Entrevista com Jan Fabre acerca da obra Mount Olympus (uma performance de 24 horas de duração)

Autores

  • Wallace Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN
  • Naira Ciotti Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102292017193

Resumo

Em decorrência da pesquisa de campo para construção da minha dissertação de mestrado, no intuito de poder compreender melhor o modus operandi do diretor transdisciplinar belga Jan Fabre, transcrevo traduzida a entrevista que me foi concedida após o término do seu trabalho teatral de 24 horas de duração – Mount Olympus. Enquanto espectador da obra apresentada em janeiro de 2016 em Antuérpia-Bélgica, questões se fizeram salientes em minhas sinapses, que se torna material para se pensar sobre o teatro contemporâneo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wallace Freitas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN

Mestre em Artes Cênicas através do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRN no qual desenvolveu pesquisa sobre o artista belga Jan Fabre. Possui Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Se interessa pela pesquisa na área de artes, teatro, performance, crítica genética e tradução.

Naira Ciotti, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN

Naira Ciotti é professora-performer Doutora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no Departamento de Artes. Possui Bacharelado e Licenciatura em História pela Universidade de São Paulo (1983). Mestrado concluído em 1999 com o título O híbrido professor-performer: uma prática, sob a orientação da Prof. Dr. Ana Cristina Pereira de Almeida. Desenvolveu pesquisa de doutorado sob orientação dos professores Renato Cohen e Christine Greiner sobre questões da performance arte, Arte Contemporânea na tecnocultura, a rede, a memória do corpo e os museus de arte.

Downloads

Publicado

2017-11-02

Como Citar

FREITAS, Wallace; CIOTTI, Naira. Entrevista com Jan Fabre acerca da obra Mount Olympus (uma performance de 24 horas de duração). Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 29, p. 193–201, 2017. DOI: 10.5965/1414573102292017193. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102292017193. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Entrevistas