Quando a cor escapa da coxia - trajes de cena do Teatro Experimental do Negro

Autores

  • Fausto R. P. Viana Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101242015105

Resumo

O artigo destaca, em visão panorâmica, o processo de criação de trajes de cena nos espetáculos do Teatro Experimental do Negro, a partir de sua primeira peça oficial em 1945, O Imperador Jones, de Eugene O’Neill até a última, Sortilégio, de Abdias Nascimento, em 1957.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fausto R. P. Viana, Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

Prof. Dr. Livre Docente do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

Downloads

Publicado

2015-07-31

Como Citar

VIANA, Fausto R. P. Quando a cor escapa da coxia - trajes de cena do Teatro Experimental do Negro. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 24, p. 105–117, 2015. DOI: 10.5965/1414573101242015105. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101242015105. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Expressões da cena e do Teatro Negro