Arte pós-violência no Peru: as experiências do Colectivo Sociedad Civil e de Yuyachkani

Autores

  • Flávia Almeida Vieira Resende Programa de Pós-graduação em Estudos Literários - Pós-Lit - Faculdade de Letras - UFMG (Doutoranda)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101262016144

Resumo

Neste artigo, questionamo-nos sobre a arte realizada em tempos de violência e pós-violência, no contexto do Peru no final do conflito armado interno (1980-2000). O que pode a obra de arte em contextos de violência extrema? O que podem esses contextos sobre as obras de arte? Pode a obra de arte resistir – e existir? Trabalhamos sobre as performances do Colectivo Sociedad Civil Lava la bandera (2000) e Pon la basura en la basura (2000), e o teatro do grupo Yuyachkani nas peças Adiós Ayacucho (1990), Antígona (2000) e Sin título – técnica mixta (2004). Nesse contexto, interessam-nos as ideias de efetividade e papel da obra de arte, performance e ativismo político e arte e memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Almeida Vieira Resende, Programa de Pós-graduação em Estudos Literários - Pós-Lit - Faculdade de Letras - UFMG (Doutoranda)

Doutoranda em Literaturas Modernas e Contemporâneas pelo Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG e Mestre em Teoria da Literatura pelo mesmo Programa. Atriz formada pelo Centro de Formação Artística - CEFAR - Palácio das Artes (MG).

Downloads

Publicado

2016-07-31

Como Citar

ALMEIDA VIEIRA RESENDE, F. Arte pós-violência no Peru: as experiências do Colectivo Sociedad Civil e de Yuyachkani. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 26, p. 144 - 153, 2016. DOI: 10.5965/1414573101262016144. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101262016514. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Desafios do teatro político