Interrogando espaços de alteridade: em direção a uma pedagogia pós-crítica para o drama e o teatro aplicados

Autores

  • Kennedy C. Chinyowa Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101222014247

Resumo

RESUMO

Enquanto os expoentes da pedagogia crítica argumentam que ela é um enquadramento apropriado para desafiar os discursos dominantes que buscam perpetuar as relações de poder opressivas e desigualdades sociais, outros começam a contra-argumentar que ela ainda permanece uma “pedagogia do oprimido”. Ao continuar a construir um “mundo” dividido em oposições binárias de raça, classe, gênero e etnias, a pedagogia crítica tende a encobrir relações mais complexas de poder nas quais estas categorias são fluídas em vez de fixas. Este artigo argumenta que em situações de pós-conflito tais como a da África do Sul pós-apartheid, onde a linha divisória entre perpetuadores e vítimas tende a se esvaecer, a linha divisória entre opressor e oprimido torna-se menos clara e escorregadia. O artigo propõe a adoção de uma pedagogia pós-crítica alternativa que possa transcender tais fronteiras rígidas.

Biografia do Autor

Kennedy C. Chinyowa, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Atua na área de História do Teatro, Práticas Cênicas e Estudos interculturais. Professora dra. do Departamento de Artes Cênicas do Centro de Artes/UDESC. Orientando mestrandos e doutorandos no PPGT.

Downloads

Publicado

2014-06-26

Como Citar

Chinyowa, K. C. (2014). Interrogando espaços de alteridade: em direção a uma pedagogia pós-crítica para o drama e o teatro aplicados. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(22), 247 - 258. https://doi.org/10.5965/1414573101222014247