A experiência da cor-luz: um ambiente cênico de Hélio Oiticica para um show de Gilberto Gil

Autores

  • Cássia Maria Fernandes Monteiro Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101312018038

Resumo

Neste artigo investigamos de que maneira a cor-luz e os aspectos vivenciais da performance contribuem ao percurso poético do artista Hélio Oiticica durante a criação da ambientação cênica do show Gilberto Gil in Concert realizado Nova Iorque [1971]. Como eixo conceitual buscamos suporte nos estudos da cor de Wassily Kandisky, no conceito de iluminação cênica de Denis Bablet e no traçado poético dos escritos de Oiticica. A partir dos documentos iconográficos, considerando a interlocução estética decorrente do momento tropicalista, pretendemos esclarecer de que maneira neste show a materialidade do som, da luz e da cenografia ativam a imagem para a participação vivencial no ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássia Maria Fernandes Monteiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ

Artista-Pesquisadora. Professora Adjunta de Cenografia da Escola de Belas Artes da UFRJ. Bacharel em Cenografia, Mestre e Doutora em Artes Cênicas pela UNIRIO. Coordenadora do GT Poéticas Espaciais Visuais e Sonoras da ABRACE.

Downloads

Publicado

2018-04-23

Como Citar

MONTEIRO, C. M. F. A experiência da cor-luz: um ambiente cênico de Hélio Oiticica para um show de Gilberto Gil. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 31, p. 038-062, 2018. DOI: 10.5965/1414573101312018038. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101312018038. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: A luz em cena: criação e estética -