e Doutorado).

Downloads

Publicado

2014-07-26

Como Citar

GUSHIKEN, Yuji. Memória dos bárbaros no jardim dos civilizados: corpo e vídeo no pensamento coreográfico de Montalvo-Hervieu. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 22, p. 233–246, 2014. DOI: 10.5965/14147310122233. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/14147310122233. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Fluxo Continuo